Navigation – Plan du site

AccueilAppels à contributionAppels closAlimentação e políticas alimentar...

Alimentação e políticas alimentares nas cidades

Alimentation et politiques alimentaires dans les villes
Food and food policies in cities
Catia Grisa, Eric Sabourin, Valdemar Wesz Junior et Geneviève Cortes
  • 1 IPES-FOOD. What makes urban food policy happen? Insights from five case studies. IPES-Food, 2017. D (...)

Em 2017, o Painel Internacional de Especialistas em Sistemas Alimentares Sustentáveis (IPES-Food) publicou um relatório, cuja primeira frase da introdução assim afirmava: “As cidades estão diante de um dos problemas mais urgentes do nosso tempo: a alimentação” (IPES-Food, 2017, p. 04)1. Sociedades cada vez mais urbanizadas, dificuldades de acesso aos alimentos, elevada oferta de alimentos pouco saudáveis, insustentabilidade dos sistemas de produção e distribuição dos alimentos, perda da biodiversidade e ameaças das mudanças climáticas colocavam a alimentação na ordem do dia. Em 2022, cinco anos, o cenário não é muito diferente. Pelo contrário, diversos elementos – como a pandemia de Covid-19, a inflação alimentar, o agravamento das mudanças climáticas e os conflitos geopolíticos – reafirmam a fragilidade do abastecimento alimentar e das diversas problemáticas que permeiam os sistemas alimentares.

Organizado no bojo de um Projeto de Cooperação Internacional (Capes-Cofecub) que tem como tema “Sistemas agroalimentares e políticas públicas”, esse dossiê procura lançar luz sobre os diversos problemas alimentares vivenciados nas áreas urbanas e, igualmente, sobre as respostas que sociedade civil e governos vêm construindo para enfrentá-los. De modo particular, o dossiê está interessado em contemplar artigos que abordem as seguintes temáticas (e questões correlatas):

i) dinâmicas de abastecimento e consumo alimentar urbano (feiras, mercados públicos, mercados e supermercados, atacarejo, centrais de abastecimento, compras públicas, restaurantes, dark kitchens, conveniencialização da alimentação...);

ii) problemas alimentares urbanos (fome, obesidade, dificuldades de acesso a alimentos saudáveis, desertos e pântanos alimentares, mudanças decorrentes das mudanças climáticas...);

iii) movimentos, ativismos e dietas alimentares (slow food, agricultura urbana, vegetarianismo, veganismo, climatarianismo, flexitarianismo, freeganismo, Comunidades que Sustentam a Agricultura-CSA, grupos de consumidores, gastronomização, goumertização...);

iv) políticas públicas (formação da agenda, tipos de políticas, áreas de atuação, interação com planejamento urbano, avaliações...) e governança das políticas alimentares nos espaços urbanos (conselhos, conferências, pactos regionais e internacionais, redes internacionais...);

Procedimentos:

Os artigos devem estar de acordo com as seguintes regras:

É recomendado que o texto dos artigos tenha aproximadamente 30.000 caracteres (com espaços, inclusive títulos, palavras-chave, resumos, bibliografia e notas de rodapé). Os textos que representam um volume superior à 50.000 caracteres com espaços serão retornados ao(s) seu(s) autor(es) sem exame pelo Comitê de leitura. Por favor, verificar e seguir todas as orientações em “normas para publicação” (https://journals.openedition.org/confins/35).

Os artigos em português ou francês devem ser acompanhados de três resumos (máximo de 2.000 caracteres) em francês, português e inglês (para facilitar a indexação nas bases de dados bibliográficas, das quais as principais são anglófonas), de três a cinco palavras-chave temáticas em francês (mots-clés), português (palavras-chave) e inglês (keywords), em minúsculas e separadas por vírgulas, assim como uma localização geográfica (recorte territorial do artigo). O título deve também ser traduzido nos mesmos idiomas, em letras minúsculas, com apenas a letra inicial em maiúscula.

O uso de ilustrações (mapas, gráficos e fotografias) é altamente recomendável, não apenas porque “arejam” o texto, mas também porque, principalmente no caso dos mapas, fazem parte do raciocínio geográfico e dão suporte a ele. Cada uma só conta como um caráter no total autorizado.

Elas devem ser mandadas na sua forma definitiva, em formato.jpeg em alta resolução (300 dpi) e ser anunciadas no texto e numeradas com a ordem em que aparecem (imagem 1, 2, 3 / mapa 1, 2, 3 / gráfico 1, 2, 3) com o título da figura acima da imagem (nunca integrada nela), a legenda ou comentários e a fonte abaixo dela. Outros detalhamentos podem ser incluídos nas legendas das imagens.

Não incluir imagens justapostas. Se desejar/em publicar um grupo de imagens, agrupe-as em um software gráfico e inclua-as como uma única imagem, em formato .jpg ou .png, de modo a não causar problemas à diagramação. Neste caso, uma legenda deve indicar o conteúdo de cada imagem, localizando-as em sequência numeral (1, 2, 3, 4) com numeração individual marcada na figura.

Os quadros e tabelas devem ser inseridos no corpo do texto, numerados na ordem de aparição (tabela ou quadro 1, 2, 3). Se são complexos e devem aparecer exatamente como estão na proposta de artigo, fazer uma cópia da tela (em boa definição) e incluí-la no texto como imagem.

Notas de rodapé devem ser limitadas às indispensáveis, apenas comentários explicativos, e inseridas no fim da página, não no final do texto. Notas contendo traduções devem localizar a obra de referência e indicar se é tradução livre elaborada pelo autor. Nestes casos deve-se também limitar às estritamente indispensáveis.

Citações com menos de três linhas devem ser inseridas no texto, entre aspas. Citações com mais de três linhas são apresentadas, entre aspas, com recuo maior e em um corpo menor, com a página corresponde. (Exemplo: Le Goff, 1980, p. 134).

As referências bibliográficas são mencionadas no texto entre parênteses, com apenas indicações do nome do autor e da data de publicação (Exemplo: Costa, 2003). Não utilize letras capitais / caixa alta para as referências (Exemplo: Costa, 2003 e não COSTA, 2003). Todas estas referências serão incluídas na bibliografia de fim de artigo, que deve ser completo, na ordem alfabética dos autores (menção et alii a partir de cinco autores).

A primeira versão de todos os artigos passará por avaliação cega por pares, sendo assegurada a avaliação anônima mediante supressão da autoria, vínculos institucionais, endereço eletrônico e orcid dos autores. Em todo o restante do artigo deve ser assegurado o anonimato da autoria (bibliografia, crédito das ilustrações e tabelas). Na versão definitivao artigo deve conter, abaixo do título, a autoria, afilhação dos autores, endereço eletrônico e número Orcid.

Os artigos devem ser encaminhados para o seguinte e-mail: dossiealimentarconfins@gmail.com, de acordo com o seguinte cronograma:

Cronograma

  • Submissão dos artigos completos: até 31 de janeiro de 2023.

  • Resultado preliminar da avaliação dos artigos e pedidos de revisões: até 30 de abril de 2023.

  • Publicação do Dossiê: setembro de 2023.

Notes

1 IPES-FOOD. What makes urban food policy happen? Insights from five case studies. IPES-Food, 2017. Disponível em: https://ipes-food.org/_img/upload/files/Cities_full.pdf

Haut de page
Search OpenEdition Search

You will be redirected to OpenEdition Search