Navegação – Mapa do site

InícioApresentaçãoCall for papersVolume 15, número 28 (2020)

Volume 15, número 28 (2020)

Call for papers para Comunicação Pública n.º 28 (junho de 2020)

Dossiê temático: Notícias e públicos na era dos novos media: perceções e dinâmicas de consumo em rede

Editores:

Patrícia Silveira (IADE – Universidade Europeia, FCH – Universidade Católica) e Inês Amaral (FL- Universidade de Coimbra)

Línguas: Português; Inglês; Espanhol

Data limite para a submissão de artigos: 10 de fevereiro de 2020

As problemáticas inerentes às dinâmicas de produção, distribuição e consumo de informação de teor noticioso têm sido alvo, nos últimos anos, de inúmeros estudos académicos. Salienta-se, porém, a especial relevância, no presente, de haver uma maior produção científica em matérias que se dediquem a compreender e a analisar os novos panoramas mediáticos e informativos que se desenham em contexto digital, e que subsistem com o analógico, com implicações evidentes quer para os habituais modos de funcionamento das empresas mediáticas e jornalísticas, quer para as práticas de acesso à informação, os usos e as perceções do conceito de “notícia”. É neste contexto que sobressai a proposta para este número temático.

No novo ecossistema mediático, os media têm vindo a generalizar o pressuposto de audiências informadas. A este nível, há várias problemáticas que têm sido objeto de análise no campo do newsmaking que argumentam sobre a aparente potencialidade dos novos media ao nível da promoção de um maior debate público, do incentivo a uma participação política mais consciente e que, em simultâneo, questionam a permanência dos media enquanto gestores privilegiados do espaço público informativo.

Estes assuntos trazem implicações evidentes para o quotidiano dos cidadãos e, em particular, para o das gerações mais jovens, uma vez que se encontram em fase de conhecimento, de aprendizagem e de interpretação do mundo, privilegiando, cada vez mais, as plataformas digitais como meio de acesso às notícias. O quotidiano das novas gerações ocupa-se, hoje, destas ferramentas que transformam as suas formas de estar, de ser, de socializar, e de conhecer o mundo mediato e o imediato (Silveira & Amaral, 2018).

É, pois, no contexto das problemáticas apresentadas, que gostaríamos de propor alguns eixos para análise e discussão, centrando a abordagem no aprofundamento científico em torno das dinâmicas de receção mediática e noticiosa, presentes e futuras, lançando um olhar mais saliente sobre o desenvolvimento e a aquisição de competências de gestão, compreensão e pensamento crítico sobre os media e a atualidade informativa. Consideramos que as pesquisas em torno desta problemática se têm evidenciado, nos últimos anos. Nesta linha, neste número temático, ambicionamos contribuir para um conhecimento mais robusto a partir de investigações e textos académicos que privilegiem o entendimento e a análise científica sobre o modo como os cidadãos, e destes, em particular, a Geração Z, estão a consumir informação por via das plataformas digitais. Adicionalmente importa saber como estas práticas e, em última análise, como a informação de índole tão diversa com a qual contactam frequentemente (aqui, destacaríamos, por exemplo, as fake news), estão a ter implicações para a sua compreensão do mundo, a consciencialização das questões “sérias” das sociedades, e a participação cívica.

O conhecimento adquirido neste número poderá servir de base para o desenvolvimento e a implementação de estratégias que sejam eficazes na promoção de competências de leitura e de autonomia intelectual face às notícias. No campo da literacia mediática, a literacia para as notícias torna-se bastante relevante hoje devido à propagação de notícias falsas, constituindo-se esta questão como um dos maiores desafios do jornalismo, uma vez que a verdade é colocada em causa e a desinformação é instigada; fatores estes que podem ter sérias repercussões para a sociedade em geral, e para os mais jovens, tendencialmente mais suscetíveis, em particular. Gostaríamos, por isso, de potenciar a discussão em torno das dinâmicas de interação dos públicos, particularmente do segmento das novas gerações, com a atualidade, debruçando um olhar mais analítico sobre as suas perceções e interações com a informação e consumos em rede, considerando, em simultâneo, a implicação de fontes de consumo alternativas, como o Instagram ou o WhatsApp. Posicionar estas novas leituras no quadro global dos estudos sobre a emissão e a receção noticiosa impõe-se, pelo que no presente número ambicionamos contribuir para um debate mais alargado que, face ao panorama descrito, dê também espaço para propostas que desenhem e reforcem estratégias que visem que os cidadãos desenvolvam competências que lhes permitam ser mais críticos face à sua própria visão do mundo e, ao mesmo tempo, à perspetiva do mundo que lhes chega por via dos media, com vista a desenvolverem, em simultâneo, os seus valores cívico-políticos.

Tendo por base as problemáticas apresentadas, este número visa contribuir para o conhecimento científico em torno dos consumos mediáticos informativos, particularmente dos que se desenham em rede, destacando-se os seguintes tópicos para abordagem, embora não se limitando a estes:

  • Práticas de consumo noticioso e plataformas digitais

  • Novas gerações e literacia para as notícias

  • Media online e tendências futuras no consumo de informação

  • A era das fake news e as competências críticas na análise da informação

  • Novos media, engagement e participação cívica

  • Narrativas ‘alternativas’ e pós-verdade

  • Redes sociais, algoritmos e desinformação

  • Literacias críticas

DATAS IMPORTANTES:

Abertura da chamada de artigos: 28 de outubro de 2019

Data limite para a submissão de artigos: 10 de fevereiro de 2020

Data limite de envio do parecer final: 30 de abril de 2020

Entrega das versões finais: 15 de maio de 2020

Data de publicação do número: 30 de junho de 2020

Submissão dos artigos:

Os artigos devem ser submetidos através do modelo pré-formatado para submissão de artigos à Comunicação Pública (https://static.escs.ipl.pt/old/pdfs/investigacao/comunicacao_publica/CPublica-ESCS-Modelo.docx ) para o seguinte endereço electrónico cpublica@escs.ipl.pt. No assunto deve constar: Dossie temático 03_NPENM

Aceitam-se artigos em Inglês, Espanhol ou Português. As colaborações propostas à CP devem ser enviadas em Microsoft Word e conter resumo até 900 caracteres, 5 palavras-chave na língua em que estão escritos e também em inglês (no caso do artigo não estar escrito nesta língua) e os dados de identificação do autor (instituição, categoria, elementos de contacto e área de especialização). Os textos completos dos artigos, com bibliografias, anexos e referências não devem exceder os 50.000 caracteres, incluindo espaços, notas, bibliografia, quadros, imagens, etc.; os estudos, notas e recensões individuais não deverão ultrapassar os 10.000 caracteres. (Para mais informações consultar https://www.escs.ipl.pt/investigacao/revista-comunicacao-publica/normas-de-publicacao ).

Os autores individuais ou colectivos dos artigos publicados renunciam aos seus direitos de autor a favor da Comunicação Pública.

  • Logo Escola Superior de Comunicação Social
  • Logo DOAJ - Directory of Open Access Journals
  • OpenEdition Journals
Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search