Navigation – Plan du site

AccueilNuméros62Editorial do número 62

Editorial do número 62

Editorial of issue 62Éditorial du numéro 62
Sébastien Velut e Hervé Théry
Traduction(s) :
Editorial du numéro 62 [fr]

Texte intégral

1Esta primeira edição de 2024 é a ocasião, como em todos os anos, de fazer um balanço da circulação da revista no ano anterior. Esse é o tema de um texto separado deste editorial (mas que o segue imediatamente), intitulado “Confins em 2023”, pois como agora temos estatísticas um pouco mais completas, pudemos refinar nossas análises.

2A primeira edição do ano também deveria ter sido a ocasião para proclamar o artigo vencedor do prêmio Neli Aparecida de Mello de 2023, mas circunstâncias alheias à nossa vontade nos impediram de escolher o vencedor de 2022 a tempo. Para recuperar o tempo perdido, organizamos uma votação (anônima e sem consulta entre nós) dentro da equipe de coordenação editorial e, ao mesmo tempo, lançamos uma consulta a todo o conselho editorial para escolher o vencedor de 2023, que anunciaremos na edição 63, em junho. Para não perdermos tempo mais uma vez, pedimos a Júlia Diniz de Oliveira (professora recém-eleita da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, em Natal) que assumisse a tarefa de monitorar o prêmio regularmente, ela concordou e nós lhe agradecemos calorosamente.

3Os trabalhos vencedores do primeiro e segundo prêmios de 2022 são “Turismo e reinvenção de tradições: a relação entre marketing turístico e folclorização da cultura na Estrada Real, Brasil” 1, de Carina Amorim Dutra, e “Le Havre: de ville reconstruite à patrimoine moderne” 2, de Jéssica Gomes da Silva e Ana Elisabete de Almeida Medeiros. O segundo é um artigo de autoras brasileiras sobre a França, uma atitude ousada que sempre incentivamos. As três autoras (ambos os prêmios são para mulheres) receberão em breve o certificado (desenhado por Júlia) atestando o sucesso, para que possam incluí-lo em seus currículos e nos próximos passos de suas carreiras.

4O início do ano é também um bom momento para anunciar a chegada de muitos traduções para o português de artigos originalmente publicados em francês, produzidos por alunos/as do mestrado em tradução da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, coordenados e editados por Patricia Reuillard. Elas estão disponíveis na seção que criamos para recebê-las, classificadas por ano, acessíveis na coluna da esquerda (em verde) do layout da nossa revista. Os de 2024 podem ser encontrados no seguinte endereço: https://journals.openedition.org/​confins/​55659 .

5As novas traduções estão listadas abaixo, cada uma com um link para a versão original em francês na edição em que foram originalmente publicadas:

  • O Brasil visto por François-Auguste Biard (1798-1882), de Confins

  • Crises sedimentares globais, de Sébastien Velut

  • A etnização do olhar através do turismo: etnografia de um parque temático étnico na Malásia (Sabah), de Bertrand Réau

    • 3 As vencedoras do 2º Prêmio Neli Aparecida de Mello 2022.

    Le Havre: de cidade reconstruída a patrimônio moderno, de Jéssica Gomes da Silva et Ana Elisabete de Almeida Medeiros3

  • As viagens de Elizabeth II, visitas muito seletivas em um império em declínio, de Claire Weishar, Marie-Françoise Fleury et Fulano de Thal

  • A incrível história da geografia, de Catherine Justin

  • Solstício de junho na França, na Índia e no Brasil, de Claire Weishar

  • Solstício de dezembro, de Claire Weishar.

6Nesta edição também inauguramos uma nova seção “As geografias da Geografia”, organizada pelo membro de nossa equipe de redação Raimundo Nonato Junior. Esta rubrica tem o objetivo de publicar artigos breves que apresentem a aplicação da Geografia em diferentes partes do mundo, suas perspectivas institucionais, teóricas, metodológicas e empíricas. Trata-se sobretudo de uma viagem pelo mundo, marcando no mapa as marcas que o conhecimento em Geografia deixa no globo, mostrando assim as muitas geografias desenhadas na paisagem pela pesquisa, o ensino e a prática da Geografia enquanto saber, conhecimento e ciência.

7Os três primeiros artigos desta edição 62 estão relacionados direta ou indiretamente a Minas Gerais: “Efeitos permanentes da poluição oriunda da ruptura da barragem da empresa Samarco em Mariana (Minas Gerais) sobre a planície costeira do Rio Doce, Espírito Santo”, de Cláudio Luiz Zanotelli, “As recentes falhas no gerenciamento de barragens de rejeito em Minas Gerais”, de Guilherme Eduardo Macedo Cota e Antônio Pereira Magalhães Junior e “Homicídios e desorganização social: o caso de Belo Horizonte”, por Rafael Augusto Reis da Mata, Alexandre M. A. Diniz e Antônio Hot Pereira de Faria.

8Os artigos a seguir tratam de questões econômicas e da organização do trabalho: “Divisão territorial do trabalho na indústria. A participação da mão de obra feminina” de Cleverson Alexsander Reolon e Eliseu Savério Sposito, “Levantamento sobre as associações e cooperativas de catadores de materiais recicláveis no município de Porto Alegre/RS e avanços na legislação”, de Anita Cristina de Jesus, Marc François Richter e Marta Martins Barbosa Prestes. Esse também é o caso, em diferentes campos, de “Grandes empreendimentos agroindustriais e evolução de indicadores socioeconômicos: o caso do Polígono Canavieiro Paulista”, de João Jaime de Carvalho Almeida Filho, Jonathas Magalhães Pereira da Silva e Marcos Roberto Martines, e “Garimpo de ouro e cooperativismo no Brasil: formalização e dispersão geográfica da atividade garimpeira” de Alan Ferreira de Freitas, Jean de Jesus Peres, Alair Ferreira de Freitas e Samuel Soares da Silva.

9A seção « Síntese » inclui um denso artigo de Eduardo Paulon Girardi, A concepção de representação (carto)gráfica para Roger Brunet: aportes para o desenvolvimento da Cartografia Geográfica Crítica”. O “Registro de Pesquisa” coletivo de Maurício Rizzatti, Natália Lampert Batista, Pedro Leonardo Cezar Spode, Romario Trentin, Eduardo Augusto Werneck Ribeiro e Cezar Augusto Crummenauer, trata do “Desenvolvimento de Cadastro Multifinalitário de baixo custo e plataforma web para sua atualização: contribuições de softwares livres e geotecnologias no planejamento territorial”. A “Crônica de campo” nos leva a uma viagem “Do Amapá ao Pará: uma rota pelos caminhos do Manejo Florestal Sustentável na Amazônia Legal” com Bruno Rogério Silva Cavalcante e Silvana Aparecida de Souza.

10As três « Imagens comentada » são « Brasil, país das segundas residências metropolitano-litorâneas” de Alexandre Queiroz Pereira, Eustogio Wanderley Correia Dantas e Kaio Duarte Vieira, “Os Estados brasileiros entre os países do mundo” e “O grande deslocamento da violência”, e as resenhas são dos livros S'approprier l'eau. Droits, espaces et pouvoirs au Chili, de Chloé Nicolas-Artero, Agricultura e espaços globalizados, de Ricardo Castillo e Mait Bertollo e La science géographique en France, de Anne Marie Claire Godlewska (traduzido por Paul Claval).

11Boa leitura a todas e todos.

Haut de page

Notes

1 URL : http://journals.openedition.org/confins/46955

2 URL : http://journals.openedition.org/confins/47345

3 As vencedoras do 2º Prêmio Neli Aparecida de Mello 2022.

Haut de page

Pour citer cet article

Référence électronique

Sébastien Velut e Hervé Théry, « Editorial do número 62 »Confins [En ligne], 62 | 2024, mis en ligne le 30 mars 2024, consulté le 19 avril 2024. URL : http://journals.openedition.org/confins/57045 ; DOI : https://doi.org/10.4000/confins.57045

Haut de page

Droits d’auteur

CC-BY-NC-SA-4.0

Le texte seul est utilisable sous licence CC BY-NC-SA 4.0. Les autres éléments (illustrations, fichiers annexes importés) sont « Tous droits réservés », sauf mention contraire.

Haut de page
Search OpenEdition Search

You will be redirected to OpenEdition Search