Navigation – Plan du site

Editorial do número 42

Editorial of issue 42
Éditorial du numéro 42
Hervé Théry et Neli Aparecida de Mello-Théry
Traduction(s) :
Editorial du numéro 42

Texte intégral

1Nos últimos três meses, as visitas ao site de Confins excederam 100.000 acessos: 100.419 em setembro, 113.924 em outubro e 124.518 em novembro. Portanto, o sucesso da revista é inegável, como pode ser visto na figura 1, que traça a evolução de seus leitores desde a sua fundação em 2007.

2Figura 1 Evolução dos leitores de Confins desde 2007

3A distribuição de leitores por país - limitada aos sete principais (que juntos representam 70% do total) - foi a seguinte em novembro de 2019:

Pays

Brésil

France

USA

Chine

Allemagne

Portugal

Canada

Pages

77 597

24 475

10 352

5 081

2 576

1 773

1 258

%

44,1

13,9

5,9

2,9

1,5

1,0

0,7

4Confins sendo uma “revista franco-brasileira”, não é de surpreender que o Brasil seja o país com mais leitores, mas observe-se que a proporção de pessoas que se conectam dos Estados Unidos, da China e da Alemanha está aumentando constantemente, relegando os outros principais países de língua portuguesa e francesa, Portugal e Canadá, para a 6ª e 7ª posição.

5Figura 2 País de origem das visitas ao site de Confins

Embora a proporção de leitores franceses diminua após um bom início (sem dúvida devido à falta de classificação por parte da Aeres / Hceres, nosso pedido de reconhecimento apresentado em 2013 ainda não foi examinado), Confins continua mantendo seu lugar - e até o amplia um pouco - entre as revistas de geografia francesas no OpenEdition.

6Figura 3 Confins entre as revistas francesas de geografia na OpenEdition

Outro indicador ao qual prestamos muita atenção, a duração média entre a chegada de uma proposta de artigo e a sua publicação, após avaliações e elaboração de uma segunda versão, leva em torno de 8 meses.

7Figura 4 Prazo médio para publicar artigos na Confins

8Para continuar essas tendências positivas no futuro, nos próximos anos, decidimos ampliar e rejuvenescer a equipe editorial da revista. Conforme mencionado no editorial da edição 41, Raimundo Nonato Júnior nos ajudou no layout. Nesta edição, tivemos o apoio de Marcelo Pires Negrão, da Universidade de Angers. Ambos foram incluídos na coordenação editorial e aparecem como tal na página que descreve os comitês da revista (https://journals.openedition.org/​confins/​34) e na seção “Informaçãoes legais e Créditos” (https://journals.openedition.org/​confins/​32).

9O número 42 da revista contém, como de costume, artigos do tipo “varia” (proposto livremente por seus autores), um dossiê coordenado por colegas convidados, um registro de pesquisa, imagens comentadas e resenhas.

10Os artigos “varia” formam três grupos. O primeiro trata da história do pensamento geográfico, começando com “ A construção do saber geográfico no Helenismo: II - As physiografias e a desmitificação de Gaia”, de Antonio Carlos Vitte e Márcio Henrique de Mello Pereira, seguido por dois textos de Dante FC Reis Junior, “Valores e circunstâncias do pensamento geográfico francês (parte um): a “Nouvelle Géographie” segundo os testemunhos de Henri Chamussy e Roger Brunet” e “ Entre a geografia da ciência e a prática da ciência geográfica: uma narrativa sobre personagens de Montpellier, França”.

11O segundo grupo é sobre a Amazônia, iniciado por “A produção de habitação social numa cidade amazônica” de nosso colega recém desaparecido José Aldemir de Oliveira e Crizan Graça de Souza. Em seguida vem “Expansão de redes viárias na Amazônia Oriental - Perimetral Norte, Amapá”, de Francinete da Silva Facundes, Ricardo Angelo Pereira Lima, Valdenira Ferreira dos Santos e “Dinâmicas Territoriais na Zona Costeira do Estado do Pará, Amazônia Brasileira”, por Gilberto de Miranda Rocha, Daniel Araújo Sombra Soares e Sérgio Cardoso de Moraes.

12O terceiro grupo trata das transformações das práticas sociais e espaciais, com “Crise rural multidimensional e políticas integradas: o caso do Recôncavo da Bahia”, de Philippe Jean Louis Sablayrolles, Fábio Luís Seixas Costa, Mayara Santiago do Carmo e Jánderson Santana Dos Santos, e “ Práticas espaciais de jovens indígenas no cotidiano da cidade de Dourados (MS)” de Solange Rodrigues da Silva e Adriano Michel Helfenstein.

13O artigo de síntese, formato mais longo justificado pela importância do assunto, e o tratamento amplo e preciso, intitula-se “As estatísticas localizadas no Brasil: um caleidoscópio de categorias territoriais”, de Cathy Chatel e Maria Encarnação Beltrão Sposito, vamos apostar que será muito útil para quem está trabalhando com estatísticas brasileiras

14O dossiê desta edição 42, coordenada por Helen Gurgel e Anne-Elisabeth Laques, reúne exemplos de aplicações em geografia, saúde e meio ambiente. Ele contem textos que tratam de territórios e doenças transmitidas por vetores, modelos aplicados ao estudo da dengue no Distrito Federal, identificação de aldeias em risco (IVR) da tripanossomíase humana africana no Níger, saúde urbana em o ensino de geografia em Olinda. Outros tratam de saúde e desastres no Brasil (uma reflexão sobre falhas de barragens), coprodução de conhecimentos entre cientistas e gestores públicos em saúde ambiental ou análise de comportamentos espaço-temporais de hospitalizações por diarréia e clima nas capitais brasileiras

15A rubrica “registro de pesquisa” é consagrada, desta vez, a uma reflexão apresentada por Sebastien Velut no 2º Congresso da Associação dos Brasilanistas Europeus (ABRE), “As singularidades do Brasil: fundamento ou álibi científico?”

16As “Imagens Comentadas” são, nesta edição, retiradas do l'Atlas historique mondial recentemente publicado por Christian Grataloup, “A história da humanidade contada em 515 mapas”. As resenhas são de livros recebidos pela revista, depois de “A odisséia de plantas silvestres e cultivadas, Revoluções de ontem e desafios de amanhã”, de Serge Hamon e finalmente - pela primeira vez- de um CD de músicas, “Paixão Brasil, diário de viagem cantado”, de Frédéric Pagès, uma viagem imaginária por todo o país, do Rio a Minas, de São Paulo à Amazônia, por um amante francês do Brasil desde quarenta anos, o que nos pareceu estar no lugar certo em uma revista franco-brasileira de geografia.

17Boa leitura a todos

Haut de page

Pour citer cet article

Référence électronique

Hervé Théry et Neli Aparecida de Mello-Théry, « Editorial do número 42 », Confins [En ligne], 42 | 2019, mis en ligne le 20 décembre 2019, consulté le 29 janvier 2020. URL : http://journals.openedition.org/confins/23718

Haut de page

Auteurs

Hervé Théry

Articles du même auteur

Neli Aparecida de Mello-Théry

Articles du même auteur

Haut de page

Droits d’auteur

Licence Creative Commons
Confins – Revue franco-brésilienne de géographie est mis à disposition selon les termes de la licence Creative Commons Attribution - Pas d’Utilisation Commerciale - Partage dans les Mêmes Conditions 4.0 International.

Haut de page
  • Logo Revue soutenue par l’Institut des sciences humaines et sociales du CNRS
  • Logo DOAJ - Directory of Open Access Journals
  • Logo Index Latindex
  • Logo IHEAL (Institut des Hautes Études de l'Amérique Latine)
  • Logo CREDA (Centre de recherche et de Documentation sur les Amériques)
  • Logo USP (Universidade de São Paulo)
  • OpenEdition Journals