Navigation – Plan du site

AccueilNuméros52Imagens comentadasGeografia da violência no Brasil

Imagens comentadas

Geografia da violência no Brasil

Géographie de la violence au Brésil
Geography of violence in Brazil
Confins

Texte intégral

1O Brasil é um dos países mais violentos do mundo. Nos dados disponíveis na escala mundial, ele estava em segundo lugar em 2018 com quase 60.000 mortes, superado apenas pela Nigéria. Em termos de homicídios por 100.000 habitantes, o Brasil ocupa apenas o décimo sexto lugar, mas atrás de países com populações muito menores, principalmente (exceto Lesoto, Venezuela, África do Sul, Nigéria e México) países pequenos da América Central e do Caribe.

Tabela 1 Número absoluto de homicídios e taxa por 100.000 habitantes

País

Número de homicídios

Posição

População em 2020 (milhões)

Homicídios por 100.000 habitantes

Ano

Posição

Por número absoluto

Nigéria

71 168

1

206,1

34,5

2016

11

Brasil

58 204

2

212,6

27,4

2018

16

Índia

42 494

3

1 380,0

3,1

2018

89

México

37 482

4

128,9

29,1

2018

14

África do Sul

21 292

5

59,3

35,9

2017

10

Estados Unidos

16 408

6

331,0

5,0

2018

72

Colômbia

12 896

7

50,9

25,3

2018

18

Rússia

11 980

8

145,9

8,2

2018

45

Venezuela

10 432

9

28,4

36,7

2018

7

Etiópia

10 108

10

115,0

8,8

2012

42

Por 100.000 habitantes.

Salvador

3 374

20

6,5

52,0

2018

1

Ilhas Virgens Americanas

51

125

0,1

49,3

2012

2

Jamaica

1 299

35

3,0

43,9

2018

3

Lesotho

933

46

2,1

43,6

2015

4

Honduras

3 855

19

9,9

38,9

2018

5

Belize

150

99

0,4

37,8

2017

6

Venezuela

10 432

9

28,4

36,7

2018

7

São Vicente e as Granadinas

41

133

0,1

36,5

2016

8

São Cristóvão e Névis

19

149

0,1

36,1

2012

9

África do Sul

21 292

5

59,3

35,9

2017

10

Bahamas

126

106

0,4

32

2017

12

Nigéria

71168

1

206,1

34,5

2016

11

Trinidad e Tobago

429

69

0,4

30,6

2015

13

México

37 482

4

128 ,9

29,1

2018

14

São Martinho

11

157

0,03

27,7

2016

15

Brasil

58 204

2

212,6

27,4

2018

16

Fonte: Banco Mundial. Número de homicídios recalculados a partir da taxa, que é o único dado disponível.

Figura 1 Homicídios no mundo em 2018

Figura 1 Homicídios no mundo em 2018

2Este número está aumentando constantemente, como pode ser visto no banco de dados, o criado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o portal “Atlas da Violência”, acessível on-line em https://www.ipea.gov.br/​atlasviolencia/​download/​24 / atlas-of-violence-2020

3Com base nestes dados, o Atlas da Violência é publicado anualmente. Ele visa retratar o quadro da violência no Brasil, principalmente utilizando dados do Sistema de Informação sobre Mortalidade, do Ministério da Saúde (SIM). Segundo esta fonte, 45.503 homicídios foram registrados no Brasil em 2019, ou 21,7 por 100.000 habitantes, uma taxa mais baixa do que em qualquer ano desde 1995.

4Entretanto, o declínio dos homicídios entre 2018 e 2019, em 22,1%, deve ser visto com muita cautela devido à deterioração da qualidade dos registros oficiais. Este processo começou em 2018, mas atingiu um nível nunca visto desde o início da série histórica, em 1979. Dados publicados no Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2020, que tem como fonte os relatórios produzidos pela polícia, indicam 47.742 mortes violentas intencionais em 2019, um valor 5% superior ao registrado pelo sistema do Ministério da Saúde.

5Enquanto em 2017 foram registradas 9.799 mortes como “mortes violentas por causa indeterminada” (MVCI), em 2019, o primeiro ano do mandato de Jair Bolsonaro, este número subiu para 16.648, um aumento de 69,9%. A porcentagem de MVCI no total de mortes violentas aumentou de 6,2% para 11,7% entre 2017 e 2019, um aumento de 88,8%.

6Apesar de seu título, o Atlas da Violência contém poucos mapas a nível estadual, mas fornece dados que permitem elaborar mapas muito mais precisos, na escala municipal. O mapa abaixo mostra que a violência, antes concentrada nas grandes cidades do Sudeste, notadamente Rio de Janeiro e São Paulo, é agora muito mais prevalente em outras regiões, notadamente na Amazônia e no Nordeste. É causado por violentos conflitos fundiários que se espalham na fronteira amazônica (que é também a principal região de trabalho escravo) e no Nordeste (onde as guerras de gangues se desenrolam), enquanto São Paulo conseguiu conter os sequestros e os piores efeitos das guerras entre traficantes de drogas.

Figura2 Homicídios por 100.000 habitantes e participação na mortalidade

Figura2 Homicídios por 100.000 habitantes e participação na mortalidade
Haut de page

Table des illustrations

Titre Figura 1 Homicídios no mundo em 2018
URL http://journals.openedition.org/confins/docannexe/image/40347/img-1.jpg
Fichier image/jpeg, 211k
Titre Figura2 Homicídios por 100.000 habitantes e participação na mortalidade
URL http://journals.openedition.org/confins/docannexe/image/40347/img-2.jpg
Fichier image/jpeg, 556k
Haut de page

Pour citer cet article

Référence électronique

Confins, « Geografia da violência no Brasil »Confins [En ligne], 52 | 2021, mis en ligne le 24 novembre 2021, consulté le 24 janvier 2022. URL : http://journals.openedition.org/confins/40347 ; DOI : https://doi.org/10.4000/confins.40347

Haut de page

Auteur

Confins

Articles du même auteur

Haut de page

Droits d’auteur

Licence Creative Commons
Confins – Revue franco-brésilienne de géographie est mis à disposition selon les termes de la licence Creative Commons Attribution - Pas d’Utilisation Commerciale - Partage dans les Mêmes Conditions 4.0 International.

Haut de page
  • Logo IHEAL (Institut des Hautes Études de l'Amérique Latine)
  • Logo CREDA (Centre de recherche et de Documentation sur les Amériques)
  • Logo USP (Universidade de São Paulo)
  • DOAJ - Directory of Open Access Journals
  • Latindex - Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal
  • Revue soutenue par l’Institut des sciences humaines et sociales du CNRS
    CNRS - Institut national des sciences humaines et sociales
  • OpenEdition Journals
Search OpenEdition Search

You will be redirected to OpenEdition Search