Navigation – Plan du site

AccueilNuméros54ResenhasNos Confins do Mundo Conhecido, n...

Resenhas

Nos Confins do Mundo Conhecido, no país dos Sármatas

Aux confins du Monde Connu, au pays des Sarmates
On the edge of the known world, in the land of the Sarmatians
Confins
Référence(s) :

Astérix et le Griffon Scénario Jean-Yves Ferri, dessins Didier Conrad, Éditions Albert René, 2021, tradução em português Astérix e o Grifo nas Edições Asa

Texte intégral

1A mais recente aventura do gaulês Astérix e do seu companheiro Obélix, é apresentada pela editora como uma “promessa de aventura nos Confins do Mundo Conhecido, em pleno território dos Sármatas”

2De acordo com o roteirista Jean-Yves Ferri “Os Romanos vão de surpresa em surpresa em busca do grifo, esse animal mítico referido em textos de autores da Grécia Antiga! O grifo no álbum é o animal sagrado de um xamã sármata. [...]. Mas à medida que avançam nos confins do Barbaricum, a dúvida vai assalta-los. A sua mentalidade de conquistadores vai então começar a enfraquecer… sobretudo porque o Astérix e o Obélix (sem esquecer o Ideiafix!), vindos em socorro dos Sármatas, não lhes vão facilitar a viagem!”

3O livro pode ser de interesse para os leitores de Confins de mais de uma forma. Primeiro, porque o homem encarregado por Júlio César de guiar a expedição Terrinconus (trocadilho com “terres inconnues », terra incognita) é um geógrafo (a quem ele chama de “meu bom geógrafo”).

Figura 1 César chama Terrinconus “meu bom geógrafo”

Figura 1 César chama Terrinconus “meu bom geógrafo”

Eu gosto deste animal aterrador, Terrinconus, meu bom geógrafo..., mas onde encontrá-lo?

4Em segundo lugar, porque a expedição romana é explicitamente enviada “aos confins do mundo”, e uma das imagens permite até mesmo um jogo de palavras entre “confins” e “confinados”, uma alusão óbvia à pandemia da COVID-19.

Figura 2 Nos Confins do mundo

Figura 2 Nos Confins do mundo

Estes limites me deixam ansioso. Sim, mal posso esperar para sair deste confinamento.

5O episódio também tem uma ligação com as notícias de março de 2022, mas desta vez provavelmente não intencional: o território que os romanos invadem em busca do grifo e o dos sármatas, um povo nómada que viveu a norte do Mar Negro entre o século VII a.C. e o século VI da nossa era, substituindo-se aos Citas na Ucrânia, ocupando a planície húngara e dominando todas as estepes entre o Ural e o Danúbio.

6Culturalmente e linguisticamente próximos aos Scythians - todos eles falavam uma língua indo-iraniana - os sarmatas também compartilharam sua preocupação com a paridade. Assim, as mulheres, vestidas e armadas como os homens, engajaram-se no combate com grande determinação e fúria. Eles estão na origem do mito das Amazônas, como descrito por Heródoto, que reapareceria quando, muito mais tarde, Francisco de Orellana pensou tê-los visto às margens de um rio sul-americano no coração da região que ainda leva seu nome, a Amazônia.

7Estas amazonas aparecem no texto e são a alma da resistência sarmatiana no livro

Figure 3 Terrinconnus apresenta ao Cesar uma amazona sarmatiana

Figure 3 Terrinconnus apresenta ao Cesar uma amazona sarmatiana

Uma cavaleira, ó César! Uma Amazônia sarmatiana capturada durante uma escaramuça nas fronteiras do bárbaro

8No entanto, por uma curiosa coincidência, o território dos Sármatas corresponde em grande parte ao da atual Ucrânia, ocupando toda a costa norte do Mar de Azov e do Mar Negro, até além do Dnieper, e uma boa parte das planícies que se estendem mais ao norte.

Figura 4 O território dos Sármatas

Figura 4 O território dos Sármatas

Par GrandEscogriffe — Travail personnel, CC BY-SA 4.0, https://commons.wikimedia.org/​w/​index.php?curid=94750364.

9Um exército conquistador avançando no território da atual Ucrânia e encontrando a resistência do povo local, que consideram bárbaros, mas apoiado por voluntários do ocidente para ajudá-los? Isto obviamente tem ressonância na guerra desencadeada pela invasão russa em 24 de fevereiro de 2022. A única diferença é que 2000 anos antes o exército conquistador estava avançando de oeste para leste e não o contrário, mas fora nesse aspecto o livro é profético, esperemos que o final feliz também seja.

Haut de page

Table des illustrations

Titre Figura 1 César chama Terrinconus “meu bom geógrafo”
Légende Eu gosto deste animal aterrador, Terrinconus, meu bom geógrafo..., mas onde encontrá-lo?
URL http://journals.openedition.org/confins/docannexe/image/44248/img-1.jpg
Fichier image/jpeg, 691k
Titre Figura 2 Nos Confins do mundo
Légende Estes limites me deixam ansioso. Sim, mal posso esperar para sair deste confinamento.
URL http://journals.openedition.org/confins/docannexe/image/44248/img-2.jpg
Fichier image/jpeg, 548k
Titre Figure 3 Terrinconnus apresenta ao Cesar uma amazona sarmatiana
Légende Uma cavaleira, ó César! Uma Amazônia sarmatiana capturada durante uma escaramuça nas fronteiras do bárbaro
URL http://journals.openedition.org/confins/docannexe/image/44248/img-3.jpg
Fichier image/jpeg, 627k
Titre Figura 4 O território dos Sármatas
Crédits Par GrandEscogriffe — Travail personnel, CC BY-SA 4.0, https://commons.wikimedia.org/​w/​index.php?curid=94750364.
URL http://journals.openedition.org/confins/docannexe/image/44248/img-4.png
Fichier image/png, 608k
Haut de page

Pour citer cet article

Référence électronique

Confins, « Nos Confins do Mundo Conhecido, no país dos Sármatas »Confins [En ligne], 54 | 2022, mis en ligne le 31 mars 2022, consulté le 05 juillet 2022. URL : http://journals.openedition.org/confins/44248 ; DOI : https://doi.org/10.4000/confins.44248

Haut de page

Auteur

Confins

Articles du même auteur

Haut de page

Droits d’auteur

CC BY-NC-SA 4.0

Creative Commons - Attribution - Pas d’Utilisation Commerciale - Partage dans les Mêmes Conditions 4.0 International - CC BY-NC-SA 4.0

https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0/

Haut de page
  • Logo IHEAL (Institut des Hautes Études de l'Amérique Latine)
  • Logo CREDA (Centre de recherche et de Documentation sur les Amériques)
  • Logo USP (Universidade de São Paulo)
  • DOAJ - Directory of Open Access Journals
  • Latindex - Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal
  • Revue soutenue par l’Institut des sciences humaines et sociales du CNRS
    CNRS - Institut national des sciences humaines et sociales
  • OpenEdition Journals
Search OpenEdition Search

You will be redirected to OpenEdition Search