Navigation – Plan du site

Objetivos científicos

O papel do Brasil no mundo contemporâneo não precisa mais ser demonstrado. Esta economia “emergente”, que enfrenta um dos maiores desafios ecológicos do planeta, constitui-se também num rico laboratório político da democracia, da luta contra a pobreza e a discriminação racial – ainda que as disparidades sociais e as violências por elas produzidas continuem presentes em seu cotidiano. Não se pode, também, ignorar o lugar ocupado por este imenso território no processo de colonização lançado, a partir do século xvi, pelos Impérios marítimos da Europa em direção do continente americano. O “primeiro contato” tomou, ali, dimensões singulares. As formas sucessivas da ocupação do território e da organização do trabalho escravo (indígena ou africano) deixaram marcas indeléveis, que ainda hoje se fazem sentir de forma aguda. Conhecer melhor esse território excepcional e as múltiplas configurações internacionais das quais ele participa é mais do que nunca uma necessidade: nele se forjaram muitos dos paradigmas da modernidade e da contemporaneidade. Eis o objetivo ao qual se dedica Brésil(s). Sciences humaines et sociales.

A escolha do título, e seu plural, manifestam a preocupação da revista em ampliar o debate: este imenso país não pode ser visto no singular. O Brasil é feito de sociedades e de grupos sociais múltiplos que não cessam de interagir, (re)desenhando uma realidade nacional extremamente dinâmica. Desde as origens, sua leitura se abriu aos diversos pontos de vista dos Impérios em conflito que, por diferentes razões, o cobiçavam; e a construção de sua identidade desenhou um processo longo e complexo, relativamente diverso do de seus vizinhos. Após as abolições e as decolonizações, as esperanças fundadas nos “modelos” sociais que aí se descobriam ultrapassaram amplamente suas fronteiras. Brésil(s) busca contribuir para a melhor compreensão desta complexidade, tão particular.

Sabemos que há tempos a pesquisa brasileira e brasilianista vêm se dedicando a tal tarefa. Ambas atingiram a massa crítica e a maturidade que lhes permite exercer um papel de primeiro plano no debate mundial e nas trocas interuniversitárias. O Brasil dispõe de um conjunto impressionante de revistas de grande qualidade nas ciências humanas e sociais. Entretanto, a maior parte desta produção está disponível em português ou, na edição internacional, em inglês. É preciso abrir a um público francófono tais aspectos ignorados da compreensão de um território que, desde sua história mais longínqua, ocupa um espaço de destaque a nível mundial.

Aberta a todas as ciências sociais e humanas, Brésil(s) deseja não somente trazer a público os avanços de cada disciplina que as compõem, mas também ser um espaço de convergência para seus debates. Isso acontece com a maioria dos temas abordados, diante dos quais antropólogos, economistas, historiadores, literários e sociólogos dialogam sobre questões que lhes são colocadas. Além disso, a revista busca ser uma plataforma para a pesquisa brasilianista internacional, e aspira a multiplicar as perspectivas e os comentários cruzados, as confrontações. Uma série de eventos, ligados ao calendário editorial da revista reforçam tais trocas. A publicação da cada novo número é a ocasião de um encontro internacional (mesa-redonda, seminário, colóquio) e, uma vez por mês, um “Midi de Brésil(s)” oferece a um brasilianista reconhecido a possibilidade de dialogar com um público significativo, inclusive porque as conferências são colocadas on line no site dos Archives audiovisuelles de la recherche.

  • Logo Editions de la Maison des sciences de l'homme
  • Logo Mondes américains
  • Logo Centre de Recherches sur le Brésil Colonial et Contemporain
  • Logo Ecole des hautes études en sciences sociales
  • Logo Centre national de la recherche scientifique
  • OpenEdition Journals