Navigation – Plan du site

Editorial do número 35

Editorial of issue 35Éditorial du numéro 35
Hervé Théry et Neli Aparecida de Mello-Théry
Traduction(s) :
Editorial du numéro 35

Texte intégral

  • 1 Equivalente francês do CNPq, mas com um corpo permanente de 11 000 pesquisadores titulares, mais 7  (...)

1O CNRS (Centro Nacional de Pesquisa Científica1) nos escreveu em 10 de abril de 2018: “Tenho a honra de informar que, após a análise do seu processo, o Instituto de Ciências Humanas e Sociais decidiu apoiar a sua revista Confins para os anos de 2018 e 2019”. Abaixo estão trechos do relatório da Comissão Cientifica do Comitê Nacional de Pesquisa que levou o CNRS a tomar essa decisão:

  • 2 Respetivamente 403 284 et 828 481 em 2017.

2“Confins difunde conhecimento sobre o espaço brasileiro, mas também aquele produzido sobre o mundo pela comunidade brasileira. As abordagens comparativas, especialmente franco-brasileiras, são encorajadas [...] Quanto ao conteúdo, a contribuição da revista é mais original: diversidade, atualidade, curiosidade nos temas abordados. Mesmo se a revista permanece centrada sobre o Brasil, ela aborda regularmente outras áreas geográficas para iluminar processos: desertificação na Tunísia; colonização de Landes de Gascogne XVIII-XIX, a migração das Comores ... [...] Em 2017, a revista apresentou a tradução em português de artigos originalmente publicados em francês, com o apoio do departamento de idiomas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul [...] O processo de publicação é eficiente, pois em média nove meses separam o envio da publicação online. [...] Desde a sua criação, o público, especialmente no Brasil, é cada vez maior de 11.000 visitantes diferentes em 2007 para 395.600 no final de 2016, com 878.111 downloads2. [...] A revista oferece publicações de qualidade. Sua governança oferece garantias quanto à qualidade científica dos artigos publicados. No panorama das revistas francesas, o seu posicionamento é único, tanto em termos de área geográfica quanto das práticas de publicações em língua estrangeira. Tem um público sólido, em grande parte localizado no exterior. Tendo em conta estes elementos, a Seção expressa um parecer muito favorável do apoio do CNRS a Confins”.

3Queremos informar nossos leitores sobre esta decisão e agradecer aos autores e membros de nossos comitês, porque é em grande parte a qualidade das propostas apresentadas pelo primeiro grupo e o trabalho voluntário deste último que garante a qualidade da revista, para o qual a decisão do CNRS constitui um reconhecimento, na França, paralelo ao que já ganhou no Brasil pela classificação da Capes (Qualis A2).

4Este número 35 é especial porque, como diziamos no editorial do número 34, “decidimos – para que os tempos de publicação não fiquem muito longos – publicar neste ano uma quinta edição[...]. Obviamente não vamos reclamar de ser [...] “vítimas do nosso sucesso” e, ao contrário, agradecer aos candidatos-autores pela confiança que depositou em nós.

5Este número é também especial por não ter dossiê temático (os quais estão programados para futuras edições até 2020) e por isso ele é um número varia, como é chamado no jargão editorial. E, de fato, é variado em termos de tópicos e abordagens, confirmando a análise do CNRS.

6Um primeiro grupo de artigos trata da geopolítica continental ou global, com “As migrações dos jogadores brasileiros para o 'império do meio' do futebol chinês, de Bertrand Piraudeau (seguido de sua tradução para o português “As migrações dos jogadores brasileiros para o 'império do meio' do futebol chinês (tradução de Luana Penêdo, revisão de Patrícia Reuillard, ambas da UFRGS), e “Aliança do Pacífico e o tabuleiro geopolítico sul-americano”, de Tales Henrique Nascimento Simões.

  • 3 « O atlas do Estado de São Paulo: uma reflexão metodológica » (Confins 7, 2009), « Relevo do Estado (...)

7Um segundo grupo lida com métodos de cartografia, “Cartografia ambiental: um mapa de síntese”, de Marcello Martinelli (dando sequência a uma série artigos que estão entre mais lidos da revista3), e “Influência da acurácia de completude na delimitação de áreas de preservação permanente”, de Mayara Soares de Sousa e Tony Vinicius Moreira Sampaio.

8A Amazônia é o objeto comum dos textos “Globalização e integração territorial - o caso da região de Tefé, Amazonas”, de Kristian Oliveira Queiroz, “Dinâmica da paisagem em planícies de inundação amazônicas: o caso do Lago Grande do Curuai, Pará”, de Lucas Garcia Magalhães Peres, Helen Gurgel e Anne-Elisabeth Laques, e “NDVI aplicado na detecção de degradação de pastagens cultivadas”, de Elaine Lima Fonseca, Marília Locatelli e Eliomar Pereira Silva Filho.

9Nossos leitores irão então para o outro extremo do país, no Sul, com “O rural agrícola na metrópole: o caso de Porto Alegre/RS”, de Everton de Moraes Kozenieski e Rosa Maria Vieira Medeiros, e “Conhecendo e construindo a saúde pelo ambiente: uma proposta de leitura participativa e territorializada em saúde ambiental”, de Heloísa Canal e Roberto Verdum.

10A viagem continua em seguida na área de montanhas e planaltos centrais com “As regiões montanhosas e o planejamento de suas paisagens: proposta de zoneamento, de Roberto Marques Neto, “Mineração no roteiro da missão Cruls: ressignificação da fronteira no planalto central do Brasil”, de Adriano Gonçalves da Silva e Rita de Cássia Martins de Souza, “Conflitos e contradições no município de Ferros: o mineroduto Manabi”, de Bruno von Sperling e Doralice Pereira, e “30 anos de dinâmica espaço-temporal (1984-2015) da região de influência do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, Goiás”, de Mariana Santos da Silva, Helen Gurgel, Anne -Elisabeth Laques, Bruna Drumond Silveira e Rogério Vidal de Siqueira.

11Passando de textos baseados no lugar para outros baseados em temas, segue um grupo de artigos sobre o agronegócio e suas alternativas, “O papel da dimensão ambiental na ocupação do MATOPIBA”, de Junior Ruiz Garcia e José Eustáquio Ribeiro Vieira Filho, e “Capitalismo verde: populações locais sobre os mercados mundiais”, de Magda dos Santos Ribeiro.

12Finalmente, o interesse pela geografia histórica e cultural reúne “O 'sentido da colonização' na territorialização do capital no Médio São Francisco: um olhar sobre o processo em meados do Século XVIII”, de Erick Gabriel Jones Kluck, “As vicissitudes da toponímia nos confins geográficos. O exemplo do canal 'Messier' na Patagonia chilena, por Frédéric Aitken, Jean Numa Foulc, Pascal Mao e Nicolas Robinet, e “Em busca de um lugar ao sol: a viagem de Goethe à Itália”, de Geraldo José Diogo Filho.

13Seguem três projetos de pesquisa, “Recomposições recentes dos espaços rurais no sul do Brasil, visto através das práticas culturais dos jovens”, de Hélène Chauveau e Valmir Stropasolas, “A mercadologia transatlântica de um vegetal psicoativo, o guaraná entre remédio e alimento (1840-1921)”, de Bastien Beaufort e “Transportes e circulação: Fixos, fluxos e dinâmicas econômicas no estado de Mato Grosso do Sul”, de Ana Paula Pereira Camilo Pereira, que apresenta um programa de pesquisa em fase inicial.

14As imagens comentadas são originadas de um site que permite “Estimar a população em poucos cliques graças à NASA”, apresentado por René Somain; as resenhas são do Atlas du Brésil de Olivier Dabene e Frédéric Louault e do Atlas de la mondialisation de Laurent Carroué. Finalmente, o número “pega na estrada” com a crônica de campo de Thiago Oliveira Neto, “Uma viagem pela Manaus-Porto Velho”.

15Boa leitura - e boa viagem - a todos

Haut de page

Notes

1 Equivalente francês do CNPq, mas com um corpo permanente de 11 000 pesquisadores titulares, mais 7 000 doutorandos, pós-doutorandos e visitantes e 13 500 técnicos de apoio, presentes em 950 laboratórios, dos quais 96% em parceria com estabelecimentos de ensino superior.

2 Respetivamente 403 284 et 828 481 em 2017.

3 « O atlas do Estado de São Paulo: uma reflexão metodológica » (Confins 7, 2009), « Relevo do Estado de São Paulo » (Confins 7, 2009), « Clima do Estado de São Paulo » (Confins 8, 2010 et « Estado de São Paulo: aspectos da natureza » (Confins 9, 2010)")

Haut de page

Pour citer cet article

Référence électronique

Hervé Théry et Neli Aparecida de Mello-Théry, « Editorial do número 35 », Confins [En ligne], 35 | 2018, mis en ligne le 29 mai 2018, consulté le 20 août 2018. URL : http://journals.openedition.org/confins/12992

Haut de page

Auteurs

Hervé Théry

Articles du même auteur

Neli Aparecida de Mello-Théry

Articles du même auteur

Haut de page

Droits d’auteur

Licence Creative Commons
Confins – Revue franco-brésilienne de géographie est mis à disposition selon les termes de la licence Creative Commons Attribution - Pas d’Utilisation Commerciale - Partage dans les Mêmes Conditions 4.0 International.

Haut de page
  • Logo Revue soutenue par l’Institut des sciences humaines et sociales du CNRS
  • Logo DOAJ - Directory of Open Access Journals
  • Logo Index Latindex
  • Logo IHEAL (Institut des Hautes Études de l'Amérique Latine)
  • Logo CREDA (Centre de recherche et de Documentation sur les Amériques)
  • Logo USP (Universidade de São Paulo)
  • OpenEdition Journals