Navegação – Mapa do site
Varia

A publicação da investigação científica produzida no LNEC nas revistas Arquitectura, Binário e Técnica

Patrícia Bento d’Almeida, Teresa Marat-Mendes e Michel Toussaint

Resumo

O presente artigo procura contribuir para um melhor conhecimento acerca da investigação científica e técnica em ‘Arquitetura e Urbanismo’ desenvolvida no Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) e publicada, a nível nacional, fora desta instituição na imprensa portuguesa da especialidade. Este estudo centra-se no levantamento de artigos assinados por técnicos desta instituição publicados nas revistas Arquitectura (1946-1984), Binário (1958-1977) e Técnica (1946-1983). No panorama editorial português, estas três publicações periódicas foram as que, entre os anos 40 e 80 do século XX, mais contribuíram para a divulgação de temáticas relacionadas com a arquitetura e a engenharia, tendo ainda permitido, conforme aqui se relata, a publicação de alguns estudos desenvolvidos no LNEC, expondo-os a uma maior audiência.

Topo da página

Notas do autor

Esta investigação surge no âmbito do projeto de pós-doutoramento intitulado O LNEC e a História da Investigação em Arquitectura (SFRH/BPD/117167/2016), financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) através do programa de financiamento FSE.
Parte da investigação conduzida para este artigo é também oriunda do projeto de investigação
SPLACH - Spatial Planning for Change (POCI-01-0145-FEDER-016431), financiado por Fundos Europeus Estruturais e de Investimento (FEEI) através do Programa Operacional Competitividade e Internacionalização (COMPETE 2020) na sua componente FEDER e por Fundos Nacionais através da Fundação para a Ciência e a Tecnologia na sua componente OE.

Texto integral

Os autores agradecem ao Laboratório Nacional de Engenharia Civil pela permissão para aceder aos seus arquivos e documentação arquivada no âmbito do projeto de pós-doutoramento (SFRH/BPD/117167/2016).

Introdução: a criação do LNEC e a evolução da sua estrutura orgânica

  • 1 O LEC passou a designar-se LNEC em 1952, quando inaugurou o novo campus da Avenida do Brasil (Ferna (...)
  • 2 Entre 1961 e 1969, a DCH contou com mais de sete dezenas de publicações editadas pelo LNEC, destaca (...)
  • 3 Tema de interesse de Nuno Portas que procurou anunciar as diferenças entre as carreiras de arquitet (...)

1Finda a Segunda Guerra Mundial, Portugal assiste à intensificação dos trabalhos de construção civil e, consequentemente, às dificuldades causadas pela falta de mão de obra especializada. Por conseguinte, em 1946, o Ministério das Obras Públicas (MOP) cria o Laboratório de Engenharia Civil (LEC) (Figura 1), destinado a centrar os seus esforços no “estudo dos materiais, dos processos e da técnica da construção civil” (DL, 1946). Aquando da implementação da primeira Lei Orgânica do então designado Laboratório Nacional de Engenharia Civil1 (LNEC), esta intenção foi reforçada, classificando-o como um organismo público com a finalidade de “empreender, promover e coordenar as investigações e os estudos experimentais necessários para as realizações e para o progresso da engenharia civil” (DL, 1961), razão pela qual foi identificado como o “santuário dos engenheiros” (Lamas e Fernandes, 1979). Mas este mesmo decreto anunciou também a introdução de novas linhas de investigação, nomeadamente no domínio da arquitetura e do urbanismo, a serem desenvolvidas na Divisão de Construção e Habitação2 (DCH) do Departamento de Edifícios e Pontes (DEP) (Figura 2). Entre 1961 e 1971 esta divisão técnica foi chefiada por Ruy José Gomes (m. 1985), engenheiro cujo pensamento “não estava na relação corporativa entre arquitetos e engenheiros – questão mal politizada na época – mas na relação disciplinar, muito mais difícil de solucionar na prática, entre arquitetura e construção”3 (Portas 1985 : 3).

Figura 1. Estrutura orgânica do LEC 1946

Figura 1. Estrutura orgânica do LEC 1946

Autores (DL, 1946).

Figura 2. Estrutura orgânica do LNEC 1961

Figura 2. Estrutura orgânica do LNEC 1961

Autores (DL, 1961).

  • 4 Até aquele momento arquiteto colaborador da DCH.
  • 5 Financiado pela Federação de Caixas de Previdência (FCP).
  • 6 Financiado pela FCP e por diversos organismos do MOP e do Ministério do Ultramar.
  • 7 Criada pelo DL N.º 49033, esta entidade que concentrava as competências relativas à promoção direta (...)
  • 8 Destacamos: (Byrne, Portas, 1970), (Cabrita, 1974, 1977 e 1978), (Cabrita, Portas, 1972), (Dias, Po (...)

2A partir de novembro de 1969 a DCH passa a designar-se Divisão de Arquitetura (DA) – ramo agora entendido como uma especialidade comparável a qualquer outra existente no LNEC –, chefiada por Nuno Portas4 (n. 1934), o único arquiteto até ao momento a desempenhar funções de liderança no LNEC. O apoio financeiro entretanto facultado permitiu reunir as condições necessárias para o desenvolvimento dos primeiros planos de investigação programada, designadamente o “Plano de Estudos no Domínio da Habitação”5 desenvolvido na DCH e o “Planeamento de Estudos no Domínio de Edifícios”6 levado a cabo na DA (Rocha, 1971 : 27 ; LNEC, 2006 : 212). Com o desenvolvimento dos planos de investigação relativos à construção de habitação social, subsidiados pelo Ministério das Corporações e Previdência Social (1950-1972), intensificou-se também o trabalho de investigação no LNEC, conduzindo “ao desenvolvimento da investigação ligada aos problemas da conceção, projeto, execução e conservação dos edifícios” (DL, 1971). Revelava-se premente alargar o número de especialistas nas diversas matérias e, consequentemente, o número de unidades departamentais. A urgência manifestada pelo Governo para a procura da resolução do problema da habitação social, aliada à criação do Fundo de Fomento da Habitação7 (1969-1982), à revisão do III Plano de Fomento (1968-1973) e ao facto das investigações colocadas ao domínio da engenharia civil serem sobretudo provenientes “dos campos das obras públicas, com maior maturidade técnica, do que do domínio dos edifícios” (DL, 1971), o LNEC desuniu o Serviço de Edifícios e Pontes (SEP) em duas novas unidades departamentais, o Serviço de Estruturas e o Serviço de Edifícios (SE), no qual passou a estar integrada a DA8 (Figura 3).

Figura 3. Estrutura orgânica do LNEC 1971

Figura 3. Estrutura orgânica do LNEC 1971

Autores (DL, 1971).

  • 9 Designação que prevalece até à entrada em vigor da Portaria Nº 507/2002 (30/04/2002), passando entã (...)
  • 10 Destacamos (até 1984): (Cabrita, 1983a, 1983b e 1984), (Cabrita e Paiva, 1981), (Campos, 1983), (Co (...)
  • 11 Opção “natural, que decorreu de um conhecimento mútuo e do trabalho em comum desenvolvido ao longo (...)

3Depois da Revolução de 25 abril de 1974, a capacidade desenvolvida nos “campos da regulamentação, normalização, homologação, controlo, ensaios técnicos e cálculo automático” (DL, 1979), bem como o especializado quadro técnico entretanto constituído, reforçaram o reconhecimento internacional do LNEC. À finalidade estabelecida na primeira lei orgânica, em 1979, a sua atividade de investigação alarga-se agora aos “domínios das obras públicas, da habitação e urbanismo, da indústria dos materiais e componentes para a construção, e nos campos relacionados com os sectores sociais, produtivos e de infraestruturas económicas” (DL, 1979). Deste modo, no então designado Núcleo de Arquitetura9 (NA) do Departamento de Edifícios (DE) (Figura 4), separaram-se oficialmente as áreas de estudo em arquitetura e urbanismo10 (DL, 1979). Embora Nuno Portas tenha dado continuidade ao desempenho das funções de chefia, este arquiteto foi chamado a ocupar o cargo de Secretário de Estado da Habitação e Urbanismo11, durante os três primeiros Governos Provisórios (1974-1975). Consequentemente, o NA passou a ser chefiado pelo arquiteto António Reis Cabrita (n. 1942) (1981-2001).

Figura 4. Estrutura orgânica do LNEC 1979

Figura 4. Estrutura orgânica do LNEC 1979

Autores (DL, 1979).

4Apesar do esforço de alguns autores para refletir sobre as questões da investigação científica em arquitetura e alguns dos centros de investigação onde esta ocorre(u) (Gil, 2016 ; Carvalho, 2012), introduzindo pistas para aquela que foi contemporaneamente divulgada em determinadas publicações periódicas (Dias, 2017 ; Correia, 2015), um interesse centrado nas investigações científicas e técnicas realizadas no LNEC ainda não foi alvo de um levantamento rigoroso. Assim, o conhecimento da investigação científica produzida no LNEC e publicada fora deste Laboratório, designadamente em revistas portuguesas da especialidade, está por ser aprofundado e sistematizado, impossibilitando uma leitura do verdadeiro alcance do LNEC na difusão do conhecimento produzido em arquitetura e urbanismo.

  • 12 Disponível na Biblioteca da Ordem dos Arquitectos.
  • 13 Disponível na Biblioteca da Ordem dos Arquitectos.
  • 14 Disponível em https://aeist.pt/revista-tecnica/
  • 15 Por exemplo, engenheiros/arquitetos do LNEC que nestes periódicos apresentam igualmente trabalhos/p (...)

5Identificam-se aqui os artigos publicados nas revistas Arquitectura12 (1946-1984), Binário13 (1958-1977) e Técnica14 (1946-1983) que indicaram o LNEC como sendo a instituição de acolhimento das respetivas investigações, ou seja, identificam-se os artigos assinados por técnicos desta instituição. Excluíram-se contudo os artigos cuja autoria, embora possa estar associada ao LNEC, como investigador e/ou ex-investigador, não foi todavia identificada na respetiva publicação15. Deste modo, o presente artigo estrutura-se em quatro partes. Segue-se à introdução a contextualização editorial dos principais periódicos de arquitetura e urbanismo em Portugal. Na terceira parte faculta-se o levantamento das revistas analisadas. Finalmente, a quarta parte expõe as principais conclusões retiradas da presente investigação.

Breve panorama editorial das revistas periódicas de Arquitetura e Urbanismo em Portugal (1940-1980)

  • 16 Grupo constituído em Lisboa (1946) por cerca de trinta jovens arquitetos em torno de Francisco Keil (...)
  • 17 No princípio do século XX existiam duas revistas, A Construcção Moderna e Arquitectura Portuguesa c (...)
  • 18 Basta lembrar as referências ao livro ou aos seus conteúdos por Amos Rapoport (1972) e Bernard Rudo (...)

6Com a renovação da revista Arquitectura a partir de 1947 pela mão do ICAT16 (Iniciativas Culturais Arte e Técnica), que dela se torna proprietário em 1948, esta publicação marcou uma profunda alteração no modelo de revistas de arquitetura em Portugal, que até então não apresentava orientações claras ou mesmo critérios qualitativos rigorosos, com uma certa exceção das revistas das associações profissionais dos arquitetos17. Logo no primeiro número daquela renovação (Nº 13, março 1947) foi apresentado o Plano de Urbanização da Costa da Caparica, dos arquitetos urbanistas Étienne De Gröer (1882-1952) e Faria da Costa (1906-1971), e a moradia do artista Thomaz de Mello (1906-1990) projetada por Keil do Amaral (1910-1975), mostrando a vasta abrangência desejada para a Arquitectura. No número seguinte, o editorial expõe a vontade de mudança e um texto de Keil do Amaral (Uma iniciativa necessária) lançou a ideia de uma investigação sobre a “arquitetura regional” no País. Essa ideia veio a concretizar-se num trabalho sistemático e de caráter científico por iniciativa do Sindicato Nacional dos Arquitectos (SNA), o primeiro no campo da arquitetura em Portugal, realizado por um conjunto de arquitetos e cujas conclusões foram publicadas em 1961 sob o título Arquitectura Popular em Portugal, com importantes repercussões internacionais18.

  • 19 Habitação Social: Teotónio Pereira e Carlos Duarte; Planeamento: Francisco Silva Dias e Leopoldo Ca (...)
  • 20 Muito próximo do atelier de Teotónio Pereira com o qual Nuno Portas também trabalhava (desde 1957).

7Após sucessivas mudanças na direção da revista, a chefia por parte do arquiteto Carlos Duarte (n. 1926) trouxe não só um design gráfico inteiramente renovado, como uma maior diversidade na informação, designadamente, passou a introduzir uma apresentação mais aprofundada de projetos (muitas vezes tematicamente) acompanhados por pormenorização e descrição construtiva, textos críticos mais incisivos, reflexões teóricas mais desenvolvidas, bem como abordagens a temas da atualidade de variada índole19. Uma das preocupações deste novo grupo editorial20 “era iniciar algo que nunca tinha existido em Portugal: a crítica de arquitetura” (Duarte, 2010 : 38). Procurando introduzir o conhecimento do debate internacional nos ateliers de uma “novíssima geração” (Portas, 1959), a renovada Arquitectura, Planeamento, Design, Artes Plásticas, assume-se como “um órgão doutrinador” (Pereira, 1996: 258) e o periódico de eleição dos arquitetos portugueses (Toussaint, 2017).

8Quando o reconhecimento do Movimento Moderno pelos arquitetos portugueses mais novos estava implantado e assim se projetava em conformidade, para além da Arquitectura, que ia evoluindo, surgiram três publicações de arquitetura reforçando o novo tempo em que a prática da arquitetura e urbanismo se encontrava por cá. Trata-se da 4ª série da Arquitectura Portuguesa e Cerâmica e Edificações, da Binário e da Atrium. Quanto à primeira, apesar de, nominalmente estar assinalado um diretor e um editor na respetiva ficha técnica, na revista Binário Nº 5 (agosto 1958), assinala-se que Victor Palla (1922-2006) e Joaquim Bento d’Almeida (1918-1997) lhe “organizaram (com Manuel Barreira) 6 números”, mas é evidente a sua influência desde o princípio, não só dos conteúdos como do arranjo gráfico de Palla, até porque os dois arquitetos já tinham organizado números da Arquitectura e integrado o ICAT (Toussaint, 2017). Tomando, por exemplo, o número 3 e 4 da Arquitectura Portuguesa e Cerâmica e Edificações dedicado a moradias de arquitetos de norte a sul do País e artes plásticas, aí se incluem também duas comunicações apresentadas no 1º Congresso Nacional de Arquitetura (1948), dando assim importância à reflexão crítica (Lima, 1953 e Veloso, 1953).

  • 21 É também de assinalar a abertura ao design.
  • 22 Nomeadamente, Formozinho Sanchez, Alberto Pessoa, Raul Chorão Ramalho, Francisco Keil do Amaral, Vi (...)

9A revista Binário teve inicialmente dois diretores, os irmãos Manuel (1922-2012) e Jovito Taínha (1918-1995), um arquiteto e outro engenheiro civil, refletindo no seu nome a vontade em ser dirigida às duas disciplinas no sentido da unidade dos resultados práticos. Assim se procuraram apresentar as obras entre a conceção geral e as decisões construtivas, havendo também a publicação de artigos como, logo no primeiro número (abril 1958), um de Ruy Gomes, então Chefe de Secção no LNEC. Manuel Tainha e Jovito Tainha publicaram obras de arquitetura21, sobretudo projetadas por portugueses cujos nomes estão inscritos na história do Movimento Moderno no País22. Algumas dessas obras foram escolhidas para peças centrais de cada número, com uma apresentação extensa e cuidada, incluindo pormenores construtivos e o projeto de estruturas, respondendo ao princípio orientador plasmado no nome da revista. Foram também incluídas obras desenvolvidas fora de Portugal, de arquitetos como Hannes Mayer (1889-1954) ou James Sterling (1926-1992), bem como textos de Alvar Aalto (1898-1976) ou Walter Gropius (1883-1969). Estes dois diretores permaneceram até ao Nº 10 (janeiro 1959), havendo depois um número de transição. Seguiu-se o engenheiro civil Aníbal Vieira como novo Diretor, que imprimiu uma orientação em continuidade, mas sem os mesmos critérios de qualidade na escolha das obras de arquitetura e dando maior espaço a exemplos estrageiros. Nesta fase, apesar de ter sido nomeado um conselho de redação internacional, a revista estruturou-se como uma amálgama de textos e apresentação de obras, com a exceção de alguns números temáticos (poucos), revelando ausência de capacidade crítica. Contudo, a Binário teve uma longa vida (1977) e foi refletindo a evolução das profissões ligadas à arquitetura, ao urbanismo, ao design e às engenharias da construção.

  • 23 Chefe de redação da Arquitectura Portuguesa (4ª série).

10Quanto à Atrium, apenas três números saíram do prelo entre 1959 e 1960 dirigidos pelos arquitetos Luís Alvito e Thébar Frederico23. A revista dedicou-se essencialmente à apresentação de obras de arquitetura em Portugal, que o editorial do primeiro número (setembro/outubro 1959) queria “atual”, considerando ser a publicação não “apologética, tendenciosa, teorizante”, evitando assim artigos teóricos ou técnicos. No seu curto tempo de vida apresentou algumas obras e projetos relevantes na História da Arquitetura do século XX.

  • 24 Para além da revista Técnica publicada pelos estudantes do IST, as Escolas de Belas de Artes de Lis (...)

11Talvez para colmatar a escassez ou restrições editoriais de publicações independentes periódicas de arquitetura, urbanismo e engenharias da construção ou mesmo divulgar a sua ação, alguns organismos públicos e determinadas universidades24, tendo a ver com estas áreas de conhecimento e prática, editaram também as suas revistas. A Câmara Municipal de Lisboa (CML) e o MOP são disso exemplo. Da primeira foi o GTH boletim (do respetivo Gabinete Técnico da Habitação) que apresentou, a partir de 1964, os planos de urbanização e edifícios dos bairros que estavam a ser implementados – como os Olivais Norte, Olivais-Sul e Chelas – e também artigos técnicos ou sociológicos (alguns estrangeiros) envolvendo funcionários e colaboradores desse gabinete, que levou a cabo históricas ações de alojamento e realojamento em Lisboa. Foi um exemplo de revista que reunia pontos de vista de várias disciplinas.

12O MOP editou a Urbanização, revista do Centro de Estudos de Urbanismo e Habitação Engenheiro Duarte Pacheco, que teve o seu início em 1968 e contou com Nuno Portas como membro da sua Comissão Diretiva. Esta revista situava-se na continuidade do Boletim da Direcção Geral dos Serviços de Urbanização, que apresentou no seu primeiro volume de 1945-1946, testemunhos dos presidentes do SNA e da Ordem dos Engenheiros e um longo artigo de De Gröer (o arquiteto-urbanista do Plano Geral de Urbanização de Lisboa na época) sobre o que deveria ser o papel do urbanismo no desenvolvimento da cidade (De Gröer, 1945-1946). O Nº 1 de Urbanização (abril 1968) abre com um artigo de Georges Meyer-Heine (1905-1984), o arquiteto-urbanista do Plano Diretor de Urbanização de Lisboa, só aprovado depois do 25 de abril de 1974. Para além de artigos estrangeiros, relatórios de viagens de estudo a cidades europeias e um ou outro plano de urbanização, poucas colaborações se registam vindas do centro de estudos, o que reflete o seu fraco dinamismo, em paralelo com o sempre adiado e nunca constituído Instituto do Urbanismo, durante o Estado Novo.

  • 25 Antes da revista Técnica houve uma outra publicação dos alunos do IST, a revista Técnica Industrial(...)
  • 26 Com algumas exceções e interrupções, nomeadamente durante os meses de verão e a partir da 2ª edição (...)
  • 27 Em 1953 engenheiro tirocinante do LNEC.
  • 28 Diretor do Serviço de Hidráulica do LNEC (1948-1984).
  • 29 Diretor do LNEC (07/04/1954-19/03/1974).

13A revista Técnica surgiu em dezembro de 1925 como um periódico de engenharia da responsabilidade da Associação de Estudantes do Instituto Superior Técnico25 (IST). Com o intuito de contribuir para a promoção daquela Escola e, deste modo, da engenharia per si, “um grupo de rapazes estudiosos e de boa vontade, [manifestaram-se] empenhados em criar na imprensa técnica um órgão das especialidades que cultivam” (Souza, 1925 :3). De periodicidade mensal26, os seus diretores e/ou elementos do corpo redatorial foram variando a cada mudança de ano letivo. No âmbito deste artigo, por terem sido técnicos do LNEC, destacamos Luís da Cunha Ferraz27, Fernando Manzanares Abecasis28 e Manuel Rocha29.

  • 30 Sendo o SNA uma organização corporativa e, como tal, não tendo como objetivo a investigação em arqu (...)
  • 31 Segundo Decretro-Lei Nº 34/607, 15/05/1945 (Marat-Mendes et al., 2014).
  • 32 Dirigida pelo importante crítico e arquiteto Ernesto Nathan Rogers (1909-1969) entre as décadas de (...)
  • 33 Iniciada em 1896.
  • 34 Publicada desde a década de 1920.
  • 35 Desde 1895.
  • 36 Iniciada em 1941.

14Verifica-se assim que o ensino e a investigação em Urbanismo entravam em linha com a pobre aposta do regime ditatorial na universidade e na investigação científica, que não chegava à arquitetura – ainda considerada oficialmente como uma das Belas Artes – salvo o caso do SNA30 e, mais tarde, do LNEC. Apesar da iniciativa da criação da cadeira de urbanologia ter sido implementada nos cursos de arquitetura de Lisboa e do Porto com o objetivo de reforçar a formação e arquitetos-urbanistas31. O panorama português das revistas de arquitetura e urbanismo era também escasso e com diferenças qualitativas e de conteúdo ao longo do tempo comparativamente às publicações de outros países do chamado Ocidente. A Arquitectura, nomeadamente ao longo da década de 1960 e até 1974, pode ser considerada próxima do modelo da revista italiana Casabella32, que teve enorme repercussão internacional. Mas também próxima da revista britânica Architectural Review33 que procurava apresentar exemplos e artigos às diversas escalas do território, da cidade e do espaço urbano em vasto panorama internacional. A revista francesa Architecture d’Aujourd’hui34, talvez a mais lida em Portugal na década de 1950, tinha uma organização que privilegiava o número temático aprofundando os conhecimentos aplicados. As revistas deste lote, que davam uma atenção mais particular às questões técnicas e construtivas, eram a britânica Architects’ Journal35 e a francesa Techniques et Architecture36, mas não na perspetiva dual da revista Binário com Aníbal Vieira. Ambas entendiam a construção e a técnica na relação com a arquitetura, esta assegurando a conceção geral e integrando as perspetivas mais particulares ou especializadas.

As revistas

Arquitectura

15No âmbito deste artigo foram analisados 153 números da Arquitectura, dos quais se identificaram 16 artigos provenientes do LNEC (Quadro 1A, ver Anexo) : i) 4 da DCH/DA ; ii) 4 da Divisão de Madeiras ; iii) 4 da Divisão Processos de Construção ; e iv) 4 da Divisão de Conforto da Habitação. Entre os artigos divulgados, alguns foram publicados “a pedido da revista Arquitectura e com autorização do Diretor do Laboratório Nacional de Engenharia Civil” (Silva, 1966 : 89) e outros somente com a “anuência do referido Laboratório” (Mateus, 1963 : 17).

  • 37 Interessado em pintura e desenho de mobiliário, foi responsável pelo desenho do mobiliário dos labo (...)
  • 38 Publicado como relatório do LNEC (1961) e como Memória Nº 179 (1962).

16O primeiro artigo publicado originário do LNEC data de julho de 1957 e foi assinado por Tomás José Emídio Mateus (1918-1979), engenheiro37 Chefe da Secção de Madeiras que, por altura da inauguração das novas instalações do LNEC na Avenida do Brasil, “abrangia o estudo sistemático das características físicas, mecânicas e tecnológicas das diferentes espécies de madeiras utilizadas na construção civil, bem como o estudo dos seus agentes de degradação” (Fernandes, 2007 : 62). Como referido nas páginas daquela revista, entre os trabalhos apresentados nos concursos para Investigador LNEC, identificaram-se alguns que “interessam aos profissionais da construção civil” (Mateus 1963 : 17), designadamente e como ali apontado, o livro-técnico Bases de dados para o dimensionamento de estruturas de madeira da autoria de Tomás Mateus38. Assim, a publicação na Arquitectura de alguns excertos destes trabalhos procurou constituir “uma iniciação à matéria tratada nos volumes respetivos” (Mateus, 1963 : 17).

  • 39 1º Projeto da autoria do arquiteto Raúl Tojal e do engenheiro Ângelo Ramalheira; 2º projeto da auto (...)
  • 40 Projeto (1953-1956) de Teotónio Pereira e Bartolomeu Costa Cabral.
  • 41 Que reconhece “a importância de um conveniente isolamento acústico nas habitações (cujas incidência (...)
  • 42 Apresentado no Colóquio Internacional de Pré-Fabricação (Lisboa, abril 1968).

17Relativamente aos artigos que Ruy Gomes publicou na Arquitectura, como referido por Nuno Portas, estes foram resultantes de projetos “feitos em demorada interação com os arquitetos com que trabalhou” (Portas, 1985 : 3), nomeadamente com Nuno Teotónio Pereira (1922-2016). Destacam-se os artigos : “acerca de coberturas em consola de grande vão” que tratou da “transcrição parcial do capítulo relativo ao estudo da ‘cobertura das bancadas’, do projeto de engenharia civil do Estádio do Sporting Club de Portugal”39 (Gomes, 1957b : 45) ; “apreciação crítica do Bloco das Águas Livres”, a propósito do assim denominado edifício de habitação, comércio e serviços40 (Gomes, 1959) ; “proteção acústica e conforto térmico das habitações”41, que foi “parte de um estudo elaborado em julho de 1958 para um dos projeto da célula A de Olivais, em Lisboa” (Gomes, 1961 : 44) ; e “exemplo de projeto e realização com técnicas de pré-fabricação de um edifício industrial”42, “elaborado pelo autor, no exercício da profissão liberal como projetista, e teve a colaboração do eng. J. Vasconcelos Paiva” (Gomes, 1971 : 33), igualmente engenheiro-investigador do LNEC.

  • 43 The National Swedish Institute for Building Research 5 (1968).
  • 44 “Conjunto de séries constituído pelas publicações, em geral de carácter monográfico, sobre temas de (...)

18No que diz respeito aos artigos publicados por arquitetos-investigadores do LNEC, identifica-se “desenho e apropriação do espaço da habitação” (Portas, 1968), que se tratou de uma síntese do Inquérito piloto sobre necessidades familiares em matéria de habitação (Portas e Pereira, 1967), temática apresentada no Simpósio da Comissão W45 do Conseil International du Bâtiment (Estocolmo, 1967) e posteriormente publicada no volume The Social Environment and its effect on the Design of the Dwelling and its immediate surroundings43. No âmbito do plano de estudos tendente a uma melhoria na conceção de habitação urbana em geral, o LNEC, desde o pioneiro inquérito-piloto, procurou consciencializar os projetistas para a evolução da noção de bem-estar (Portas e Gomes, 1963). Essa comunicação adveio da necessidade de mostrar a especialistas estrangeiros uma síntese do relatório de apuramento do inquérito-piloto sobre utilização do espaço da habitação. A propósito desta referência justifica-se lembrar o “estudo das funções e da exigência de áreas da habitação”, publicado inicialmente em formato de relatório do LNEC (Portas, 1964) e largamente difundido em 1969 sob a forma de Informação Técnica44 do LNEC (Portas, 1969). Este estudo, que também teve em consideração alguns dados fornecidos pelo inquérito, tratou os problemas de dimensionamento da habitação e das suas divisões, fator determinante para a melhoria das características e organização das habitações (Portas, 1964 : 1).

  • 45 Organizado pelo MOP e realizado no LNEC (junho-julho 1969).
  • 46 Sobre este mesmo tema realizou-se no LNEC um seminário sobre “Estratégias de política habitacional (...)

19Entretanto, dado que o Colóquio da Política da Habitação45 alertou para as potencialidades da habitação evolutiva, como alternativa aos modelos correntes praticados nos bairros de blocos habitacionais de iniciativa pública, a DA propôs-se “explicitar as características de programa e indicar as tipologias adequadas à sua realização” (Dias e Portas, 1971 : 1). Com base na “perspetiva evolutiva na descrição das funções e suas exigências ambientais” (Portas, 1969 : 7), procurou-se detetar as tendências de evolução das funções das famílias, partindo “da identificação das principais funções e atividades da habitação observadas na realidade, quanto possível a partir dos inquéritos disponíveis e em relação com a evolução sociocultural dos agregados, para analisar em seguida as respetivas exigências de ambiente e definir os seus níveis de satisfação, sobretudo no que respeita às dotações de áreas úteis” (Portas, 1969 : 5). Esta temática de trabalho desenvolvida na DA, designadamente no estudo “Tipologias de edifícios : Habitação Evolutiva. Princípios e critérios de projetos”46 (Dias e Portas, 1971), foi divulgada por Francisco Silva Dias (n. 1930) e Nuno Portas na revista Arquitectura com o título “Habitação evolutiva. Princípios e critérios de projetos” (Dias e Portas, 1972).

20Por último, relativamente ao artigo publicado por Fernando Gonçalves (n. 1963), “Plano Diretor do Município : recentes vicissitudes da sua não regulamentação” (Gonçalves, 1982b), importa lembrar que este arquiteto-investigador do LNEC esteve dedicado ao estudo da “Legislação Urbanística Portuguesa 1926-1974” (Gonçalves, 1974) desde meados da década de 1970 e que o artigo publicado na Arquitectura foi também apresentado no 2º Congresso da AAP, realizado no LNEC (1981).

Binário

21No âmbito deste artigo foram analisados 216 números da Binário, tendo sido identificados 33 artigos provenientes do LNEC (Quadro 2A, ver Anexo) : i) 12 da Secção de Processo de Construção/Divisão de Processos de Construção ; ii) 2 da Secção de Fundações ; iii) 4 da Divisão de Estruturas ; iv) 1 da Divisão de Cerâmica e Plásticos ; v) 1 da Divisão de Observação de Obras ; vi) 1 da Divisão de Dinâmica Aplicada ; vii) 2 da Divisão de Conforto de Edifícios ; e viii) 4 da DCH/DA.

  • 47 E a partir de junho 1971, diretor da revista Luso-Brasileira Geotecnia.

22Enquanto Chefe da Secção de Processos de Construção, Ruy Gomes marcou presença constante na Binário, com a escrita de artigos técnico-científicos provenientes, na grande maioria dos casos, de investigações desenvolvidas no LNEC e que, “no desempenho da sua missão, tem desenvolvido atividade de relevo, correspondendo, tanto quanto possível às necessidades da técnica de construção” (Gomes 1958a : 24). Para além de diversos “Comentários Técnicos”, publicou uma multiplicidade de trabalhos, que vão desde temáticas relacionadas com a “pré-fabricação na construção de edifícios”, passando pelas “tintas de cimento” às “manchas de vegetação parasitária em paramentos rebocados de alvenaria”. No artigo “normalização de portas : as portas interiores para habitação” (Gomes, 1958b) Ruy Gomes informou que o LNEC “acolherá com o maior prazer as sugestões de técnicos sobre este assunto, e põe desde já à sua disposição os elementos mais detalhados do estudo feito” (Gomes, 1958b : 21). Também o engenheiro José Folque, que em coautoria com Ruy Gomes assinou um artigo publicado neste periódico (Gomes e Folque, 1959), enquanto engenheiro geotécnico Chefe da Secção de Fundações do LNEC47, publicou o artigo “Nota sobre solicitações em condutas enterradas (o caso concreto de Lisboa)” (Folque, 1958), anteriormente divulgado pelo LNEC como Informação Técnica (Folque, 1954).

  • 48 Nº 24, 32, 116, 123 e 164-165.
  • 49 Este trabalho resultou de uma missão dos autores a Marrocos, “para proceder ao reconhecimento dos e (...)
  • 50 Publicado igualmente em Análise Social 20-21 (1968), pp. 43-56.
  • 51 “Séries em que se apresentam os aspetos mais relevantes os estudos realizados, contendo em geral ma (...)

23Quanto à participação do engenheiro Manuel Rocha, verifica-se que o então Diretor do LNEC publicou em cinco números48, nomeadamente dois dos seus discursos oficiais : o discurso da sessão inaugural das “1ªs Jornadas Luso-Brasileiras de Engenharia Civil” (setembro 1960) ; e o discurso da sessão inaugural da “Reunião sobre construção antissísmica” (maio 1961), onde os engenheiros Ferry Borges (1922-1993), enquanto Chefe da Secção de Estruturas (1959-1962), e João Manuel Madeira Costa, seu assistente, apresentaram o “Estudo do comportamento das construções quando do sismo de Agadir”49 (Borges e Costa, 1961). Manuel Rocha publicou ainda o artigo “A educação permanente”50 (Rocha, 1968), texto correspondente à Oração de Sapiência durante o doutoramento “honoris causa” do autor pela Universidade do Rio de Janeiro, e “A Investigação em Portugal” (Rocha, 1972a), publicado pelo LNEC sob a forma de Memória51 (1971).

  • 52 À época chefe do SEP do LNEC (Monteiro, 2004).

24Na publicação comemorativa do centésimo número da Binário, Aníbal Vieira afirmou que “as diversas classes profissionais não são, em geral, e cada uma per si, em número tal no nosso país que justifiquem uma revista mesmo com boa aceitação que trate exclusivamente dos assuntos dessa classe” (Vieira, 1967 : 344). Nesse mesmo número foram conjuntamente divulgados “depoimentos dos autores dos noventa e nove números publicados antes deste”, entre os quais se destaca o de Ferry Borges52, onde manifestou ter sempre encontrado “o maior interesse pela publicação de artigos relativos a engenharia civil, que contribuíssem para melhor informação do meio técnico nacional” (Borges, 1967 : 347).

  • 53 Da qual também fizeram parte os arquitetos Ignácio Peres Fernandes (Presidente) e J. M. Alves de So (...)

25Dos quatro artigos oriundos da DCH/DA, verifica-se que dois não se tratavam efetivamente de trabalhos produzidos na DCH, mas sim de um texto base do Colóquio sobre Política da Habitação (Fernandes et al., 1969a e 1969b) que teve a “função de provocar e referenciar uma discussão de especialistas com diferentes pontos de vista sectoriais” (Fernandes et al., 1969a). Ruy Gomes e Nuno Portas, membros da DCH, fizeram parte da comissão organizadora deste colóquio53, especialmente porque o LNEC integrou a extensa lista de organismos intervenientes na análise do problema da habitação, nomeadamente com o desenvolvimento de “estudos básicos” (Dias, 1969), de que são exemplo os dois inquéritos à habitação (Portas e Gomes, 1963 ; Portas e Pereira, 1967). Neste colóquio, Silva Dias apresentou outro dos trabalhos desenvolvidos na DCH e que visou delinear as condições do país relativamente ao problema da habitação social (Dias, 1969). Este trabalho foi igualmente publicado na Binário (s.a., 1969).

26Por último, o artigo “o projeto e a realização” (Portas e Cabrita, 1973), preparado com base no trabalho “organização de projetos de edifícios” (Cabrita e Portas, 1972), tratou as diferentes relações entre o cliente (público), o projetista e o construtor, nomeadamente no tocante às possibilidades de realização do processo de construção.

Técnica

  • 54 Salvaguarde-se o facto de alguns dos artigos publicados não fazerem referência à unidade departamen (...)
  • 55 Contudo, este periódico foi responsável pela difusão das conclusões da Carta de Atenas, traduzidas (...)

27No âmbito deste artigo foram analisados 303 números da Técnica, tendo sido identificados 207 artigos provenientes do LNEC (Quadro 3A, ver Anexo) : i) 7 da Divisão de Mecânica Aplicada ; ii) 3 da Divisão de Produtividade na Construção ; iii) 1 da Divisão de Observação ; iv) 1 da Divisão de Estradas e Aeródromos ; v) 5 da Divisão de Fundações ; vi) 3 da Divisão de Hidráulica Fluvial e Urbana ; vii) 1 da Divisão de Portos e Praias ; viii) 6 da Divisão de Química ; ix) 1 da Divisão de Fundações e Túneis ; x) 1 da Divisão de Informática ; xi) 4 da Divisão de Dinâmica Aplicada ; xii) 3 da Divisão de Processos de Construção ; e xiii) 1 do Núcleo de Dimensionamento Experimental. Nenhum dos artigos publicados foi elaborado pela DCH/DA/NA54. Não foram identificados quaisquer artigos escritos por arquitetos-investigadores do LNEC55 e, relativamente à colaboração de Ruy Gomes, embora este engenheiro tenha desempenhado um papel fundamental no aparecimento da investigação em arquitetura e urbanismo no LNEC, os artigos da sua autoria foram oriundos da Secção de Processos de Construção e do SE, duas unidades departamentais que, como vimos, foram por ele chefiadas, designadamente no momento das respetivas publicações.

  • 56 Técnica 329 (junho 1963), pp. 664.

28Consultada maioritariamente por engenheiros e estudantes de engenharia, a Técnica divulgou publicações provenientes de outros centros de investigação (nacionais e estrangeiros), particularmente um anúncio do LNEC que “decidiu conceder um desconto de 50 % sobre os preços marcados na sua lista de publicações a todos os alunos interessados”56.

  • 57 Manuel Rocha foi docente no IST, designadamente nas cadeiras de Física (1936-1942) e de Resistência (...)
  • 58 Nº 260, 291, 294, 323, 342, 348, 351, 361, 362, 375, 383, 386, 404 e 411. Ferry Borges também publi (...)
  • 59 Publicado como Memória Nº 209 (1963).
  • 60 Realizado no LNEC (setembro, 1966).

29Manuel Rocha continuou a marcar a sua presença em publicações fora do LNEC, designadamente na Técnica57, onde publicou enquanto Chefe do Serviço de Estudo de Estruturas e como Diretor do LNEC58. Entre os artigos divulgados destacamos “A reforma do ensino da engenharia”59 (Rocha, 1962) e o discurso proferido na sessão inaugural do I Congresso da Sociedade Internacional de Mecânica das Rochas (Rocha, 1966), na qualidade de Presidente da Comissão Organizadora do Congresso60.

Conclusão

30Para este artigo foram analisados um total de 672 números das revistas Arquitectura, Binário e Técnica, que refletem as diferenças disciplinares entre arquitetura e engenharia civil. Como se verifica nos Quadros 1A, 2A e 3A (material suplementar apresentado em anexo), os artigos publicados correspondem, na sua maioria, a trabalhos assinados pelos chefes das diversas unidades departamentais do LNEC ; o Diretor/Subdiretor do LNEC publicou somente na Binário e na Técnica. Examinando a participação de cada Serviço/Departamento nas três revistas analisadas, verifica-se que, entre 1946-1961, o Serviço de Estudo de Estruturas (SEE) foi o que publicou maior número de artigos. Relativamente aos artigos publicados na Arquitectura, entre 1961-1984 são em maior número os provenientes do SEP/SE, numa tentativa de alargar aos engenheiros a crítica de projetos de arquitetura. Embora este Serviço tenha marcado presença regular na Binário, entre 1946-1961 foram, no entanto, os Serviços de Estudo de Processo de Construção e o Serviço de Estudo de Estruturas que mais artigos ali publicaram. Quanto à Técnica, verifica-se que excluiu a participação de arquitetos-investigadores do LNEC e, entre 1946-1971, publicou sobretudo artigos do SEE. Assim, naturalmente, o número de artigos publicados por engenheiros-investigadores do LNEC foi significativamente maior que o número de artigos publicados por arquitetos-investigadores do LNEC. Muito embora Nuno Portas tenha assumido um papel relevante na redação da Arquitectura e, contemporaneamente tenha integrado o corpo de investigadores do LNEC, identificaram-se neste periódico somente dois artigos provenientes da DCH/DA. Contudo, a proximidade deste arquiteto-investigador com as chefias das diversas unidades departamentais trouxe a possibilidade de inclusão de um maior número de artigos assinados por engenheiros.

31Os trabalhos de investigação produzidos no LNEC e publicados nas revistas analisadas espelham um retrato cultural do país, num período muito particular da História da Arquitetura e do Urbanismo Português marcado pelo desenvolvimento do estudo da forma urbana. Para colmatar eventuais restrições editoriais que possam ter surgido e, com o intuito de disseminar parte da investigação desenvolvida, o LNEC publicou algumas das matérias consideradas mais relevantes sob a forma de Informação Técnica e/ou Memória. Estão entre estas publicações investigações oriundas da DCH/DA/NA, designadamente da autoria dos arquitetos Nuno Portas, António Reis Cabrita, Maria da Luz Valente Pereira e Fernando Gonçalves.

32Sendo o LNEC uma instituição pública com a missão de empreender, coordenar e promover a investigação científica tendo em vista o aperfeiçoamento da engenharia civil, é natural que o corpo de engenheiros-investigadores surgisse em número consideravelmente superior ao de arquitetos-investigadores. A evolução da estrutura orgânica do LNEC demonstra também o contínuo crescimento do número de Divisões/Núcleos relacionadas com os diversos domínios das engenharias. Contudo, a investigação em arquitetura e urbanismo continua ainda a ser praticada no LNEC, todavia desde 2013 oficialmente aliada ao domínio das ciências sociais, no Núcleo de Estudos Urbanos e Territoriais.

Decretos de Lei

Topo da página

Bibliografia

Bandeirinha, J. A. (2011) O Processo SAAL e a Arquitectura no 25 de Abril de 1974, Coimbra : Imprensa da Universidade de Coimbra.

Borges, J. F., Costa, J. M. M. (1961) “Estudo do comportamento das construções quando do sismo de Agadir”, Binário 32 (maio), pp. 255-293.

Borges, J. F. (1967) “Depoimentos dos autores dos noventa e nove números publicados antes deste”, Binário 100 (janeiro), pp. 347.

Byrne, G., Portas, N. (1970) Racionalização do Processo de Projeto - Coordenação Dimensional Modular, Lisboa : LNEC.

Cabral, B. C. (1968) Racionalização de soluções de organização de fogos : Formas de agrupamentos da habitação, Lisboa : LNEC.

Cabrita, A. R. (1977) Análise de soluções não tradicionais de encomenda de projeto e obra, Lisboa : LNEC.

Cabrita, A. R. (1983a) Missão a Cabo Verde em Novembro de 1982, Lisboa : LNEC.

Cabrita, A. R. (1984) Planeamento urbano e gestão de energia : objectivos e implicações numa perspectiva de apoio ao sector de estudos e investigação, Lisboa : LNEC.

Cabrita, A. R. (1978) Racionalização do processo de projeto. Análise de soluções não tradicionais de encomenda de projeto de obra, Lisboa : LNEC.

Cabrita, A. R. (1974) Regras para elaboração de projetos, Lisboa : LNEC.

Cabrita, A. R. (1983b) Relato de missão a França e Inglaterra sobre : elaboração de informação técnica para o desenho de áreas residenciais, Lisboa : LNEC.

Cabrita, A. R., Paiva, J. V. (1981) Classificação e qualificação de habitações do Parque Habitacional do país, Lisboa : LNEC.

Cabrita, A. R., Portas, N. (1972) Organização de projectos de edifícios, Lisboa : LNEC.

Campos, V. (1983) Critérios para o loteamento urbano em Cabo Verde, Lisboa : LNEC.

Carvalho, M. R. (2012) Investigação em Arquitetura. O Contributo de Nuno Portas no LNEC 1963-1974, Dissertação de Mestrado Integrado em Arquitetura, faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade de Coimbra.

Coelho, A. B., Cabrita, A. R. (1983) Edifício unifamiliar evolutivo, Lisboa : LNEC.

Correia, N. P. M. (2015) Crítica e debate arquitectónico na 3ª série da revista ‘Arquitectura’ Portugal, 1957-1974, Tese de Doutoramento em Teoria e História da Arquitetura, Universitat Politècnica de Catalunya.

Costa, A. A., Portas, N. (1966) Racionalização de soluções da habitação, Lisboa : LNEC.

De Gröer, E. (1945-1946) “Introdução ao Urbanismo”, Boletim da Direcção Geral dos Serviços de Urbanização, I volume, pp. 17-86.

Dias, T. L. (2017) Teoria e Desenho da Arquitetura em Portugal, 1956-1974 : Nuno Portas e Pedro Vieira de Almeida, Tese de Doutoramento em Teoria e História da Arquitetura, Universitat Politècnica de Catalunya.

Dias, F. (1969) Informação sobre a situação atual dos empreendimentos e necessidades da habitação social, Lisboa : LNEC.

Dias, F. S., Portas, N. (1971) Tipologias de edifícios : Habitação Evolutiva. Princípios e critérios de projectos, Lisboa : LNEC.

Dias, F. S., Portas, N. (1972) “Habitação evolutiva. Princípios e critérios de projetos. Arquitectura”, Arquitectura 126 (outubro), pp. 100-121.

Duarte, C. (2010) “Os críticos não se inventaram de um dia para o outro – Depoimento”, Jornal dos Arquitectos 239 (abril-junho), pp. 36 44.

Fernandes, J. A. (2007) “60 anos de actividade do Departamento de Estruturas do LNEC”, Revista Portuguesa de Engenharia de Estruturas 1 (julho), pp. 57-70, available at : http://rpee.lnec.pt/Ficheiros/pg57_m.pdf

Fernandes, I. P., Cunha, J. M. F., Costa, A. C., Gomes, R. J., Portas, N., Sousa, J. M. A. (1969a) “Colóquio sobre política da Habitação”, Binário 130-131 (julho/agosto), pp. 51-59.

Fernandes, I. P., Cunha, J. M. F., Costa, A. C., Gomes, R. J., Portas, N., Sousa, J. M. A. (1969b) “Colóquio sobre política da Habitação. Texto de base (II Parte)”, Binário 132 (setembro), pp. 78-83.

Folque, J. (1958) “Nota sobre solicitações em condutas enterradas. O caso concreto de Lisboa”, Binário 8/9 (novembro/dezembro), pp. 34-38.

Folque, J. (1954) Circular de Informação Técnica Nº 15, Nota sobre solicitações em condutas enterradas. O caso concreto de Lisboa, Lisboa : LNEC.

Freire, P., et al (2017) O Campos do Laboratório Nacional de Engenharia Civil. Monumento de interesse público, Lisboa : LNEC, available at : http://www.lnec.pt/fotos/editor2/lnec70_book_final.pdf

Gago, M. A. C. (1983) Contribuição para análise da situação social dos municípios : caso do Plano Director Municipal de Cascais, Lisboa : LNEC.

Gil, B. (2016) Culturas de Investigação em Arquitetura. Linhas de Pensamento nos Centros de Investigação 1945-1974, Tese de Doutoramento em Arquitetura, Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra.

Gomes, R. (1959) “Apreciação crítica do Bloco das Águas Livres”, Arquitectura 65 (junho), pp. 23-30.

Gomes, R. (1958a) “Tintas de cimento”, Binário 2 (maio), pp. 24-30.

Gomes, R. (1958b) “Normalização de portas : as portas interiores para habitação”, Binário 3 (junho), pp. 21-28.

Gomes, R. (1971) “Exemplo de projeto e realização com técnicas de pré-fabricação de um edifício industrial”, Arquitectura 119 (janeiro-fevereiro), pp. 27-33.

Gomes, R. (1957b) “Acerca de coberturas em consola de grande vão”, Arquitectura 61 (dezembro), pp. 45-50.

Gomes, R., Folque, J. (1959) “O uso da terra como material de construção”, Binário 10 (janeiro), pp. 31-48.

Gonçalves, F. (1974) Legislação urbanística portuguesa 1926-1974, Lisboa : LNEC.

Gonçalves, F. (1984) O lugar do município num sistema de planeamento descentralizado, Lisboa : LNEC.

Gonçalves, F. (1978) Plano Diretor do Município. Seu lugar entre os planos de urbanização e os planos de ordenamento do território, Lisboa : LNEC.

Gonçalves, F. (1982a) Plano Diretor do Município. Recentes vicissitudes da sua não-regulamentação, Lisboa : LNEC.

Gonçalves, F. (1982b) “Plano Diretor do Município : recentes vicissitudes da sua não regulamentação”, Arquitectura 145 (fevereiro), pp. 21-25.

Gonçalves, F. (1980) Proposta para a revisão da legislação urbanística portuguesa, Lisboa : LNEC.

Lamas, J., Fernandes, J. M. (1979) “Nuno Portas : Entrevista”, Arquitectura 135 (setembro-outubro), pp. 56-67.

Lima, V. (1953) “O Problema Português da Habitação”, Arquitectura Portuguesa e Cerâmica e Edificações 3-4 (abril), pp. 49-53.

LNEC (2006) Laboratório Nacional de Engenharia Civil 60 Anos de Actividade, Lisboa : LNEC.

Marat-Mendes, T., Cabrita, M. A., Oliveira, V. (2014) “Teaching Urban Morphology in Portugal”, in R. Cavallo, S. Komossa, N. Marzot, M. Berghauser Pont, J. Kuijper, New Urban Configurations, Delft: Delft University Press.

Mateus, T. J. E. (1963) “As modernas estruturas de madeira”, Arquitectura 78 (maio), pp. 17-26.

Monteiro, V. (2004) História : Júlio Ferry do Espírito Santo Borges, available at : http://www-ext.lnec.pt/LNEC/DE/NESDE/historia/ferry.html

Pereira, M. L. V. (1967) Classificação, nomenclatura e exigências mínimas para habitações de carácter social em centros urbanos, Lisboa : LNEC.

Pereira, M. L. V. (1982) Definição da forma urbana no planeamento físico, Lisboa : LNEC.

Pereira, M. L. V. (1983a) Os equipamentos coletivos e a transformação urbano-rural, Lisboa : LNEC.

Pereira, M. L. V. (1983b) Metodologia dos inquéritos à habitação urbana, Lisboa : LNEC.

Pereira, M. L. V. (1984) Metodologia do planeamento municipal, Lisboa : LNEC.

Pereira, M. L. V. (1970b) Modelo de análise dinâmica de uma zona urbana, Lisboa : LNEC.

Pereira, M. L. V. (1971) Organização e qualidade do espaço urbano : Inquérito piloto à utilização da cidade, Lisboa : LNEC.

Pereira, M. L. V. (1970a) Problemática dos inquéritos à habitação urbana, Lisboa : LNEC.

Pereira, M. L. V., Gago, M. A. C. (1972) Inquérito à habitação urbana, Lisboa : LNEC.

Pereira, M. L. V., Gago, M. A. C. (1974) Inquérito à habitação urbana : O uso e o espaço dos fogos, Lisboa : LNEC.

Pereira, M. L. V., Gago, M. A. C. (1978) Necessidades humanas e exigências funcionais da habitação, Lisboa : LNEC.

Pereira, M. L. V., Portas, N. (1967) Inquérito à habitação urbana : Objetivos gerais do inquérito. 1º Relatório Preliminar, Lisboa : LNEC.

Pereira, M. L. V., Portas, N. (1969) Inquérito à habitação urbana : Dados para a elaboração do questionário. 2º Relatório preliminar, Lisboa : LNEC.

Pereira, N. T. (1996) “Um Testemunho sobre a Arquitectura dos Anos 50”, in N. T. Pereira, Escritos (1974-1996, selecção), Porto : FAUP.

Portas, N. (1965) Estudos sobre habitação : Relato sucinto dos contactos estabelecidos por ocasião do Congresso U.I.A., Lisboa : LNEC.

Portas, N. (1985) “Rui Gomes engenheiro da construção”, Jornal Arquitectos 40/41 (novembro), pp. 3.

Portas, N. (1959) “A responsabilidade de uma novíssima geração no movimento moderno em Portugal”, Arquitectura 66 (novembro-dezembro), pp. 13-14.

Portas, N. (1968) “Desenho e apropriação do espaço da Habitação”, Arquitectura 103 (maio-junho), pp. 124-128.

Portas, N. (1964) Estudo das funções e da exigência de áreas da habitação. Necessidades familiares e áreas da Habitação. Análise de exigências por funções, da habitação, Lisboa : LNEC.

Portas, N. (1969) Funções e exigências de áreas da habitação, Lisboa : LNEC Informação Técnica 4.

Portas, N., Cabrita, A. R. (1973) “O projeto e a realização”, Binário 181 (outubro), pp. 420-424.

Portas, N., Cabrita, A. R. (1976) Programação de cooperação técnica Luso-Sueca – Habitação, Lisboa : LNEC.

Portas, N., Gomes, R. (1963) Inquérito-piloto sobre necessidades familiares em matéria de habitação, Lisboa : LNEC.

Portas, N., Pereira, M. L. V. (1967) Inquérito piloto sobre necessidades familiares em matéria de habitação, Lisboa : LNEC.

Rapoport, A. (1972) Vivienda y Cultura, Barcelona : Editorial Gustavo Gili.

Rocha, M. (1968) “A educação permanente”, Binário 123 (dezembro), pp. 230-235.

Rocha, M. (1972a) “A Investigação em Portugal”, Binário 164-165 (maio-junho), pp. 234-239.

Rocha, M. (1962) “A reforma do ensino da engenharia”, Técnica 323 (dezembro), pp. 155-194.

Rocha, M. (1966) “I Congresso da Sociedade Internacional de Mecânica das Rochas. Discursos proferido na sessão inaugural”, Técnica 361 (outubro), pp. 1-5.

Rocha, M. (1971) Relatório sumário da actividade do Laboratório Nacional de Engenharia Civil, Lisboa : LNEC.

Rocha, M. (1972b) Relatório sumário da actividade do Laboratório Nacional de Engenharia Civil em 1972, Lisboa : LNEC.

Rudofsky, B. (1964) Architecture without Architects, Nova Iorque: The Museum of Modern Art.

s.a. (1969) “Informação sobre a situação atual dos empreendimentos e necessidades da habitação social”, Binário 133 (outubro), pp. 139-149.

Silva, C. (1966) “Geometria da insolação I”, Arquitectura 92 (março-abril), pp. 89-94.

Souza, J. F. (1925) “Ad moltos anos”, Técnica 1 (dezembro), pp. 3-7

Toussaint, M. (2017) “A afirmação do Movimento Moderno em Portugal : Contributo dos dois arquitectos”, in P. B. Almeida, J. P. Martins (Eds.), Victor Palla e Bento d’Almeida. Arquitetura de outro tempo, Casal de Cambra : Caleidoscópio, pp. 21-27.

Veloso, G. M. (1953) “Os regulamentos na construção urbana”, Arquitectura Portuguesa e Cerâmica e Edificações 3-4 (abril), pp. 54-55.

Vieira, A. (1967) “Unidade na variedade”, Binário 100 (janeiro), pp. 344-345.

Decreto de Lei Nº 35.957, 19/11/1946.

Decreto de Lei Nº 43.825, 27/07/1961.

Decreto de Lei N.º 49033, 28/05/1969.

Decreto de Lei Nº 55/71, 26/02/1971.

Decreto de Lei Nº 519-D1/79, 29/12/1979.

Decreto de Lei Nº 34/607, 15/05/1945.

Topo da página

Anexo

Quadro 1A. Levantamento revista Arquitectura (1946-1984)

Nº.

MÊS

ANO

DIRETOR*

AUTOR

LNEC

ARTIGO

OBSERVAÇÕES

1

59

07

1957

Frederico Sant’Ana

Eng. Tomás José Emídio Mateus

Chefe da Divisão de Madeiras

Para uma melhor utilização da madeira de pinho bravo- I, 33-40

2

60

10

1957

Frederico Sant’Ana

Eng. Tomás José Emídio Mateus

Chefe da Divisão de Madeiras

Para uma melhor utilização da madeira de pinho bravo- II, 41-45

3

60

10

1957

Frederico Sant’Ana

Eng. Ruy José Gomes

Chefe da Secção de Processos de Construção

Aplicações do alumínio na construção civil, 46-48

• Resumo da Circular de Informação Técnica Nº 7, Aplicações do alumínio na construção civil (LNEC, 1952)

4

61

12

1957

Frederico Sant’Ana

Eng. Ruy José Gomes

Chefe da Secção de Processos de Construção

Acerca de coberturas em consola de grande vão, 45-50

• Transcrição parcial do capítulo relativo ao estudo da ‘cobertura das bancadas’ do projeto de Engenharia Civil do Estádio do Sporting Club de Portugal

5

65

06

1959

Frederico Sant’Ana

Eng. Ruy José Gomes

Chefe da Secção de Processos de Construção

Apreciação crítica do Bloco das Águas Livres, 23-30

• Publicado em Memória Nº 153, O bloco das águas livres. Apreciação crítica de edifícios (Lisboa, 1960)

6

70

03

1961

Rui Mendes Paula

Eng. Ruy José Gomes

Chefe da Secção de Processos de Construção

Proteção acústica e conforto térmico das habitações, 44-57

• Parte de um estudo elaborado em julho de 1958 para um dos projetos da célula A de Olivais

7

78

05

1963

Rui Mendes Paula

Eng. Tomás José Emídio Mateus

Chefe da Divisão de Madeiras

As modernas estruturas de madeira, 17-26

8

85

12

1964

Rui Mendes Paula

Eng. J. E. Barreiros dos Reis

Especialista da Divisão de Madeiras

Proteção das madeiras dos edifícios contra fungos, 201-204

• Apresentado em conferência na Secção Regional do Porto da Ordem dos Engenheiros (12/06/1964)

• Publicado em Memória Nº 273, Proteção das madeiras dos edifícios contra fungos (LNEC, 1965)

9

92

03-04

1966

Rui Mendes Paula

Eng. Armando Augusto Cavaleiro e Silva

Chefe da Divisão de Conforto da Habitação

Geometria da insolação I, 89-94

• Publicado em Memória Nº 218, Resolução de problemas geométricos de iluminação solar (LNEC, 1964)

10

94

03-04

1966

Rui Mendes Paula

Eng. Armando Augusto Cavaleiro e Silva

Chefe da Divisão de Conforto da Habitação

Geometria da insolação II, 115-120

Idem

11

95

01-02

1967

Rui Mendes Paula

Eng. Armando Augusto Cavaleiro e Silva

Chefe da Divisão de Conforto da Habitação

Geometria da insolação III, 38-40

Idem

12

96

03-04

1967

Rui Mendes Paula

Eng. Armando Augusto Cavaleiro e Silva

Chefe da Divisão de Conforto da Habitação

Geometria da insolação (IV, Conclusão), 81-85

Idem

13

103

05-06

1968

Rui Mendes Paula

Arq. Nuno Portas

Divisão de Construção e Habitação

Desenho e apropriação do espaço da habitação, 124-128

• Apresentado no Simpósio da Comissão W45 do Conseil International du Bâtiment (Estocolmo, 1967)

• Publicado em The Social Environment and its effect on the Design of the Dwelling and its immediate surroundings (The National Swedish Institute for Building Research, 1968)

• Síntese do Relatório, Inquérito piloto sobre necessidades familiares em matéria de habitação (LNEC, 1967)

14

119

01-02

1971

Carlos Duarte

Eng. Ruy José Gomes

Chefe da Divisão de Construção e Habitação

Exemplo de projeto e realização com técnicas de pré-fabricação de um edifício industrial, 27-33

• Apresentado num colóquio sobre pré-fabricação (Lisboa, 1968).

• Projeto elaborado pelo autor no exercício da profissão liberal como projetista, com a colaboração do Eng. José Vasconcelos Paiva (LNEC)

15

126

10

1972

Carlos Duarte

Arq. Francisco Silva Dias* e Arq. Nuno Portas**

*Tarefeiro da Divisão de Arquitetura, **Chefe da Divisão de Arquitetura

Habitação evolutiva. Princípios e critérios de projetos, 100-121

• Publicado em Relatório, Tipologias de edifícios : Habitação Evolutiva. Princípios e critérios de projetos (LNEC, 1971)

• Apresentado no seminário “Estratégias de política habitacional – formas evolutivas de habitação” (LNEC, 1972)

• Apresentado com a comunicação de Nuno Portas intitulada “Teoria de las tipologias como estruturas generativas en el marco de la producción urbana” no Simposium sobre Arquitectura, História y Teoria de Los Signos (Barcelona, Castelldefels 1972)

16

145

02

1982

José Ressano Garcia Lamas

Arq. Fernando Gonçalves

Assistente de investigação da Divisão de Arquitetura

Plano Diretor do Município : recentes vicissitudes da sua não regulamentação, 21-25

• Apresentado no 2º Congresso da Associação dos Arquitectos Portugueses (LNEC, movembro 1981)

• Publicado em Memória Nº 569, Plano Diretor do Município. Recentes vicissitudes da sua não-regulamentação (LNEC, 1983)

Notas : * Diretores da revista Arquitectura : 1ª Série (Nº 1 a Nº 49, janeiro 1927-fevereiro 1939) Francisco Costa ; 2ª Série (Nº 1 a Nº 58, fevereiro 1946-janeiro/fevereiro 1957) F. Pereira da Costa (Nº 1-31) e Alberto Pessoa (Nº 32-58) ; 3ª série (Nº 59 a Nº 131, julho 1957-junho 1974) Frederico Sant’Ana (Nº 59 a Nº 67, 1957-1960), Rui Mendes Paula (Nº 68 a Nº 112, 1960-1969) e Carlos Duarte (Nº 113 a Nº 131, 1969-1974) ; 4ª Série (Nº 132 a Nº 153, março 1979-setembro/outubro 1984) José Ressano Garcia Lamas.

Fonte : Elaboração própria.

Quadro 2A. Levantamento revista Binário (1958-1977)

Nº.

MÊS

ANO

DIRETOR*

AUTOR

LNEC

ARTIGO

OBSERVAÇÕES

1

1

04

1958

Manuel Taínha e Jovito Taínha

Eng. Ruy José Gomes

Chefe da Secção de Processos de Construção

Pré-fabricação na construção de edifícios, 15-19

• Apresentado no 2º Congresso da Indústria Portuguesa (Lisboa, 1957)

• Consequente de Perspectivas de prefabricação na construção de habitações, publicado em Memória Nº 29, Perspectivas de prefabricação na construção de habitações (LNEC 1952)

2

2

06

1958

Manuel Taínha e Jovito Taínha

Eng. Ruy José Gomes

Chefe da Secção de Processos de Construção

Tintas de cimento, 24-30

3

3

06

1958

Manuel Taínha e Jovito Taínha

Eng. Ruy José Gomes

Chefe da Secção de Processos de Construção

Normalização de portas : as portas interiores para habitação, 21-28

• Apresentado no 2º Congresso da Indústria Portuguesa (Lisboa, 1957)

4

3

06

1958

Manuel Taínha e Jovito Taínha

Eng. Ruy José Gomes

Chefe da Secção de Processos de Construção

Comentário Técnicos, 29-32

- A roda de bicicleta do pavilhão dos EUA em Bruxelas e a experimentação pela realização, no ensino técnico

- Sobre modelos de chapa de fibrocimento para coberturas

- Assentamento de vidraças em caixilharia metálica, uma sugestiva solução americana

5

5

08

1958

Manuel Taínha e Jovito Taínha

Eng. Ruy José Gomes

Chefe da Secção de Processos de Construção

Comentário Técnicos, 25-31

- As cúpulas geodésicas de Richard Buckminster Fuller

- Tubos de fibro-betume

- Um novo perfil, aperfeiçoado para montagem de envidraçados

6

7

10

1958

Manuel Taínha e Jovito Taínha

Eng. Ruy José Gomes

Chefe da Secção de Processos de Construção

Manchas de vegetação parasitária em paramentos rebocados de alvenaria, 27-30

• Publicado em Circular de Informação Técnica Nº 18, Manchas de vegetação parasitária em paramentos rebocados de alvenaria (LNEC, 1954)

7

8/9

11-12

1958

Manuel Taínha e Jovito Taínha

Eng. José Folque

Chefe da Secção de Fundações

Nota sobre solicitações em condutas enterradas. O caso concreto de Lisboa, 34-38

• Publicado em Circular de Informação Técnica Nº 15, Nota sobre solicitações em condutas enterradas. O caso concreto de Lisboa (LNEC, 1954)

8

10

01

1959

Manuel Taínha e Jovito Taínha

Eng. Ruy José Gomes* e Eng. José Folque**

*Chefe da Secção de Processos de Construção, **Chefe da Secção de Fundações

O uso da terra como material de construção, 31-48

• Publicado em Circular de Informação Técnica Nº 9, O uso da terra como material de construção (LNEC, 1953)

9

12

11

1959

Manuel Taínha e Jovito Taínha

Eng. Ruy José Gomes

Chefe da Secção de Processos de Construção

Comentários Técnicos, 29-34

- Nova voga e alargamento das aplicações do betão sem finos

10

14

11

1959

Manuel Taínha e Jovito Taínha

Eng. Ruy José Gomes

Chefe da Secção de Processos de Construção

Comentários Técnicos, 29-34

- Acerca de instalações sanitárias, coletivas”

- Subprodutos da serração de pedras : sugestões de aproveitamento

11

24

09

1960

Quaresma Gomes

Eng. Manuel Rocha

Diretor

1ªs Jornadas Luso-Brasileiras de Engenharia Civil, 295-296

• Discurso inaugural das “1ªs Jornadas Luso-Brasileiras de Engenharia Civil” (Lisboa, setembro 1960)

12

32

05

1961

Aníbal Vieira

Eng. Manuel Rocha

Diretor

Reunião sobre construção antissísmica. Discurso do Diretor engenheiro Manuel Rocha na sessão inaugural da reunião, 252-253

• Discurso inaugural da “Reunião sobre construção antissísmica” (maio 1961)

• Publicado em Memória Nº 208, Reunião sobre Construção Anti-Sísmica (LNEC, 1963)

13

32

05

1961

Aníbal Vieira

Eng. Júlio Ferry Borges* e Eng. João Manuel Madeira Costa**

*Chefe da Secção de Estruturas, ** antigo assistente

Estudo do comportamento das construções quando do sismo de Agadir, 255-293

• Resultante de uma missão dos autores a Marrocos para proceder ao reconhecimento dos estragos causados em Agadir, pelo sismo de 29 de fevereiro de 1960

• Apresentado na II Conferência de Engenharia Sísmica (Tóquio, julho 1960)

14

33

06

1961

Aníbal Vieira

Eng. Ruy José Gomes

Chefe da Secção de Processos de Construção

Comentários Técnicos, 329-344

- Problemas construtivos das coberturas de ‘cascas’

- Impermeabilização das coberturas

- Cofragens e cimbres

- Alguns problemas práticos na execução de ‘cascas’

- Ainda a propósito de instalações sanitárias coletivas. Um tipo de torneira de chuveiro para lavabos

- Ferramenta para dobragem de varões para betão armado

15

94

06

1966

Aníbal Vieira

Eng. Abel Simões

Chefe da Divisão de Cerâmica e Plásticos do LNEC

O tijolo, velho e sempre novo material de construção, 24-29

• Publicado em Memória Nº 291, O tijolo, velho e sempre novo material de construção (LNEC, 1966)

16

99

12

1966

Aníbal Vieira

Eng. João Manuel Madeira Costa

Secção de Estruturas

Considerações acerca do dimensionamento sísmico em edifícios em forma de torre, 297-298

• Publicado em Memória Nº 208, Considerações acerca dos métodos de dimensionamento de estruturas anti-sismicas (LNEC, 1963)

17

100

01

1967

Aníbal Vieira

Eng. Júlio Ferry Borges

Chefe da Secção de Estruturas

O número cem Binário : Depoimentos dos autores dos noventa e nove números publicados antes deste, 346-360

18

108

09

1967

Aníbal Vieira

Eng. Júlio Ferry Borges

Chefe da Secção de Estruturas

Progressos na utilização dos computadores no projeto de estruturas, 142-151

• Apresentado nas 2as Jornadas Luso-Brasileiras de Engenharia Civil (Rio de Janeiro, 1967)

19

112

01

1968

Aníbal Vieira

Eng. José Marecos* e Eng. J. Arga e Lima**

*Chefe da Divisão de Observação de Obras, ** Chefe da Divisão de Estruturas

Lajes nervuradas em estruturas sujeitas a solicitações horizontais, 24-27

20

116

05

1968

Aníbal Vieira

Eng. Manuel Rocha

Diretor

A educação permanente, 230-235

• Oração de Sapiência, Doutoramento “honoris causa” pela Universidade do Rio de Janeiro

• Publicado em Análise Social Nº 20-21 (1968)

21

123

12

1968

Aníbal Vieira

Eng. Manuel Rocha

Diretor

A educação permanente, 318-326

Idem

22

130-131

07-08

1969

Aníbal Vieira

Arq. Ignácio Peres Fernandes (Presidente), Eng. J. M. Ferreira da Cunha, Eng. A. Celestino da Costa, Eng. Ruy J. Gomes*, Arq. Nuno Portas** (Relator), Arq. J. M. Alves de Sousa

* Chefe da Divisão de Construção e Habitação ; **Arquiteto, Divisão de Construção e Habitação

Colóquio sobre política da Habitação, 51-59

• Colóquio realizado no LNEC, junho-julho 1969

23

132

09

1969

Aníbal Vieira

Arq. Ignácio Peres Fernandes (Presidente), Eng. J. M. Ferreira da Cunha, Eng. A. Celestino da Costa, Eng. Ruy J. Gomes*, Arq. Nuno Portas** (Relator), Arq. J. M. Alves de Sousa

* Chefe da Divisão de Construção e Habitação ; ** Arquiteto, Divisão de Construção e Habitação

Colóquio sobre política da Habitação. Texto de base (II Parte), 78-83

Idem

24

133

10

1969

Aníbal Vieira

n.i. (Arq. Francisco de Sousa Dias)

Colaborador da Divisão de Construção e Habitação

Informação sobre a situação actual dos empreendimentos e necessidades da habitação social, 139-149

• Publicado em Relatório, Informação sobre a situação actual dos empreendimentos e necessidades da habitação social (LNEC, fevereiro 1969)

25

145

10

1970

Aníbal Vieira

Eng. Artur Ravara*, Eng. J. Jervis Pereira

* Especialista do Serviço de Edifícios e Pontes, Chefe de Divisão de Dinâmica Aplicada ; ** Especialista do Serviço de Edifícios e Pontes

Observação do comportamento dinâmico da estrutura do edifício dos tribunais cíveis do Palácio de Justiça de Lisboa, 132-136

26

160

01

1972

Aníbal Vieira

Eng. Pedro Martins da Silva

Estagiário para Especialista do Serviço de Edifícios (Divisão de Conforto de Edifícios)

Influência do fator ruído no planeamento urbano, 29-34

• Publicado em Memória Nº 400, Influência do fator ruído no planeamento urbano (LNEC, 1971)

27

164-

165

05-06

1972

Aníbal Vieira

Eng. Manuel Rocha

Diretor

A Investigação em Portugal, 234-239

• Publicado em Memória Nº 399, A Investigação em Portugal (LNEC, 1971)

28

181

10

1973

Aníbal Vieira

Arq. Nuno Portas*, Arq. António Reis Cabrita**

* Chefe da Divisão de Arquitetura, ** Estagiário para Especialista da Divisão de Arquitetura

O projeto e a realização, 420-424

• Apresentado ao II Colóquio Nacional da Indústria da Construção

29

198

03

1975

José Luís Quintino

Eng. Pedro Martins da Silva

Investigador (Divisão de Conforto de Edifícios)

Ruído de tráfego rodoviário. Níveis sonoros e graus de incomodidade, 157-160

• Publicado em Informação Técnica Nº 7, Ruído de tráfego rodoviário (LNEC 1975)

30

212-

213

10-11

1976

José Luís Quintino

J.C. (João Constantino)

n.i.

Encontro breve sobre pré-fabricação com técnicos do LNEC, 328-329

31

212-

213

10-11

1976

José Luís Quintino

J.C. (João Constantino)

n.i.

O sistema de homologação do LNEC para a pré-fabricação, 330-333

32

212-

213

10-11

1976

José Luís Quintino

Eng. A. Teixeira Trigo

Investigador do Serviço de Edifícios e Pontes (Divisão de Processos de Construção)

Armazenamento, transporte e montagem, 371-374

• Lição Nº 14 do Curso Nº 144 (Edifícios Pré-Fabricados) do LNEC, 1974

33

212-

213

10-11

1976

José Luís Quintino

Eng. A. Teixeira Trigo

Investigador do Serviço de Edifícios e Pontes (Divisão de Processos de Construção)

Edifícios Pré-Fabricados, 375-380

• Lição Nº 12 e 13 do Curso Nº 144 (Edifícios Pré-Fabricados) do LNEC, 1974

Nota : * Diretores da revista Binário : Manuel Taínha e Jovito Taínha (Nº 1 a Nº 10, abril 1958-janeiro 1959) ; Quaresma Gomes (diretor-interino) (Nº 11, agosto 1959) ; Aníbal Vieira (Nº 12 a Nº 192, setembro 1959-setembro 1974) ; José Luís Quintino (Nº 193 a Nº 215-216, outubro 1974-janeiro/fevereiro 1977).

Fonte : Elaboração própria

Quadro 3A. Levantamento revista Técnica (1946-1983)

Nº.

MÊS

ANO

DIRETOR*

AUTOR

LNEC

ARTIGO

OBSERVAÇÕES

1

206

11

1950

Luís da Cunha Ferraz

n.i.

Laboratório de Engenharia Civil (LEC)

(Divulgação) Conferências do Laboratório de Engenharia Civil, 70

• 1º Ciclo de Conferencias organizado pelo Laboratório de Engenharia Civil (LEC), “Cálculo Experimental das Construções”

2

207

12

1950

Luís da Cunha Ferraz

Eng. Manuel Rocha e Eng. Laginha Serafim

Serviço de Estudo de Estruturas ( ?)

Ensaios sobre modelo da Barragem de Santa Luzia, 127-151

• Apresentado no III Congresso das Grandes Barragens (Estocolmo, 1948)

• Estudo experimental realizado no LEC

3

208

01

1951

Luís da Cunha Ferraz

Eng. Manuel Rocha* e Eng. J. Ferry Borges**

* Chefe do Serviço de Estudo de Estruturas e ** Chefe da Secção de Estruturas do Serviço de Estudo de Estruturas

Método fotográfico para o estudo de estruturas sobre modelo, 217-235

• Apresentado no 2º Congresso Nacional de Engenharia

• Em publicação na Society for Experimental Stress Analysis, com o título Photographic Method for Model Analysis of Structures

• Publicado em Memória N º 18, Photographic Method for Model Analysis of Structures (LNEC, 1951)

4

213

06

1951

Luís da Cunha Ferraz

Eng. Manuel Rocha*, Eng. António Coutinho**, Eng. A. Beja Neves***

* Chefe do Serviço de Estudo de Estruturas, ** Assistente do Serviço de Estudo de Estruturas, *** Diretor Geral do Serviço de Hidráulica

Etat actuel des mortiers et bétons des ouvrages portuaires portugais, 543-566

•Apresentado no XVII Congresso Internacional de Navegação (Lisboa, setembro 1949)

• Publicado em Memória Nº 12, État actuel des mortiers et bétons des ouvrages portuaires portugais (LNEC, 1951)

5

215

10

1951

Manuel Agudo Marques Maia

Eng. Manuel Rocha

Chefe do Serviço de Estudo de Estruturas

Dimensionamento experimental das estruturas, 13-34

• Apresentado no Ciclo de Conferências organizado pelo LNEC (outubro 1950 a março 1951)

• Publicado em Memória N º 21, Dimensionamento experimental das estruturas (LNEC, 1952)

6

216

11

1951

Manuel Agudo Marques Maia

Eng. Manuel Rocha

Chefe do Serviço de Estudo de Estruturas

Dimensionamento experimental das estruturas, 79-106 (continuação)

Idem

7

217

12

1951

Manuel Agudo Marques Maia

Eng. Manuel Rocha

Chefe do Serviço de Estudo de Estruturas

Dimensionamento experimental das estruturas, 143-163 (continuação)

Idem

8

223

06

1952

Manuel Agudo Marques Maia

Eng. João F. Cansado Tavares

Chefe da Secção de Documentação

Sobrecargas para pontes de estrada. Estudo comprativo dos regulamentos de vários países, 523-534

• Publicado em Memória N º 25, Sobrecargas para pontes de estrada. Estudo comprativo dos regulamentos de vários países (LNEC, 1952)

9

225

10

1952

Manuel Alves Marques

Matemático Gustavo de Castro* e Eng. Afonso Rodrigues J. Fernandes**

* Matemático-Estatístico do LNEC e ** Eng. Secção de Normalização

Sobre a composição de ensaios de qualidade, 43-48

• Publicado em Memória N º 26, Sobre a composição de ensaios de qualidade (LNEC, 1952)

10

225

10

1952

Manuel Alves Marques

Eng. Armando Coutinho Lencastre

Chefe da Secção de Hidráulica Fluvial

Estudo das condições de afogamento de uma galeria de desvio, 51-55

• Publicado em Memória N º 27, Estudo das condições de afogamento de uma galeria de desvio (LNEC, 1952)

11

226

11

1952

Manuel Alves Marques

Eng. Fernando Manzanares Abecasis

Chefe da Divisão de Hidráulica

A Divisão de Hidráulica do Laboratório Nacional de Engenharia Civil, 63-72

• Publicado em Memória N º 28, A Divisão de Hidráulica do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC, 1952)

12

226

11

1952

Manuel Alves Marques

Eng. Úlpio Nascimento

Assistente

Cálculo expedito de tensões de segurança e de assentamentos de fundações, 125-129

13

227

12

1952

Manuel Alves Marques

Eng. Ruy José Gomes

Chefe da Secção de Processos de Construção

Perspetivas da Pré-fabricação na construção de habitações, 171-184

• Publicado em Memória N º 29, Perspetivas da Pré-fabricação na construção de habitações (LNEC, 1952)

• Comunicação em palestra na “Semana da Engenharia Civil” (organização AEIST, 1952)

14

228

01

1953

Manuel Alves Marques

Eng. Armando Coutinho Lencastre

Chefe da Secção de Hidráulica Fluvial

O método de volume de armazenamento no cálculo de redes de esgotos, 239-249

15

229

02

1953

Manuel Alves Marques

Eng. Armando Coutinho Lencastre

Chefe da Secção de Hidráulica Fluvial

O método de volume de armazenamento no cálculo de redes de esgotos, 305-318 (continuação)

16

230

03

1953

Manuel Alves Marques

Eng. Úlpio Nascimento

Assistente

Determinação do grau de encastramento dos maciços de fundação, 357-359

17

231

04

1953

Manuel Alves Marques

Eng. Joaquim Laginha Serafim

Chefe da Secção de Barragens

Determinação de tensões com vernizes frágeis, 243-439

• Missão do autor aos EUA

18

232

05

1953

Manuel Alves Marques

Eng. Manuel Rocha

Chefe do Serviço de Estudo de Estruturas

Similarity conditions in model studies of soil mechanics problems, 491-507

• Publicado em Memória N º 35, Similarity conditions in model studies of soil mechanics problems (LNEC, 1953)

19

233

06

1953

Manuel Alves Marques

Eng. Manuel Rocha* e Eng. José Folque**

Chefe do Serviço de Estudo de Estruturas* e Chefe da Secção de Fundações**

Some Results of Settlements observations in actual structures and in models, 545-550

• Publicado em Memória N º 36, Some Results of Settlements observations in actual structures and in models (LNEC, 1953)

• Distribuído em Separada da Técnica aos membros do Congresso da Associação Internacional de Mecânica dos Solos (Zurique, agosto, 1953)

20

233

06

1953

Manuel Alves Marques

Eng. Úlpio Nascimento

Chefe da Secção de Estradas e Aeródromos

Capillarity and soil cohesion, 551-563

• Publicado em Memória N º 37, Capillarity and soil cohesion (LNEC, 1953)

Distribuído em Separada da Técnica aos membros do Congresso da Associação Internacional de Mecânica dos Solos (Zurique, agosto, 1953)

21

233

06

1953

Manuel Alves Marques

Eng. Fernando Manzanares Abecasis

Chefe da Divisão de Hidráulica

Nota ao artigo “Aplicação do gráfico de Leach”, 564

22

239

02

1954

José Manuel da Cruz Morais

Eng. J. Ferry Borges

Chefe da Secção de Estruturas

A utilização dos ultrassons para o estudo das propriedades dos materiais, 257-274

Publicado em Memória N º 50, A utilização dos ultra-sons para o estudo das propriedades dos materiais (LNEC, 1954)

23

239

02

1954

José Manuel da Cruz Morais

J. F. Lobo Fialho

Assistente

Extensómetros elétricos de resistência. Descrição e técnica de medida, 275-294

Publicado em Memória N º 49, Extensómetros elétricos de resistência. Descrição e técnica de medida (LNEC, 1954)

24

240

03

1954

José Manuel da Cruz Morais

Eng. Manuel Rocha

Chefe do Serviço de Estruturas

Vista geral sobre o estado presente do método experimental de dimensionamento das estruturas, 341-360

Versão portuguesa do trabalho General view of the present status of the experimental method of structural design, apresentado no 4º Congresso da Associação Internacional de Pontes e Estruturas (Cambridge, 1952)

Publicado em Memória N º 52, Vista geral sobre o estado presente do método experimental de dimensionamento das estruturas (LNEC, 1954)

25

240

03

1954

José Manuel da Cruz Morais

Eng. J. F. Lobo Fialho

Assistente

Alguns problemas de extensometria, 361-373

Publicado em Memória N º 51, Alguns problemas de extensometria. Ábacos para a sua resolução (LNEC, 1954)

26

242

05

1954

José Manuel da Cruz Morais

Eng. Armado Lencastre

Chefe da Secção de Hidráulica Fluvial

Perdas de carga provocadas por pilares de pontes, 499-514

Publicado em Memória N º 53, Perdas de carga provocadas por pilares de pontes (LNEC, 1954)

27

247

12

1954

Fernando Marques de Oliveira

Eng. Armado Lencastre

Chefe da Secção de Hidráulica Fluvial

Alguns aspetos do transporte sólido em problemas hidráulicos, 133-152

Publicado em Memória N º 64, Alguns aspetos do transporte sólido em problemas hidráulico (LNEC, 1954)

28

250

03

1955

Fernando Marques de Oliveira

Eng. A. de Sousa Coutinho

Investigador

Estudo e controle do betão no estaleiro, 327-362

Publicado em Memória N º 66, Estudo e controle do betão no estaleiro (LNEC, 1955)

29

251

01

1955

Fernando Marques de Oliveira

Eng. Fernando Maria Manzanares Abecasis

Chefe da Divisão de Hidráulica

Bombagem de areias através de embocaduras, 403-423

Publicado em Memória N º 67, Bombagem de areias através de embocaduras (LNEC, 1955)

Apresentado em conferência na Ordem dos Engenheiros (21/09/1955)

30

255

10

1955

José do Sacramento Costa

Eng. Fernando Maria Manzanares Abecasis

Chefe da Divisão de Hidráulica

O comportamento de descargas em poço, 29-37

Apresentado no 6º Congresso da Associação Internacional de Investigações Hidráulicas (Haia, setembro 1955)

31

256

11

1955

José do Sacramento Costa

Eng. Armado Lencastre

Chefe da Secção de Hidráulica Fluvial

Descarregadores em poço. Estudo teórico-experimental, 95-106

Tem por base uma comunicação intitulada Shaft Spillways, Theoretical experimental design, apresentada à reunião da IAHR – International Association of Hydraulic Research (Delft, 1955)

Publicado em Memória N º 88, Descarregadores em poço. Estudo teórico-experimental (LNEC, 1956)

32

260

03

1956

José do Sacramento Costa

Eng. Manuel Rocha

Diretor Interino

O estudo de estruturas sobre modelo em Portugal, 305-321

Apresentado a pedido da Academia Nazionale dei Lincei ao congresso sobre “Os modelos na técnica” (Veneza, outubro 1955)

33

264

07

1956

José do Sacramento Costa

Pelo Eng. José Gomes Alvarez

Cálculo dos coletores de esgoto de secção de valeta abobadada (publicação póstuma), 523-540

Tem por base aprontamentos deixados pelo autor no seu gabinete do LNEC

Publicado em Memória N º 113, Cálculo dos coletores de esgoto de secção de valeta abobadada (LNEC, 1958)

34

264

07

1956

José do Sacramento Costa

Afonso Rodrigues Jorge Fernandes

Chefe da Secção de Cerâmica e Canalizações

Problemas da indústria do barro vermelho, 563-568

Publicado em Memória N º 96, Problemas da indústria do barro vermelho (LNEC, 1956)

35

265

10

1956

Jorge do Nascimento Valério

Úlpio Nascimento*, Pereira dos Santos, Valdemar D’Orey, Abel Simões**, Fernando Branco**, Elias da Costa, Marques Dias, Kol de Carvalho e Ruy Martins

**Chefe da Secção de Estradas e Aeródromos, ** Assistente

Solos das estradas, 39-66

Apresentado no X Congresso Internacional da Estrada (Istambul, 1955)

Publicado em Memória N º 94, Solos das estradas (LNEC, 1956)

36

268

01

1957

Jorge do Nascimento Valério

Eng. António Ferreira da Silveira

Assistente

Cálculo das variações de temperatura em barragens de betão, 217-229

Publicado em Memória N º 108, Cálculo das variações de temperatura em barragens de betão (LNEC, 1957)

37

269

02

1957

Jorge do Nascimento Valério

Eng. João d’Arga e Lima

Assistente

Fórmulas de encurvadura para o dimensionamento de postes metálicos, 311-323

Publicado em Memória N º 110, Fórmulas de encurvadura para o dimensionamento de postes metálicos (LNEC, 1957)

38

270

03

1957

Jorge do Nascimento Valério

Eng. Antera Valeriana de Seabra

Assistente

O método absorciométrico na identificação e estudo de betumes asfálticos, 349-368

Publicado em Memória N º 111, O método absorciométrico na identificação e estudo de betumes asfálticos (LNEC, 1957)

39

270

03

1957

Jorge do Nascimento Valério

Alberto Coutinho Saraiva

Entomologista da Secção de Madeiras

Combate ao "Hylotrupes bajulus" (L.) em bairros urbanos, 389-399

Publicado em Memória N º 106, Combate ao "Hylotrupes bajulus" (L.) em bairros urbanos (LNEC, 1957)

40

271

04

1957

Jorge do Nascimento Valério

Eng. Armando Lencastre

Chefe da Secção de Hidráulica Fluvial

Limpeza de redes de esgotos. Dispositivos automáticos de descarga, 425-432

Publicado em Memória N º 109, Limpeza de redes de esgotos. Dispositivos automáticos de descarga (LNEC, 1957)

41

273

06

1957

Jorge do Nascimento Valério

Eng. Úlpio Nascimento*, Eng. Abel Simões** e Eng. Coelho Nunes

* Investigador, ** Assistente

Estudo dos Inertes da Região de Lisboa, 585-613

Publicado em Memória N º 112, Estudo dos Inertes da Região de Lisboa (LNEC, 1958)

42

277

12

1957

Carlos Manuel de Medeiros Portela

Eng. J. Laginha Serafim

Chefe da Secção de Barragens

O panorama hidroelétrico no quadro do desenvolvimento industrial brasileiro, 143-170

Publicado em Memória N º 123, O panorama hidroelétrico no quadro do desenvolvimento industrial brasileiro (LNEC, 1958)

Apresentado em conferência no IST na semana de recção aos novos alunos (novembro 1957)

43

280

03

1958

Carlos Manuel de Medeiros Portela

Eng. A. de Sousa Coutinho

Investigador

Pozolanas, betões com pozolanas e cimentos pozolânicos, 395-436

Publicado em Memória N º 136, Pozolanas, betões com pozolanas, cimentos pozolânicos (LNEC, 1958)

44

281

04

1958

Carlos Manuel de Medeiros Portela

Eng. A. de Sousa Coutinho

Investigador

Pozolanas, betões com pozolanas e cimentos pozolânicos (parte II), 491-522

Idem

45

281

04

1958

Carlos Manuel de Medeiros Portela

Eng. Afonso Rodrigues Jorge Fernandes

Chefe da Secção de Cerâmica e Canalizações

Sobre a utilização de tubos de polietileno flexível em canalizações de água, 549-553

Apreciação do material feito em colaboração com o Eng. Fernando Moura Leal

Publicado em Memória N º 138, Sobre a utilização de tubos de polietileno flexível em canalizações de água (LNEC, 1958)

46

282

05

1958

Carlos Manuel de Medeiros Portela

Eng. A. de Sousa Coutinho

Investigador

Pozolanas, betões com pozolanas e cimentos pozolânicos (continuação), 593-634

Publicado em Memória N º 136, Pozolanas, betões com pozolanas, cimentos pozolânicos (LNEC, 1958)

47

283

06

1958

Carlos Manuel de Medeiros Portela

Eng. A. de Sousa Coutinho

Investigador

Pozolanas, betões com pozolanas e cimentos pozolânicos (parte III), 685-706

Idem

48

284

07

1958

Carlos Manuel de Medeiros Portela

Eng. J. F. Cansado Tavares

Chefe da Secção de Documentação

A Secção de Documentação do Laboratório Nacional de Engenharia Civil, 711-720

Publicado em Memória N º 132, A Secção de Documentação do Laboratório Nacional de Engenharia (LNEC, 1958)

49

284

07

1958

Carlos Manuel de Medeiros Portela

Eng. Marciano Guerreiro

Assistente da Secção de Barragens

A determinação do coeficiente de poisson do betão das nossas barragens a partir das extensões medidas ‘in situ’, 721-731

Publicado em Memória N º 135, A determinação do coeficiente de Poisson do betão das nossas barragens a partir das extensões medidas “in situ” (LNEC, 1958)

50

284

07

1958

Carlos Manuel de Medeiros Portela

Eng. A. de Sousa Coutinho

Investigador

Pozolanas, betões com pozolanas e cimentos pozolânicos (conclusões), 733-759

Publicado em Memória N º 136, Pozolanas, betões com pozolanas, cimentos pozolânicos (LNEC, 1958)

51

290

03

1959

José Joaquim Delgado Domingues

Daniel Vera Santa Cruz

Assistente

Transporte sólido em costas arenosas. Técnicas utilizadas no seu estudo. Emprego de radioisótopos e de luminescentes, 387-394

Publicado em Memória N º 145, Transporte sólido em costas arenosas (LNEC, 1960)

Trabalho realizado no Agrupamento Científico da Junta de Investigações do Ultramar

52

290

03

1959

José Joaquim Delgado Domingues

Eng. José Folque*, Eng. Eufemiano Dias**

* Chefe da Secção de Fundações, ** Assistente

Características geotécnicas de aluviões determinadas "in situ", 395-400

Publicado em Memória N º 146, Características geotécnicas de aluviões determinadas "in situ" (LNEC, 1960)

53

291

04

1959

José Joaquim Delgado Domingues

Eng. Manuel Rocha*, Eng. J. Laginha Serafim**, António F. da Silveira***, Maria Emília Campos e Matos***

* Diretor Interino, ** Chefe da Secção de Barragens, *** Assistente

Ensaios em modelo e observação da barragem da Bouçã, 445-466

Publicado em Memória N º 130, Ensaios em modelo e observação da barragem da Bouçã (LNEC, 1960)

Apresentado ao 6º Congresso das Grandes Barragens (Nova Iorque, setembro 1958)

54

292

05

1959

José Joaquim Delgado Domingues

Eng. José Folque

Chefe da Secção de Fundações

Nota sobre o adensamento de terrenos não saturados, 519-523

Publicado em Memória N º 148, Nota sobre o adensamento de terrenos não saturados (LNEC, 1960)

55

293

06

1959

José Joaquim Delgado Domingues

Eng J. Ferry Borges

Chefe da Secção de Estruturas

A investigação operacional e o dimensionamento das estruturas, 543-549

Publicado em Memória N º 147, A investigação operacional e o dimensionamento das estruturas (LNEC, 1960)

56

293

06

1959

José Joaquim Delgado Domingues

n.i.

Reunião sobre a utilização da energia solar do Laboratório Nacional da Engenharia Civil, 550-551

Publicado em Memória N º 205, Colóquio sobre Utilização de Energia Solar (LNEC, 1963)

57

294

07

1959

José Joaquim Delgado Domingues

Eng. Manuel Rocha*, Eng. J. Laginha Serafim**

* Diretor, **Chefe da Secção de Barragens

Determinação de tensões de origem térmica de barragens-abóbada por meio de modelos, 619-640

Publicado em Memória N º 206, Determination of thermal stress in arch dams by means of models (LNEC, 1963)

• Apresentado no VI Congresso das Grandes Barragens (Nova Iorque, setembro 1958)

58

296

11

1959

Alexandre Cerveira

Eng. Vergílio Penalva Esteves

Assistente da Secção de Fundações

Ajustamento a solos portugueses de um método rápido para a determinação do limite de liquidez, 91-95

• Publicado em Memória N º 158, Ajustamento a solos portugueses de um método rápido para a determinação do limite de liquidez (LNEC, 1958)

59

297

12

1959

Alexandre Cerveira

Eng. Germano J. Venade, Eng. Henrique N. Ferreira, Eng. Aurélio A. Martins, Úlpio do Nascimento*, Eng. Carlos A. Aires, Eng. António S. Ferreira**

* Investigador, **Engenheiro

Estradas de baixo custo, 137-153

Relatório Português apresentado ao XI Congresso Internacional da Estrada (Rio de Janeiro, 1959)

60

298

01

1960

Alexandre Cerveira

Eng. Vergílio Penalva Esteves

Assistente da Secção de Fundações

Barragens de terra. Influência do teor de humidade de colocação na resistência ao corte, 235-243

Publicado em Memória N º 156, Barragens de terra. Influência do teor de humidade de colocação na resistência ao corte (LNEC, 1961)

61

302

05

1960

Alexandre Cerveira

Eng. José Beja Neves, Eng. Fernando Manzanares Abecasis*

* Chefe da Divisão de Hidráulica

Problemas de enxugo, rega, defesa contra cheias e navegação no rio Geba, 461-470

62

303

06

1960

Alexandre Cerveira

Eng. Fernando Manzanares

* Chefe da Divisão de Hidráulica

Estudo do problema das ondulações de longo período na ampliação do porto de Luanda, 483

63

305

10

1960

Jorge Gonçalves Calado

Eng. W. Olszak, Eng. A. Sawczuk

n.a. (Varsóvia)

Cálculo à rotura de estruturas heterogéneas ortotrópicas, 31-45

Publicado em Memória N º 171, Cálculo à rotura de estruturas heterogéneas ortotrópicas (LNEC, 1961)

• Apresentado em conferência pelo autor (LNEC, outubro 1957)

• Artigo traduzido por Eng. João Maria de Oliveira Martins (LNEC)

64

306

11

1960

Jorge Gonçalves Calado

Eng. A. de Sousa Coutinho

Investigador

O controle da fabricação do betão e a medição da sua qualidade no estaleiro, 73-100

Publicado em Memória N º 188, O controle da fabricação do betão e a medição da sua qualidade no estaleiro (LNEC, 1962)

65

306

11

1960

Jorge Gonçalves Calado

Eng. W. Olszak, Eng. A. Sawczuk

n.a. (Varsóvia)

Cálculo à rotura de estruturas heterogéneas ortotrópicas (parte II), 111-116

Publicado em Memória N º 171, Cálculo à rotura de estruturas heterogéneas ortotrópicas (LNEC, 1961)

• Apresentado em conferência pelo autor (LNEC, outubro 1957)

• Artigo traduzido por Eng. João Maria de Oliveira Martins (LNEC)

66

307

12

1960

Jorge Gonçalves Calado

Eng. Antera Valeriana de Seabra*, Eng. Maria do Rosário Cravo**

* Chefe da Secção de Química, ** Assistente

A aplicação das modernas técnicas físico-químicas à análise rápida dos cimentos. Complexometria, 135-145

Publicado em Memória N º 168, A aplicação das modernas técnicas físico-químicas à análise rápida dos cimentos. Complexometria.(LNEC, 1961)

67

307

12

1960

Jorge Gonçalves Calado

Eng. A. de Sousa Coutinho

Investigador

O controle da fabricação do betão e a medição da sua qualidade no estaleiro (conclusão), 147-164

Publicado em Memória N º 188, O controle da fabricação do betão e a medição da sua qualidade no estaleiro (LNEC, 1962)

68

309

02

1961

Jorge Gonçalves Calado

Matemático Gustavo de Castro

Assistente

Informação e entropia, 277-291

Elaborado para a Direção dos Serviços Técnicos dos CTT

69

309

02

1961

Jorge Gonçalves Calado

Eng. Vergílio Penalva Esteves

Assistente

Nota sobre métodos de verificação da estabilidade de barragens de terra, 293-302

Publicado em Memória N º 170, Nota sobre métodos de verificação da estabilidade de barragens de terra (LNEC, 1961)

70

311

04

1961

Jorge Gonçalves Calado

Eng. Nuno Martins

Assistente

O canal hidrodinâmico do Laboratório Nacional de Engenharia Civil, 453-

Publicado em Memória N º 185, O canal hidrodinâmico do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC, 1962)

71

312

05

1961

Jorge Gonçalves Calado

Matemático Gustavo de Castro

Assistente

O computador fido, 503-513

72

313

06

1961

Jorge Gonçalves Calado

Eng. José Pires Castanho

Chefe da Secção de Hidráulica Marítima

Métodos empregados na defesa contra a erosão costeira, 519-526

• Trabalho realizado no âmbito do Agrupamento Científico da Junta de Investigações do Ultramar

Publicado em Memória N º 196, Métodos empregados na defesa contra a erosão costeira (LNEC, 1962)

73

314

07

1961

Jorge Gonçalves Calado

n.i.

n.a.

União Europeia para a Apreciação Técnica na Construção, 634

74

315

10

1961

Miguel Falcão

Eng. J. Laginha Serafim*, Eng. Marques Seabra**

* Chefe de Serviço de Barragens, ** Estagiário

Reconhecimento de maciços rochosos, por sondagens, para o estudo das fundações de barragens, 45-52

Publicado em Memória N º 189, Reconhecimento de maciços rochosos, por sondagens, para o estudo das fundações de barragens (LNEC, 1962)

75

316

11

1961

Miguel Falcão

Eng. Fernando Abecasis*, Eng. António Quintela

* Chefe da Divisão de Hidráulica

Problemas de “histeresis” hidráulica nos escoamentos permanentes em superfície livre, 87-90

Publicado em Memória N º 523, Histeresis in the transition from supercritical to subcritical flow (LNEC, 1979)

76

318

01

1962

Miguel Falcão

Eng. J. Laginha Serafim

Chefe do Serviço de Barragens

Medição de extensões em barragens de betão, 243-262

Apresentado ao Simpósio sobre Observação de Obras (Lisboa, 1955)

77

318

01

1962

Miguel Falcão

Eng. Maria Fernanda Lopes de Castro

Divisão de Química

Identificação do veículo fixo em tintas e vernizes, 263-280

Publicado em Memória N º 198, Identificação do veículo fixo em tintas e vernizes (LNEC, 1962)

78

319

02

1962

Miguel Falcão

Eng. Daniel Vera-Cruz

Assistente

Ondas na rebentação, 317-328

Publicado em Memória N º 199, Ondas na rebentação (LNEC, 1962)

79

320

03

1962

Miguel Falcão

Eng. J. Ferry Borges

Chefe do Serviço de Edifícios e Pontes

A II Conferência Mundial de Engenharia Sísmica, 435-446

Apresentado em Reunião sobre Construção Antissísmica (LNEC, fevereiro 1961)

80

321

10

1962

J. M. Viegas Gonçalves, A. Romão Dias, J. F. Gomes de Pina, A. Alves Macedo e A. M. L. Esteves Brinca

Eng. Antera Valeriana de Seabra*, Pedro Reis dos Santos**

* Chefe de Divisão de Química, **Colaborador

Estudo dos métodos de avaliação de revestimentos metálicos de proteção, 45-59

81

322

11

1962

J. M. Viegas Gonçalves, A. Romão Dias, J. F. Gomes de Pina, A. Alves Macedo e A. M. L. Esteves Brinca

Eng. Antera Valeriana de Seabra*, Pedro Reis dos Santos**

* Chefe de Divisão de Química, **Colaborador

Estudo dos métodos de avaliação de revestimentos metálicos de proteção, (continuação) 135-154

82

323

12

1962

J. M. Viegas Gonçalves, A. Romão Dias, J. F. Gomes de Pina, A. M. L. Esteves Brinca

Eng. Manuel Rocha

Diretor

A reforma do ensino da engenharia, 155-194

Publicado em Memória N º 209, A reforma do ensino da engenharia (LNEC, 1963)

• Apresentada no Congresso do Ensino de Engenharia (IST, novembro 1962)

83

324

01

1963

J. M. Viegas Gonçalves, A. Romão Dias, J. F. Gomes de Pina, A. M. L. Esteves Brinca

Eng. Antera Valeriana de Seabra*, Pedro Reis dos Santos**

* Chefe de Divisão de Química, **Colaborador

Estudo dos métodos de ensaio de avaliação de revestimentos metálicos (Conclusão), 221-227

84

324

01

1963

J. M. Viegas Gonçalves, A. Romão Dias, J. F. Gomes de Pina, A. M. L. Esteves Brinca

n.i.

n.a.

Simpósio sobre a utilização de computadores em engenharia civil, 292

• Simpósio realizado no LNEC, (outubro 1962)

85

325

02

1963

J. M. Viegas Gonçalves, A. Romão Dias, J. F. Gomes de Pina, A. M. L. Esteves Brinca

Eng. Úlpio Nascimento

Chefe do Serviço de Geotecnia

Notas sobre a estabilização de solos, 323-347

• Apresentado Conferência, Associação Espanhola de La Carretera (Madrid, janeiro 1960)

86

327

04

1963

J. M. Viegas Gonçalves, A. Romão Dias, J. F. Gomes de Pina, A. M. L. Esteves Brinca

Eng. F. F. Guedes Soares

Especialista

Correlação entre as tensões de rotura de argamassas e betões de cimento Portland normal, 495-514

Publicado em Memória N º 217, Correlação entre as tensões de rotura de argamassas e betões de cimento Portland normal (LNEC, 1964)

87

327

04

1963

J. M. Viegas Gonçalves, A. Romão Dias, J. F. Gomes de Pina, A. M. L. Esteves Brinca

Eng. Nuno Martins

Especialista

Medições de pressão em condutas forçadas, 515-517

88

332

11

1963

J. M. Viegas Gonçalves, A. Romão Dias, J. F. Gomes de Pina, A. M. L. Esteves Brinca

Eng.ª M. Fernanda de Castro

Estagiária para Especialista

Princípios científicos da formação de películas, 101-107

Publicado em Memória N º 227, Princípios científicos da formação de películas (LNEC, 1964)

89

334

01

1964

J. M. Viegas Gonçalves

Eng. Úlpio Nascimento

Chefe do Serviço de Geotecnia

Dosagem e dimensionamento de pavimentos em solo cimento, 239-257

Publicado em Memória N º 249, Dosagem e dimensionamento de pavimentos em solo cimento (LNEC, 1965)

90

335

02

1964

J. M. Viegas Gonçalves

Matemático Gustavo de Castro

Introdução aos cérebros eletrónicos, 291-305

91

336

03

1964

J. M. Viegas Gonçalves

Matemático Gustavo de Castro

Como calculam os computadores digitais. A logística, 353-364

92

336

03

1964

J. M. Viegas Gonçalves

Eng. João d’Arga e Lima*, Eng. Vítor Manuel Monteiro**

* Investigador, ** Estagiário para Especialista

Ábacos para o cálculo de esforços de rotura de secções retangulares de betão armado, 365-374

Publicado em Memória N º 251, Ábacos para o cálculo de esforços de rotura de secções retangulares de betão armado (LNEC, 1965)

93

336

03

1964

J. M. Viegas Gonçalves

Eng. Fernando Moura Leal

Especialista

Características essenciais dos tubos de polietileno para transporte de fluidos, 375-387

Publicado em Memória N º 245, Características essenciais dos tubos de polietileno para transporte de fluidos (LNEC, 1964)

94

338

05

1964

J. M. Viegas Gonçalves

Eng. L. Marta de Sequeira

Especialista

Medidor de frequências acústicas, 477-486

Publicado em Memória N º 247, Medidor de frequências acústicas (LNEC, 1965)

95

339

06

1964

J. M. Viegas Gonçalves

Eng. José Castanho

Chefe da Divisão de Portos e Praias

Energia das ondas e transporte litoral, 523-527

Publicado em Memória N º 270, Wave energy and litoral transport (LNEC, 1965)

• Apresentado à IX Conference on Costal Engineering (Lisboa, 1964)

96

340

07

1964

J. M. Viegas Gonçalves

Eng. José Reis de Carvalho

Especialista

Porto da Praia da Vitória (Açores). Estragos no quebra-mar devido ao temporal de 26-27 de dezembro de 1962, 563-576

Publicado em Memória N º 271, Praia da Victoria Harbour (Azores). Damages in the breakwater due to the storm of 26th-27th December, 1962 (LNEC, 1965)

• Apresentado à IX Conference on Costal Engineering (Lisboa, 1964)

97

341

10

1964

J. F. Gomes de Pina

Eng. J. M. Ressureição Neto

Especialista

Rápida determinação das condições ótimas de compactação de solos e seu controle em obras de terra, 49-68

Publicado em Memória N º 255, Rápida determinação das condições ótimas de compactação de solos e seu controle em obras de terra (LNEC, 1965)

98

342

11

1964

J. F. Gomes de Pina

Eng. Manuel Rocha

Diretor

Alguns problemas acerca da rotura dos maciços rochosos, 77-85

Apresentado ao 14º Colóquio da Sociedade Internacional de Mecânica das Rochas (Salzburgo, 1963)

99

342

11

1964

J. F. Gomes de Pina

Eng.ª Maria do Rosário Tavares Cravo

Estagiário

Método rápido de doseamento de óxido de magnésio dos cimentos por complexometria, 121-129

Publicado em Memória N º 248, Método rápido de doseamento de óxido de magnésio dos cimentos por complexometria (LNEC, 1965)

100

343

12

1964

J. F. Gomes de Pina

Eng. J. M. Ressureição Neto

Especialista

Pesquisa de águas pelo método da resistividade elétrica. Possibilidades e limitações, 143-167

Publicado em Memória N º 257, Pesquisa de águas pelo método da resistividade elétrica. Possibilidades e limitações (LNEC, 1965)

101

344

01

1965

J. F. Gomes de Pina

Eng. Elda de Castro

Especialista

Método Higrométrico para a determinação de teores em humidade de materiais porosos, 265-271

Apresentado ao “1963 International Symposium on Humidity and Moisture” (Washington, 1963)

• Publicado em Memória N º 257, Determination of moisture content in porous materials by means of the relative humidity inside a cavity, Manuel Rocha, Úlpio Nascimento e Elga de Castro (LNEC, 1958)

102

346

03

1965

J. F. Gomes de Pina

Eng. N. Pires Elias

Estagiário para Especialista

Estudo em modelos reduzidos de praias artificiais na baía de Guanabara (Brasil), 425

103

347

04

1965

J. F. Gomes de Pina

Eng. Júlio Patriarca Barceló

Estagiário para Especialista

A observação da ondulação, 463-478

Publicado em Memória N º 274, A observação da ondulação (LNEC, 1965)

104

347

04

1965

J. F. Gomes de Pina

Eng. Luís Vicente

Especialista

Realização de funções booleanas por blocos NEM, 479-482

105

348

05

1965

J. F. Gomes de Pina

Eng. Manuel Rocha

Diretor

Formulação do problema físico da barragem abobadada, 491-506

• Lição inaugural do “Simpósio sobre a teoria das barragens abobadadas” (Universidade de Southampton, abril 1965)

106

349

06

1965

J. F. Gomes de Pina

Eng. A. de Sousa Coutinho

Investigador

Pozolanas de alta recetividade inicial – I. A reativação da pozolana natural, 547-570

Publicação não seriada Pozolanas de alta recetividade inicial – I (LNEC, 1965)

107

350

07

1965

J. F. Gomes de Pina

Eng. A. de Sousa Coutinho

Investigador

Pozolanas de alta recetividade inicial – I. A reativação da pozolana natural (Continuação), 619-639

Idem

108

350

07

1965

J. F. Gomes de Pina

Eng. J. E. Barreiros dos Reis

Especialista

A avaliação do comportamento da madeira tratada através de ensaio de campo, 641-648

109

351

10

1965

Assis Farinha Martins

Eng. Manuel Rocha

Diretor

Medição de deformações e de tensões “in situ”, 1-26

• Lição proferida num curso internacional sobre análise numérica e experimental de tensões (Universidade de Swansea, Grã-Bretanha 1965)

• Publicado em Memória N º 265, In situ strain stress and measurements (LNEC, 1965)

110

352

11

1965

Assis Farinha Martins

Eng. Artur Ravara

Estagiário para Especialista da Divisão de Mecânica Aplicada

Dimensionamento de fundações de máquinas I. Mecânica dos solos em regime dinâmico. Vibração de um bloco assente sobre um meio elástico, 81-100

111

353

12

1965

Assis Farinha Martins

Eng. Artur Ravara

Estagiário para Especialista da Divisão de Mecânica Aplicada

Dimensionamento de fundações de máquinas II. Fundações de máquinas alternativas, 147-159

112

354

01

1966

Assis Farinha Martins

Eng. Artur Ravara

Estagiário para Especialista da Divisão de Mecânica Aplicada

Dimensionamento de fundações de máquinas III. Fundações de máquinas de precursão, 201- 218

113

355

02

1966

Assis Farinha Martins

Eng. Artur Ravara

Estagiário para Especialista da Divisão de Mecânica Aplicada

Dimensionamento de fundações de máquinas IV. Fundações de máquinas rotativas, 267-282

114

356

03

1966

Assis Farinha Martins

Eng. Joaquim Moura Esteves

Especialista

Contribuição para a prospeção de estruturas geológicas verticais por sondagens geoelétricas, 325-341

Apresentado no LNEC para obtenção do grau de Especialista em Geotecnia

115

356

03

1966

Assis Farinha Martins

Eng. Artur Ravara

Estagiário para Especialista da Divisão de Mecânica Aplicada

Dimensionamento de fundações de máquinas V. Propagação de vibrações. Efeitos sobre as estruturas (conclusão), 343-364

116

359

06

1966

Assis Farinha Martins

Ricardo Oliveira

Geólogo Especialista

Contribuição para o estudo do estuário do Tejo. Sedimentologia, 495-509

• Publicado em Memória N º 296, Contribuição para o estudo do estuário do Tejo. Sedimentologia (LNEC, 1967)

117

360

07

1966

Assis Farinha Martins

Ricardo Oliveira

Geólogo Especialista

Contribuição para o estudo do estuário do Tejo. Sedimentologia (conclusão), 555-579

Idem

118

361

10

1966

Assis Farinha Martins

Eng. Manuel Rocha

Diretor

I Congresso da Sociedade Internacional de Mecânica das Rochas. Discursos proferido na sessão inaugural, 1-5

Na qualidade de Presidente da Comissão Organizadora do Congresso (LNEC, Setembro 1966)

119

361

10

1966

Assis Farinha Martins

Eng. Artur Ravara

Estagiário para Especialista da Divisão de Mecânica Aplicada

Elementos sobre análise matricial de estruturas reticuladas em regime linear, 19-28

120

362

11

1966

Assis Farinha Martins

Eng. Manuel Rocha

Diretor

Rock mechanics in Portugal, 45-60

• Apresentado ao I Congresso da Sociedade Internacional de Mecânica das Rochas (Lisboa, setembro 1966)

• Publicado em Memória N º 299, Rock mechanics in Portugal (LNEC, 1967)

121

362

11

1966

Assis Farinha Martins

Eng. Artur Ravara

Estagiário para Especialista da Divisão de Mecânica Aplicada

Elementos sobre análise matricial de estruturas reticuladas em regime linear (Conclusão), 81-89

122

364

01

1967

Assis Farinha Martins

Eng. Luís Vivente

Especialista

Circuitos lógicos de resistências – Transístor dimensionamento, 159-165

123

365

02

1967

Assis Farinha Martins

Eng. Nuno F. Grossmann

Estagiário para Especialista

Determinação do espaçamento das Diaclases de um sistema, 235-237

• Apresentado ao I Congresso da Sociedade Internacional de Mecânica das Rochas (Lisboa, Setembro 1966)

124

365

02

1967

Assis Farinha Martins

Eng. Luís Vicente

Especialista

Introdução aos sistemas digitais, 251-258

• Publicado em Memória N º 309, Introdução aos sistemas digitais (LNEC, 1968)

125

366

03

1967

Assis Farinha Martins

Eng. José A. Guimarães Correia

Especialista

Problemas de excitação e medida nos métodos vibratórios de prospeção, 289-295

• Publicado em Memória N º 297, Problemas de excitação e medida nos métodos vibratórios de prospeção (LNEC, 1967)

126

366

03

1967

Assis Farinha Martins

Eng. Luís Vicente

Especialista

Introdução aos sistemas digitais (continuação), 307-314

• Publicado em Memória N º 309, Introdução aos sistemas digitais (LNEC, 1968)

127

367

04

1967

Assis Farinha Martins

Eng. Luís Vicente

Especialista

Introdução aos sistemas digitais (continuação), 383-389

Idem

128

368

05

1967

Assis Farinha Martins

Eng. Peres Rodrigues

Especialista

Reta de coulomb mais provável obtida por ensaios triaxiais de rotura, 415-419

129

369

06

1967

Assis Farinha Martins

Eng. Luís Carlos Marta de Sequeira

Chefe de Divisão

Realização de circuitos impressos, 473-476

• Publicado em Memória N º 298, Realização de circuitos impressos (LNEC, 1967)

• Apresentado no I Simpósio de Telecomunicações (Standard Elétrica, abril 1967)

130

370

07

1967

Assis Farinha Martins

Eng. Carlos Alberto Florentino

Especialista

Princípios teóricos de determinação experimental direta de tensões em meios viscoelásticos. Aplicabilidade ao betão em obra, 509-523

• Publicado em Memória N º 306, Princípios teóricos de determinação experimental direta de tensões em meios viscoelásticos. Aplicabilidade ao betão em obra (LNEC, 1968)

131

370

07

1967

Assis Farinha Martins

J. M. Jervis Pereira

Especialista

Detenção dum processo estocástico estacionário normal do tipo markov num detetor de envolvente, 525-532

Trabalho subsidiado pela NATO

132

371

10

1967

Vítor M. M. Pinto

Eng. Luís Vicente

Especialista

Sistema digital para telemedida e registo de grandezas físicas, 11-15

• Publicado em Memória N º 308, Sistema digital para telemedida e registo de grandezas físicas (LNEC, 1968)

• Apresentado no I Simpósio de Telecomunicações (Standard Elétrica, abril 1967)

133

371

10

1967

Vítor M. M. Pinto

Eng. Carlos Aberto Florentino

Especialista

Princípios teóricos de determinação experimental direta de tensões em meios viscoelásticos. Aplicabilidade ao betão em obra (conclusão), 17-32

• Publicado em Memória N º 306, Princípios teóricos de determinação experimental direta de tensões em meios viscoelásticos. Aplicabilidade ao betão em obra (LNEC, 1968)

134

371

10

1967

Vítor M. M. Pinto

Eng. Carlos Martins de Oliveira*, Eng. Manuel C. Xavier Rodrigues**

* Chefe do Serviço de Materiais de Construção, ** Especialista

Características de alguns gessos nacionais utilizados na construção civil, 33-52

135

373

12

1967

Vítor M. M. Pinto

Eng. J. Ferry Borges*, eng. Artur Ravara**

* Investigador, ** Estagiário para Especialista

Estudo do comportamento de estruturas de edifícios sob ação de forças horizontais, 141-155

• Publicado em Memória N º 315, Estudo do comportamento de estruturas de edifícios sob ação de forças horizontais (LNEC, 1968)

136

373

12

1967

Vítor M. M. Pinto

Eng. Maria Olinda T. O. Braga*, Eng. Antera Valeriana de Seabra**

* Estagiária para Especialista, **Especialista

Características físico-químicas e tecnológicas de argilas utilizadas na indústria cerâmica nacional, 163-185

• Publicado em Memória N º 303, Características físico-químicas e tecnológicas de argilas utilizadas na indústria cerâmica nacional (LNEC, 1967)

137

374

01

1968

Vítor M. M. Pinto

Eng. Artur Ravara

Estagiário para Especialista

Aplicação dos computadores ao cálculo dinâmico de estruturas, 201-212

• Publicado em Memória N º 304, Aplicação dos computadores ao cálculo dinâmico de estruturas (LNEC, 1968)

• Apresentado nas II Jornadas Luso-brasileiras de Engenharia Civil (Rio Janeiro e São Paulo, 1967)

138

375

02

1968

Vítor M. M. Pinto

Eng. Manuel Rocha*, Eng. A. F. da Silveira**, Eng. M. C. Cruz Azevedo***, Eng. J. Batista Lopes

* Diretor, **Chefe do Serviço de Barragens, ***Chefe da Divisão de Dimensionamento Experimental, **** Especialista do Serviço de Barragens

Influência da muito alta deformabilidade da fundação na conceção e comportamento de uma barragem-abóbada, 263-276

• Publicado em Memória N º 320, Influência da muito alta deformabilidade da fundação na conceção e comportamento de uma barragem-abóbada (LNEC, 1969)

139

376

03

1968

Vítor M. M. Pinto

Eng. José Folque

Chefe da Divisão de Fundações

Anotações sobre barragens de terra, 343-356

• Publicado em Memória N º 312, Anotações sobre barragens de terra (LNEC, 1968)

• Palestra apresentada na Universidade Federal do Rio de Janeiro (novembro 1967)

140

377

04

1968

Vítor M. M. Pinto

Eng. José Folque

Chefe da Divisão de Fundações

Anotações sobre barragens de terra (conclusão), 409-430

Idem

141

378

05

1968

Vítor M. M. Pinto

Eng. Nelson de Vasconcelos Montes

Chefe da Divisão de Produtividade na Construção

Economia e produtividade na indústria da construção. Alguns aspetos mais característicos, 461-476

• Publicado em Memória N º 318, Economia e produtividade na indústria da construção. Alguns aspetos mais característicos (LNEC, 1968)

142

378

05

1968

Vítor M. M. Pinto

Eng. Joaquim Moura Esteves

Especialista

Prospeção geoelétrica para pesquisa de águas ao sul de Angola. Alguns casos típicos, 489-492

• Publicado em Memória N º 313, Prospeção geoelétrica para pesquisa de águas ao sul de Angola. Alguns casos típicos (LNEC, 1968)

• Apresentado na 2ª Reunião sobre Prospeção Geofísica (LNEC, 1966)

143

379

06

1968

Vítor M. M. Pinto

Eng. A. R. J. Borges

Investigador

On the frequency response of Vítor M. M. Pinto floater-type anemographs, 505-511

• Publicado em Memória N º 314, On the frequency response of floater-type anemographs (LNEC, 1968)

144

379

06

1968

Vítor M. M. Pinto

Eng. Nelson de Vasconcelos Montes

Chefe da Divisão de Produtividade na Construção

Economia e produtividade na indústria da construção. Alguns aspetos mais característicos (continuação), 529-539

• Publicado em Memória N º 318, Economia e produtividade na indústria da construção. Alguns aspetos mais característicos (LNEC, 1968)

145

380

07

1968

Vítor M. M. Pinto

Eng. David Augusto de Oliveira Leite

Especialista

Estudo do fator de ruído de amplificadores transistorizados, 541-550

• Publicado em Memória N º 317, Estudo do fator de ruído de amplificadores transistorizados (LNEC, 1968)

146

380

07

1968

Vítor M. M. Pinto

Eng. A. R. J. Borges

Estagiário para Especialista

O túnel aerodinâmico do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (1ª parte), 551-570

• Publicado em Memória N º 319, O túnel aerodinâmico do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC, 1969)

147

380

07

1968

Vítor M. M. Pinto

Eng. Nelson de Vasconcelos Montes

Chefe da Divisão de Produtividade na Construção

Economia e produtividade na indústria da construção. Alguns aspetos mais característicos (conclusão), 579-595

• Publicado em Memória N º 318, Economia e produtividade na indústria da construção. Alguns aspetos mais característicos (LNEC, 1968)

148

381

10

1968

Vítor M. M. Pinto

Eng. J. F. Lobo Fialho*, Eng. M. Machado Gonçalves

* Investigador

O efeito das variações térmicas sinusoidais nas estruturas laminares de comportamento elástico linear, 13-26

• Publicado em Memória N º 321, O efeito das variações térmicas sinusoidais nas estruturas laminares de comportamento elástico linear (LNEC, 1969)

149

381

10

1968

Vítor M. M. Pinto

Eng. J. Vasconcelos Paiva

Estagiário para Especialista

O dimensionamento e a otimização de pavimentos pré-esforçados, 27-40

• Publicado em Memória N º 322, O dimensionamento e a otimização de pavimentos pré-esforçados (LNEC, 1969)

• Apresentado nas II Jornadas Luso-brasileiras de Engenharia Civil (Rio Janeiro e São Paulo, 1967)

150

383

12

1968

João M. Pereira, João Soares Alves, Rui Coutinho Tenrinha, Silvério de Sousa Mendes

Eng. Manuel Rocha

Diretor

New techniques for the determination of the deformability and state of stress in rock masses, 115-130

Publicado em Memória N º 328, New techniques for the determination of the deformability and state of stress in rock masses (LNEC, 1969)

• Apresentado no “International Symposium on Rocks Mechanics” (Madrid, 1968)

151

384

01

1969

João M. Pereira, João Soares Alves, Rui Coutinho Tenrinha, Silvério de Sousa Mendes

Eng.ª Maria do Rosário Tavares Cravo

Especialista

Atualização dos métodos de análise química de argilas, 185-194

Publicado em Memória N º 327, Atualização dos métodos de análise química de argilas (LNEC, 1969)

152

385

02

1969

João M. Pereira, João Soares Alves, Rui Coutinho Tenrinha, Silvério de Sousa Mendes

Eng. E. R. de Arantes e Oliveira

Especialista

Análise elástica de vales e taludes, 263-279

Publicado em Memória N º 335, Análise elástica de vales e taludes (LNEC, 1969)

153

386

03

1969

João M. Pereira, João Soares Alves, Rui Coutinho Tenrinha, Silvério de Sousa Mendes

Eng. Manuel Rocha

Diretor

Dam foundation measurements, 289-302

Publicado em Memória N º 334, Dam foundation measurements. Short course in Denver – 1968 (LNEC, 1969)

• Apresentado num curso de curta duração (Denver, 1968)

154

386

03

1969

João M. Pereira, João Soares Alves, Rui Coutinho Tenrinha, Silvério de Sousa Mendes

Eng. A. R. J. Borges

Estagiário para Especialista

O túnel aerodinâmico do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (2ª Parte), 307-313

• Publicado em Memória N º 319, O túnel aerodinâmico do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC, 1969)

155

387

04

1969

João M. Pereira, João Soares Alves, Rui Coutinho Tenrinha, Silvério de Sousa Mendes

Eng. L. Veiga da Cunha

Serviço de Hidráulica

Evolução e posição atual dos conceitos sobre transporte sólido em escoamentos com superfície livre (continuação), 353-363

• Publicado em Memória N º 346, Evolução e posição atual dos conceitos sobre transporte sólido em escoamentos com superfície livre (LNEC, 1969)

156

388

05

1969

João M. Pereira, João Soares Alves, Rui Coutinho Tenrinha, Silvério de Sousa Mendes

Eng. J. M. N. Priestley*, Eng. Artur Ravara**

* Estagiário na Divisão de Dinâmica Aplicada, ** Chefe da Divisão de Dinâmica Aplicada

Comportamento de estruturas aporticadas sob ação de forças horizontais. Critério de simplificação, 395-404

• Publicado em Memória N º 342, Comportamento de estruturas aporticadas sob ação de forças horizontais. Critério de simplificação (LNEC, 1969)

157

388

05

1969

João M. Pereira, João Soares Alves, Rui Coutinho Tenrinha, Silvério de Sousa Mendes

Eng. L. Veiga da Cunha

Serviço de Hidráulica

Evolução e posição atual dos conceitos sobre transporte sólido em escoamentos com superfície livre (continuação), 431-442

• Publicado em Memória N º 346, Evolução e posição atual dos conceitos sobre transporte sólido em escoamentos com superfície livre (LNEC, 1969)

158

389

06

1969

João M. Pereira, João Soares Alves, Rui Coutinho Tenrinha, Silvério de Sousa Mendes

Eng. L. Veiga da Cunha

Serviço de Hidráulica

Evolução e posição atual dos conceitos sobre transporte sólido em escoamentos com superfície livre (conclusão), 491-501

Idem

159

390

07

1969

João M. Pereira, João Soares Alves, Rui Coutinho Tenrinha, Silvério de Sousa Mendes

Eng. J. Ferry Borges*, Eng. J. Grases, Eng. A. Ravara**

* Subdiretor, ** Chefe da Divisão de Dinâmica Aplicada

Behaviour of tall buildings during the Caracas earthquake of 1967, 511-524

• Publicado em Memória N º 347, Behaviour of tall buildings during the Caracas earthquake of 1967 (LNEC, 1969)

• Apresentado no “IV World conference on Earthquake Engineering” (Santiago do Chile, 1969)

160

390

07

1969

João M. Pereira, João Soares Alves, Rui Coutinho Tenrinha, Silvério de Sousa Mendes

Eng. Joaquim Moura Esteves

Especialista

Nota sobre a influência nas construções das vibrações dos terrenos provocadas por explosões, 525-531

• Publicado em Memória N º 348, Nota sobre a influência nas construções das vibrações dos terrenos provocadas por explosões (LNEC, 1969)

• Apresentado nas 2ª Jornadas de Engenharia e Arquitetura do Ultramar (Lunda, maio-junho 1969)

161

391

10

1969

João Soares Alves

Eng. F. Peres Rodrigues

Chefe da Divisão de Fundações e Tuneis

Determinação das características de corte de rochas e de deslizamento de diaclases. Influência da obliquidade da superfície de ensaio, 31-42

• Publicado em Memória N º 349, Determinação das características de corte de rochas e de deslizamento de diaclases. Influência da obliquidade da superfície de ensaio (LNEC, 1969)

• Apresentado no Simpósio Internacional de Mecânica das Rochas (Madrid, 1968)

162

391

10

1969

João Soares Alves

Eng. A. R. J. Borges

Estagiário para Especialista

O túnel aerodinâmico do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (3ª Parte), 43-50

• Publicado em Memória N º 319, O túnel aerodinâmico do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC, 1969)

163

392

11

1969

João Soares Alves

Eng. J. Ferry Borges*, Eng. Artur Ravara**

* Subdiretor, ** Chefe da Divisão de Dinâmica Aplicada

Seismic design of traditional and prefabricated reinforced concrete buildings, 71-82

• Publicado em Memória N º 351, Seismic design of traditional and prefabricated reinforced concrete buildings (LNEC, 1970)

164

404

01

1971

Silvério de Sousa Mendes

Eng. Manuel Rocha

Diretor

Método para amostragem integral de maciços rochosos, 167-175

• Publicado em Memória N º 374, Método para amostragem integral de maciços rochosos (LNEC, 1971)

165

404

01

1971

Silvério de Sousa Mendes

Eng. P. Martins da Silva

Estagiário para Especialista do Serviço de Edifícios e Pontes

Determinação da condutibilidade térmica em regime variável, 199-202

• Publicado em Memória N º 376, Determinação da condutibilidade térmica em regime variável (LNEC, 1971)

166

405

02

1971

Silvério de Sousa Mendes

Eng. Pedro Ivan Guimarães Rogedo

Estagiário

Estudo do fluxo em meios anisótropos pelo método dos elementos finitos, 237-243

• Publicado em Memória N º 377, Estudo do fluxo em meios anisótropos pelo método dos elementos finitos (LNEC, 1971)

167

406

03

1971

Silvério de Sousa Mendes

Eng. Antera V. de Seabra

Chefe da Divisão de Química

Grão austenítico : Sua formação, influência e avaliação, 319-334

168

406

03

1971

Silvério de Sousa Mendes

Eng. Emanuel Maranha das Neves

Especialista em Geotecnia

Influência das tensões neutras negativas nas características estruturais dos solos compactados, 335-346

• Publicado em Memória N º 386, Influência das tensões neutras negativas nas características estruturais dos solos compactados (LNEC, 1971)

169

407

04

1971

Silvério de Sousa Mendes

Eng. Emanuel Maranha das Neves

Especialista em Geotecnia

Influência das tensões neutras negativas nas características estruturais dos solos compactados (conclusão), 381-390

Idem

170

407

04

1971

Silvério de Sousa Mendes

Eng. Artur Ravara*, Matemática Madalena Quirino**, Eng. Maria Teresa Pereira da Silva

* Especialista do Serviço de Edifícios e Pontes, Chefe da Divisão de Dinâmica Aplicada, ** Especialista do Serviço de Edifícios e Pontes, *** Estagiária para Especialista do Serviço de Edifícios e Pontes

Análise de estruturas redutíveis a osciladores não lineares com histerese, 391-401

• Publicado em Memória N º 387, Análise de estruturas redutíveis a osciladores não lineares com histerese (LNEC, 1971)

• Apresentado no Simpósio sobre as Teorias da Informação e dos Sistemas (Lisboa, 1970)

171

408

05

1971

Silvério de Sousa Mendes

Eng. Orlando d’Almeida Pereira

Chefe da Divisão de Estradas e Aeródromos

A utilização da linha de influência, obtida em ensaios de carga com pneu, na determinação das características estruturais de pavimentos, 447-474

• Publicado em Memória N º 389, A utilização da linha de influência, obtida em ensaios de carga com pneu, na determinação das características estruturais de pavimentos (LNEC, 1971)

172

408

05

1971

Silvério de Sousa Mendes

Eng. António Duarte Silva*, Eng. Eduardo C. Marçal Grilo*

* Estagiário para Especialista do Serviço Técnico Geral

Conceitos básicos para o estudo da mecânica dos corpos contínuos – Espectro Mecânico, 475-478

173

409

06

1971

Guilherme Silva Arroz

Eng. J. Ferry Borges*, Eng. J. Marecos**, Eng. J. Teixeira Trigo***

* Subdiretor, ** Chefe da Divisão de Observação de Estruturas, ***Investigador do Serviço de Edifícios e Pontes

Creep effects in some arch and cantilever bridges, 497-501

Publicado em Memória N º 390, Creep effects in some arch and cantilever bridges (LNEC, 1971)

• Apresentado no “Symposium on Design on Concrete Structures for Creep (Madrid, 1970)

174

410

07

1971

Guilherme Silva Arroz

Eng. F. Peres Rodrigues

Chefe da Divisão de Fundações e Túneis

Anisotropia de granitos. Elipsoides dos módulos de elasticidade e das tensões de rotura, sistemas de diáclases e atitudes das encostas, suas correlações, 541-550

Apresentado ao 2º Congresso Internacional de Mecânica das Rochas (Lisboa, 1966)

Publicado em Memória N º 332, Anisotropy of granites. Modulus of elasticity and ultimate strength ellipsoids, joint systems, slope attitudes and their correlations (LNEC, 1969)

175

410

07

1971

Guilherme Silva Arroz

Eng. Joaquim Moura Esteves

Especialista do Serviço de Geotecnia

Aplicação das cartas de resistividades elétricas aparentes no estudo de locais de barragens, 551-557

Publicado em Memória N º 396, Aplicação das cartas de resistividades elétricas aparentes no estudo de locais de barragens (LNEC, 1971)

Apresentado no 1º Congresso Internacional de Geologia de Engenharia (Paris, setembro 1970)

176

410

07

1971

Guilherme Silva Arroz

Eng. António Duarte Silva*, Eng. Eduardo C. Marçal Grilo*

* Estagiário para especialista do Serviço Técnico Geral

Calibração e utilização de extensómetros elétricos, 559-556

177

411

10

1971

Guilherme Silva Arroz

Eng. Manuel Rocha*, Eng. A. F. da Silveira**

* Diretor, ** Chefe do Serviço de Barragens

Determinação de tensões térmicas em barragens de betão por meio de ensaios em modelo, -314

Publicado em Memória N º 403, Determinação de tensões térmicas em barragens de betão por meio de ensaios em modelo (LNEC, 1971)

• Apresentado no “Symposium on Models on Concrete Structures” (Los Angeles, 1968)

178

411

10

1971

Guilherme Silva Arroz

Eng. Fernando Guedes de Melo

Especialista em Geotecnia

Efeito do tempo nas características mecânicas do solo, 29-44

Publicado em Memória N º 405, Efeito do tempo nas características mecânicas do solo (LNEC, 1972)

179

412

11

1971

Guilherme Silva Arroz

Eng. Fernando Guedes de Melo

Especialista em Geotecnia

Efeito do tempo nas características mecânicas do solo (continuação), 105-116

Idem

180

413

12

1971

Guilherme Silva Arroz

Eng. J. Ferry Borges

Subdiretor

Dynamic loads (in particular wind and earthquake loads), 117-130

Publicado em Memória N º 407, Dynamic loads (in particular wind and earthquake loads) (LNEC, 1972)

• Apresentado ao “VIII Congress of International Association for Bridges and Structural Engineering” (Nova Iorque, 1968)

181

413

12

1971

Guilherme Silva Arroz

Eng. F. Peres Rodrigues

Chefe da Divisão de Fundações e Túneis

Anisotropia das rochas. Superfícies mais prováveis das tensões de rotura e dos módulos de eletricidade, 143-152

182

413

12

1971

Guilherme Silva Arroz

Eng. M. Barroso

Especialista do Serviço de Barragens

Caldas de injeção à base de cimento. Sua influência na resistência ao corte de maciços rochosos fissurados, 153-164

Publicado em Memória N º 408, Caldas de injeção à base de cimento. Sua influência na resistência ao corte de maciços rochosos fissurados (LNEC, 1972)

• Apresentado no 2º Congresso da Sociedade Internacional de Mecânica das Rochas (Belgrado, 1970)

183

414

01

1972

Guilherme Silva Arroz

Eng. Guimarães Correia

Especialista do Serviço Técnico Geral

Sistema para medição de tempos curtos de propagação de ondas sísmicas, 199-202

Publicado em Memória N º 409, Sistema para medição de tempos curtos de propagação de ondas sísmicas (LNEC, 1972)

184

415

02

1972

Guilherme Silva Arroz

Eng. F. Peres Rodrigues*, L. Aires Barros

Especialista do Serviço de Barragens, Chefe da Divisão de Fundações e Túneis do LNEC

Anisotropia das rochas endógenas. Correlação entre os elipsoides dos índices micropetrográficos, das tensões de rotura e dos módulos de elasticidade, 241-244

• Apresentado no 2º Congresso da Sociedade Internacional de Mecânica das Rochas (Belgrado, 1970)

185

415

02

1972

Guilherme Silva Arroz

Eng. Carlos Pereira da Costa

Especialista do Serviço de Barragens

Comportamento até à rotura de materiais para modelos sob a ação de solicitações triaxiais, 245-259

Publicado em Memória N º 415, Comportamento até à rotura de materiais para modelos sob a ação de solicitações triaxiais (LNEC, 1972)

186

416

10

1972

José Toscano

Eng. António Duarte Silva*, Eduardo C. Marçal Grilo*

* Estagiário para Especialista do Serviço Técnico Geral

A teoria das linhas de escorregamento – Aplicação à extrusão, 17-24

187

416

10

1972

José Toscano

Eng. J. Loureiro Pinto

Especialista do Serviço de Barragens

Deformabilidade de rochas xistosas, 25-30

188

417

11

1972

José Toscano

Eng. Acácio da Conceição

Especialista do Serviço de Materiais de Construção

Proteção de depósitos e outras estruturas de betão por meio de revestimentos, 87-96

189

418

12

1972

José Toscano

Maria Olinda Braga

Especialista da Divisão de Química

Microscopia quantitativa de clínqueres e cimentos Portland, 125-135

Publicado em Memória N º 420, Microscopia quantitativa de clínqueres e cimentos Portland (LNEC, 1973)

190

420

09

1974

José de Oliveira Paulo

Eng. L. Veiga da Cunha

Chefe da Divisão de Hidráulica Fluvial

O ensino da engenharia de recursos hídricos, 223-226

Publicado em Memória N º 456, O ensino da engenharia de recursos hídricos (LNEC, 1974)

Apresentado no 1º Congresso Nacional sobre Degradação do Ambiente e Combate à Poluição, junho 1974

191

420

09

1974

José de Oliveira Paulo

Eng. Acácio da Conceição

Especialista do Serviço de Materiais de Construção

O neopreno como tapa-juntas em pontes e pavimentos rodoviários, 239-249

Publicado em Memória N º 459, O neopreno como tapa-juntas em pontes e pavimentos rodoviários (LNEC, 1974)

192

421

10

1974

José de Oliveira Paulo

Eng. E. R. de Arantes e Oliveira, eng. R. Teixeira Duarte*

* Estagiário para Especialista

Um método de forças fictícias para a resolução de problemas geometricamente não lineares, 7-12

193

423

01

1975

José de Oliveira Paulo

Eng. J. Ferry Borges*, Eng. A. Ravara**, Eng. J. Pereira**, Eng. V. Monteiro***

* Diretor ; ** Investigador ; *** Especialista

Metodologia para o estudo sísmico de edifícios prefabricados por painéis, 121-126

Publicado em Memória N º 468, Metodologia para o estudo sísmico de edifícios prefabricados por painéis (LNEC, 1975)

Apresentado no 4º Simpósio Europeu de Engenharia Sísmica, Imperial College, Londres, setembro 1972

194

423

01

1975

José de Oliveira Paulo

Eng. A. de Sousa Coutinho

Investigador

Investigações sobre a “proposta para a restruturação dos cursos de engenharia civil”, 165-166

195

427

06

1975

José de Oliveira Paulo

Eng. Hélder Coelho

Divisão de Informática

Memorando sobre a inteligência artificial, 329-342

196

427

06

1975

José de Oliveira Paulo

Eng. P. Martins da Silva

Especialista do Serviço de Edifícios

Pavimentos flutuantes. Ensaio em modelo para qualificação do isolamento à transmissão de ruídos de percussão, 349-354

Publicado em Memória N º 472, Pavimentos flutuantes. Ensaio em modelo para qualificação do isolamento à transmissão de ruídos de percussão (LNEC, 1975)

197

429

10

1975

Delmar Batista

Eng. F. Lacerda e Megre, Eng. L. Veiga da Cunha*

* Chefe da Divisão de Hidráulica Fluvial

Utilização de modelos aerodinâmicos no estudo de problemas fluviais, 13-23

Publicado em Memória N º 474, Utilização de modelos aerodinâmicos no estudo de problemas fluviais (LNEC, 1976)

198

435

10

1976

Delmar Batista

Eng. Pompeu dos Santos

Estagiário para Especialista do Serviço de Edifícios

Matriz dos coeficientes técnicos da indústria da construção, 59-72

Publicado em Memória N º 480, Matriz dos coeficientes técnicos da indústria da construção (LNEC, 1977)

Resumo do relatório Matriz de relações industriais na construção (LNEC, Novembro 1975)

199

439

03

1977

Delmar Batista

Eng. F. Peres Rodrigues

Especialista

Cónicas. Estudo das principais características a partir da sua equação focal, 445-460

Publicado em Memória N º 485, Cónicas. Estudo das principais características a partir da sua equação focal (LNEC, 1977)

200

443

10

1977

Delmar Batista

Eng. J. Laginha Serafim

Desastres de barragens. O caso de Teton, 7-17

Apresentado em palestra no LNEC

201

445/

446

01

1978

José Luís S. V. Azevedo

Eng. Ruy José Gomes

Investigador LNEC, Engenheiro Chefe do Serviço de Edifícios

Necessidades humanas e exigências funcionais da habitação, 191-215

Publicado em Memória N º 501, Necessidades humanas e exigências funcionais da habitação (LNEC 1978)

Apresentado no Congresso 77/OE, Ordem dos Engenheiros (1977)

202

445/

446

01

1978

José Luís S. V. Azevedo

Eng. José A. Teixeira Trigo

Especialista e Chefe da Divisão de Processos de Construção do Serviço de Edifícios

Industrialização e qualidade da construção, 221-230

Apresentado no Congresso 77/OE, Ordem dos Engenheiros (1977)

203

445/

446

01

1978

José Luís S. V. Azevedo

Eng. Pompeu dos Santos

Estagiário para Especialista da Divisão de Processos de Construção do Serviço de Edifícios

As ligações em estruturas pré-fabricadas de betão, 239-254

Publicado em Memória N º 505, As ligações em estruturas pré-fabricadas de betão (LNEC 1978)

Apresentado no Congresso 77/OE, Ordem dos Engenheiros (1977)

204

448

03

1978

José Luís S. V. Azevedo

Eng. José A. Teixeira Trigo

Especialista e Chefe da Divisão de Processos de Construção

Tecnologias da construção de habitação, 463-483

Publicado em Memória N º 507, Tecnologias da construção de habitação (LNEC 1978)

205

454

11

1979

José Luís S. V. Azevedo

Isabel Lourtie, Francisco Carvalhal* e Pedro Lourtie

* Especialista

Projeto apoiado em computador de Sistemas de Controlo, 97-109

206

456

01

1980

José Luís S. V. Azevedo

F. Peres Rodrigues

Investigador

Evolutas das cónicas. Estudo das suas principais características, 201-212

Publicado em Memória N º 538, Evolutas das cónicas. Estudo das suas principais características (LNEC 1980)

207

459

06

1980

José Luís S. V. Azevedo

Francisco Carvalhal*, Isabel Lourtie e Pedro Lourtie

* Especialista

Projeto apoiado em computador de Sistemas de Controlo. Bloco operacional, 355-368

Notas : * Diretores da revista Técnica : Vaz Guedes e Centeno Castanho (Nº 1 a Nº 5, dezembro 1925-julho 1926) ; Castro Cabrita (Nº 6 a Nº 9, janeiro 1927-dezembro 1927) ; Carlos Rebelo da Silva (Nº 10, janeiro 1928) ; Teixeira Lopes (Nº 11 a Nº 14, fevereiro 1928-maio 1928) ; António da Silveira (Nº 15 a Nº 18, novembro 1928-fevereiro 1929) ; Henrique Vieira (Nº 22 a Nº 29, novembro 1929-Junho 1930) ; Metello de Nápoles (Nº 30 a Nº 38, novembro 1930-novembro 1931) ; Paulo de Barros (Nº 39 a Nº 54, dezembro 1931-novembro 1933) ; Sérgio Fernandes Medeiros (Nº 55 a Nº 69, dezembro 1933-novembro 1935) ; António de Carvalho Xerez (Nº 71 a Nº 77, janeiro 1936-julho 1936) ; Manuel Bravo (Nº 80 a Nº 86, dezembro 1936-junho 1937) ; Luís Lobato (Nº 87 a Nº 95, novembro 1937-julho 1938) ; Roberto M. Charters de Azevedo (Nº 96 a Nº 104, novembro 1938-julho 1939) ; Manuel Duarte Gaspar (Nº 105 a Nº 113, novembro 1939-julho 1940) ; Carlos Krus Abecassis (Nº 114 a Nº 122, novembro 1940-julho 1941) ; Nuno Abrantes (Nº 123 a Nº 131, novembro 1941-julho 1942) ; Luís e Almeida Alves (Nº 132 a Nº 140, novembro 1942-julho 1943) ; José de Lucena (Nº 141 a Nº 149, novembro 1943-julho 1944), Fausto Gonçalves Henriques (Nº 150 a Nº 158, novembro 1944-julho 1945) ; António Bustorff (Nº 159 a Nº 167, novembro 1945-julho 1946) ; Fernando Manzanares Abecassis (Nº 168 a Nº 176, novembro 1946-julho 1947) ; Fernando Jácome de Castro (Nº 177 a Nº 185, novembro 1947-julho 1948) ; Henrique Estácio Marques (Nº 186 a Nº 194, novembro 1948-julho 1949) ; José Maria Avillez (Nº 195 a Nº 204, outubro 1949-julho 1950) ; Luís da Cunha Ferraz (Nº 205 a Nº 214, outubro 1950-julho 1951) ; Manuel Agudo Marques Maia (Nº 215 a Nº 224, outubro 1951-julho 1952) ; Manuel Alves Marques (Nº 225 a Nº 234, outubro 1952-julho 1953) ; José Manuel da Cruz Morais (Nº 226 a Nº 244, outubro 1953-julho 1954) ; Fernando Marques de Oliveira (Nº 245 a Nº 254, outubro 1954-julho 1955) ; José do Sacramento Costa (Nº 255 a Nº 264, outubro 1955-julho 1955) ; Jorge do Nascimento Valério (Nº 265 a Nº 274, outubro 1956-julho 1957) ; Carlos Manuel de Medeiros Portela (Nº 275 a Nº 284, outubro 1957-julho 1958) ; José Joaquim Delgado Domingues (Nº 285 a Nº 294, outubro 1958-julho 1959) ; Alexandre Cerveira (Nº 295 a Nº 304, outubro 1959-julho 1960) ; Jorge Gonçalves Calado (Nº 305 a Nº 314, outubro 1960-julho 1961) ; Miguel Falcão (Nº 315 a Nº 320, outubro 1961-março 1962) ; J. M. Viegas Gonçalves, A. Romão Dias, J. F. Gomes de Pina, A. Alves Macedo e A. M. L. Esteves Brinca (Nº 321 a Nº 322, outubro 1962-novembro 1962) ; J. M. Viegas Gonçalves, A. Romão Dias, J. F. Gomes de Pina, A. M. L. Esteves Brinca (Nº 323 a Nº 330, dezembro 1962-julho 1963) ; J. M. Viegas Gonçalves, J. F. Gomes de Pina, F. G. Knopfli Batoreu, A. M. L. Esteves Brinca (Nº 331 a Nº 332, outubro 1963-novembro 1963) ; J. M. Viegas Gonçalves (Nº 333 a Nº 340, dezembro 1963-julho 1964) ; J. F. Gomes de Pina (Nº 341 a Nº 350, outubro 1964-julho 1965) ; Assis Farinha Martins (Nº 351 a Nº 370, outubro 1965-julho 1967) ; Vítor M. M. Pinto (Nº 371 a Nº 381, outubro 1967-setembro 1968) ; João M. Pereira, João Soares Alves, Rui Coutinho Tenrinha, Silvério de Sousa Mendes (Nº 382 a Nº 390, novembro 1968-julho 1969) ; João Soares Alves (Nº 391 a Nº 401, outubro 1969-outubro 1970) ; Silvério de Sousa Mendes (Nº 402 a Nº 408, novembro 1970-maio 1971) ; Guilherme Silva Arroz (Nº 409 a Nº 415, junho 1971-fevereiro 1972) ; José Toscano (Nº 416 a Nº 419, outubro 1972-janeiro 1973) ; José de Oliveira Paulo (Nº 420 a Nº 428, setembro 1974-julho 1975) ; Delmar Batista (Nº 429 a Nº 444, outubro 1975-novembro 1977) ; José Luís S. V. Azevedo (Nº 445/446 a Nº 462/463, dezembro 1977/janeiro 1978-junho/agosto 1981) ; Interino Carlos Figueiredo (Nº 464, junho 1983).

Fonte : Elaboração própria.

Topo da página

Notas

1 O LEC passou a designar-se LNEC em 1952, quando inaugurou o novo campus da Avenida do Brasil (Fernandes, 2007: 58).

2 Entre 1961 e 1969, a DCH contou com mais de sete dezenas de publicações editadas pelo LNEC, destacamos: (Cabral, 1968), (Costa e Portas, 1966), (Dias, 1969), (Pereira, 1967), (Pereira e Portas, 1967 e 1969), (Portas, 1964 e 1965), (Portas e Gomes, 1963a e 1963b), (Portas e Pereira, 1967).

3 Tema de interesse de Nuno Portas que procurou anunciar as diferenças entre as carreiras de arquiteto, engenheiro civil e urbanista – “enquanto para o urbanista e o arquitecto se podiam distinguir campos diferentes e contíguos – ainda que ambos arquitectem, isto é, organizem formal e funcionalmente espaços habitáveis – já para o arquitecto e o engenheiro(s) civil(s) o campo, o objeto a criar, é um e o mesmo, enquanto são os níveis de intervenção e as óticas que se diferenciam conforme um trata do organismo e os outros certas partes constituintes dele, apenas artificiosa ou danosamente separáveis” (Portas, 1964: 191).

4 Até aquele momento arquiteto colaborador da DCH.

5 Financiado pela Federação de Caixas de Previdência (FCP).

6 Financiado pela FCP e por diversos organismos do MOP e do Ministério do Ultramar.

7 Criada pelo DL N.º 49033, esta entidade que concentrava as competências relativas à promoção direta de habitação social para arrendamento.

8 Destacamos: (Byrne, Portas, 1970), (Cabrita, 1974, 1977 e 1978), (Cabrita, Portas, 1972), (Dias, Portas, 1971), (Gonçalves, 1974 e 1978), (Pereira, 1970a, 1970b e 1971), (Pereira e Gago, 1972; 1974 e 1978), (Portas e Cabrita, 1976).

9 Designação que prevalece até à entrada em vigor da Portaria Nº 507/2002 (30/04/2002), passando então a Núcleo de Arquitetura e Urbanismo.

10 Destacamos (até 1984): (Cabrita, 1983a, 1983b e 1984), (Cabrita e Paiva, 1981), (Campos, 1983), (Coelho e Cabrita, 1983), (Gago, 1983), (Gonçalves, 1980, 1982a e 1984), (Pereira, 1982, 1983a, 1983b e 1984).

11 Opção “natural, que decorreu de um conhecimento mútuo e do trabalho em comum desenvolvido ao longo dos últimos anos no Laboratório” (Bandeirinha, 2011: 110). Manuel Rocha ocupou o cargo de Ministro do Equipamento Social e do Ambiente (16/05/1974-17/07/1974).

12 Disponível na Biblioteca da Ordem dos Arquitectos.

13 Disponível na Biblioteca da Ordem dos Arquitectos.

14 Disponível em https://aeist.pt/revista-tecnica/

15 Por exemplo, engenheiros/arquitetos do LNEC que nestes periódicos apresentam igualmente trabalhos/projetos/textos da sua autoria.

16 Grupo constituído em Lisboa (1946) por cerca de trinta jovens arquitetos em torno de Francisco Keil do Amaral com o fim de afirmar a Arquitetura Moderna pela sua racionalidade e fundamentos éticos e sociais, rejeitando as imposições ideológicas do Estado Novo.

17 No princípio do século XX existiam duas revistas, A Construcção Moderna e Arquitectura Portuguesa com duração e séries diversas. A Sociedade dos Arquitectos Portugueses (1902-1933) publicou um anuário nos primeiros anos dessa centúria. O Sindicato Nacional dos Arquitectos (1933-1974) publicou os catorze números da Revista Oficial do Sindicato Nacional dos Arquitectos entre 1938 e 1942. Depois, só em 1981, é que a Associação dos Arquitectos Portugueses (AAP) começa a publicar o Jornal Arquitectos que se transformou em revista e existe ainda hoje.

18 Basta lembrar as referências ao livro ou aos seus conteúdos por Amos Rapoport (1972) e Bernard Rudofsky (1964).

19 Habitação Social: Teotónio Pereira e Carlos Duarte; Planeamento: Francisco Silva Dias e Leopoldo Castro Neves de Almeida; Ensino: Raúl Hestnes Ferreira; Design: Maria João Leal; Arquitetura Paisagista: Gonçalo Ribeiro Telles; Artes Plásticas: José Augusto França; e Construção e Equipamento: António Lobato Faria. Nuno Portas foi também membro da comissão diretiva e redação da Arquitectura (desde o Nº 63, dezembro 1958, até meados da década de 1970).

20 Muito próximo do atelier de Teotónio Pereira com o qual Nuno Portas também trabalhava (desde 1957).

21 É também de assinalar a abertura ao design.

22 Nomeadamente, Formozinho Sanchez, Alberto Pessoa, Raul Chorão Ramalho, Francisco Keil do Amaral, Victor Palla e Bento d’Almeida, Conceição Silva, entre outros.

23 Chefe de redação da Arquitectura Portuguesa (4ª série).

24 Para além da revista Técnica publicada pelos estudantes do IST, as Escolas de Belas de Artes de Lisboa e Porto publicavam boletins.

25 Antes da revista Técnica houve uma outra publicação dos alunos do IST, a revista Técnica Industrial (Nº 1 a Nº 13/14/15, outubro 1915-janeiro/fevereiro/março 1918).

26 Com algumas exceções e interrupções, nomeadamente durante os meses de verão e a partir da 2ª edição que, a partir de 1984, passa a ter uma edição trimestral.

27 Em 1953 engenheiro tirocinante do LNEC.

28 Diretor do Serviço de Hidráulica do LNEC (1948-1984).

29 Diretor do LNEC (07/04/1954-19/03/1974).

30 Sendo o SNA uma organização corporativa e, como tal, não tendo como objetivo a investigação em arquitetura e urbanismo, é preciso lembrar que, a partir do 1º Congresso Nacional de Arquitetura (1948) uma nova geração de arquitetos chegou à sua direção. Como referido, o Inquérito à Arquitetura Regional foi uma das suas iniciativas e correspondeu a uma investigação organizada e sistemática, continuada para os Açores na década de 1990 pela AAP, bem como para a arquitetura erudita em Portugal no início do século XXI, com o IAPXX - Inquérito à Arquitetura do Século XX em Portugal, pela Ordem dos Arquitectos.

31 Segundo Decretro-Lei Nº 34/607, 15/05/1945 (Marat-Mendes et al., 2014).

32 Dirigida pelo importante crítico e arquiteto Ernesto Nathan Rogers (1909-1969) entre as décadas de 1950 e 1960.

33 Iniciada em 1896.

34 Publicada desde a década de 1920.

35 Desde 1895.

36 Iniciada em 1941.

37 Interessado em pintura e desenho de mobiliário, foi responsável pelo desenho do mobiliário dos laboratórios, gabinetes, salas de reunião e de direção do LNEC (Freire et al., 2017).

38 Publicado como relatório do LNEC (1961) e como Memória Nº 179 (1962).

39 1º Projeto da autoria do arquiteto Raúl Tojal e do engenheiro Ângelo Ramalheira; 2º projeto da autoria do arquiteto António Augusto Sá da Costa e do treinador Anselmo Fernandez (Inauguração 1956).

40 Projeto (1953-1956) de Teotónio Pereira e Bartolomeu Costa Cabral.

41 Que reconhece “a importância de um conveniente isolamento acústico nas habitações (cujas incidências da vida familiar foram sublinhadas no artigo ‘Sociologia da Habitação’, de P. Chombart de Lauwe, aparecido no Nº 68 de Arquitectura)” (Gomes, 1961: 44).

42 Apresentado no Colóquio Internacional de Pré-Fabricação (Lisboa, abril 1968).

43 The National Swedish Institute for Building Research 5 (1968).

44 “Conjunto de séries constituído pelas publicações, em geral de carácter monográfico, sobre temas de ciência e tecnologia, e abrangendo as diversas áreas de intervenção do LNEC” (LNEC, 2006).

45 Organizado pelo MOP e realizado no LNEC (junho-julho 1969).

46 Sobre este mesmo tema realizou-se no LNEC um seminário sobre “Estratégias de política habitacional – formas evolutivas de habitação” (1972), que contou com a participação do arquitecto brasileiro Carlos Nelson dos Santos (1943-1989). Também em Barcelona (Castelldefels), no Simposium sobre Arquitectura, História y Teoria de Los Signos, Nuno Portas apresentou a comunicação intitulada “Teoria de las tipologias como estruturas generativas en el marco de la producción urbana” (Rocha, 1972b: 68).

47 E a partir de junho 1971, diretor da revista Luso-Brasileira Geotecnia.

48 Nº 24, 32, 116, 123 e 164-165.

49 Este trabalho resultou de uma missão dos autores a Marrocos, “para proceder ao reconhecimento dos estragos causados em Agadir, pelo sismo de 29 de fevereiro de 1960” (Borges, 1961: 255) e foi também apresentado na II Conferência de Engenharia Sísmica que teve lugar em Tóquio (julho, 1960).

50 Publicado igualmente em Análise Social 20-21 (1968), pp. 43-56.

51 “Séries em que se apresentam os aspetos mais relevantes os estudos realizados, contendo em geral matéria original ou aspetos inéditos no domínio de conhecimentos em que se inserem” (LNEC, 2006). Memória Nº 399.

52 À época chefe do SEP do LNEC (Monteiro, 2004).

53 Da qual também fizeram parte os arquitetos Ignácio Peres Fernandes (Presidente) e J. M. Alves de Sousa e os engenheiros J. M. Ferreira da Cunha e A. Celestino da Costa.

54 Salvaguarde-se o facto de alguns dos artigos publicados não fazerem referência à unidade departamental e/ou à divisão/núcleo do qual é proveniente o autor. A análise cuidada a estes artigos não identificou, contudo, qualquer vínculo do autor ou do trabalho à DCH/DA/NA.

55 Contudo, este periódico foi responsável pela difusão das conclusões da Carta de Atenas, traduzidas por Teotónio Pereira e Costa Martins em “A Arquitectura e a Engenharia na Construção”, Técnica Nº 138 (maio 1943); “As Necessidades Coletivas e a Engenharia”, Técnica Nº 142 (dezembro 1943) e Nº 143 (janeiro 1944). Posteriormente, a revista Arquitectura publicou a Carta de Atenas na íntegra (Nº 20 a Nº 27, fevereiro 1948-dezembro 1948).

56 Técnica 329 (junho 1963), pp. 664.

57 Manuel Rocha foi docente no IST, designadamente nas cadeiras de Física (1936-1942) e de Resistência de Materiais (1941-1952) (LNEC, 2006).

58 Nº 260, 291, 294, 323, 342, 348, 351, 361, 362, 375, 383, 386, 404 e 411. Ferry Borges também publicou enquanto subdiretor/diretor do LNEC (1974-1984), Ver Nº 390, 392, 409, 413 e 423.

59 Publicado como Memória Nº 209 (1963).

60 Realizado no LNEC (setembro, 1966).

Topo da página

Índice das ilustrações

Título Figura 1. Estrutura orgânica do LEC 1946
Créditos Autores (DL, 1946).
URL http://journals.openedition.org/cidades/docannexe/image/1921/img-1.jpg
Ficheiro image/jpeg, 228k
Título Figura 2. Estrutura orgânica do LNEC 1961
Créditos Autores (DL, 1961).
URL http://journals.openedition.org/cidades/docannexe/image/1921/img-2.jpg
Ficheiro image/jpeg, 316k
Título Figura 3. Estrutura orgânica do LNEC 1971
Créditos Autores (DL, 1971).
URL http://journals.openedition.org/cidades/docannexe/image/1921/img-3.jpg
Ficheiro image/jpeg, 388k
Título Figura 4. Estrutura orgânica do LNEC 1979
Créditos Autores (DL, 1979).
URL http://journals.openedition.org/cidades/docannexe/image/1921/img-4.jpg
Ficheiro image/jpeg, 468k
Topo da página

Para citar este artigo

Referência eletrónica

Patrícia Bento d’Almeida, Teresa Marat-Mendes e Michel Toussaint, « A publicação da investigação científica produzida no LNEC nas revistas Arquitectura, Binário e Técnica », Cidades [Online], 39 | 2019, posto online no dia 31 dezembro 2019, consultado o 28 janeiro 2020. URL : http://journals.openedition.org/cidades/1921

Topo da página

Autores

Patrícia Bento d’Almeida

Instituto Universitário de Lisboa, DINÂMIA’CET-IUL, Portugal, patricia.bento.almeida [at] iscte-iul.pt

Teresa Marat-Mendes

Instituto Universitário de Lisboa, DINÂMIA’CET-IUL, Portugal, teresa.marat-mendes [at] iscte-iul.pt

Michel Toussaint

Centro de investigação em Arquitectura, Urbanismo e Design, CIAUD-FAUL, Portugal, micheltoussaint46 [at] gmail.com

Topo da página
  • Logo DINÂMIA’CET – Centre for Socioeconomic and Territorial Studies
  • Logo ISCTE-IUL – Instituto Universitário de Lisboa
  • Logo FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  • Logo Latindex
  • Logo DOAJ - Directory of Open Access Journals
  • OpenEdition Journals