Navegação – Mapa do site
Editorial

Uma leitura crítica do momento político e a importância da revista como espaço de reflexão

Desirée Guichard Freire, Floriano Godinho de Oliveira, Guilherme Ribeiro e Leandro Dias de Oliveira

Texto integral

1A Revista Espaço e Economia apresenta mais uma edição fazendo uma homenagem em sua capa à lembrança de um massacre ocorrido em novembro de 1988, na cidade de Volta Redonda, RJ, em que três operários perderam suas vidas, no mesmo ano em que se promulgava a atual Constituição brasileira, tida como Constituição Cidadã, promulgada em 05 de outubro de 1988. Não bastou uma constituição cidadã, pois as forças da repressão continuaram agindo com violência contra a vida.

2Em 2018, após a realização de eleições presidenciais pautadas pela defesa da violência, por parte do candidato eleito, contra as minorias etnicas e raciais; contra as manifestações e lutas de gênero e liberdade sexual; pela criminalização dos movimentos social que defendem as causas indígenas, culturais, de moradia, da terra para plantar e inúmeros ativismos sociais etc, dois lideres dos sem-terra são executados por homens encapuzados na cidade de Alhandra, no interior do estado da Paraíba.

3Uma constituinte dita cidadã, uma eleição dita democrática não são, portanto, garantias de respeito à vida e à democracia. Neste sentido, a partir do cenário de incertezas e violências em que o Brasil entra nesse quadrante temporal da imposição do projeto neoliberal que domina o país, o debate acadêmico, a produção científica, a reflexão sobre a produção da riqueza e sua justa distribuição, a investigação sobre a super exploração do trabalho, o desvelamento das estratégias de transferências de valor para os fundos de investimentos e capitais globalizados, a reflexão sobre as políticas territoriais e o pacto federativo, o aprofundamento teórico acerca das políticas públicas e do planejamento econômico territorial, entre outros inúmeros temas, se constituem desafios que precisam ser enfrentados.

4Isso porque as mudanças nas estruturas economias e políticas vivenciadas no mundo influem nos fundamentos e nas estratégias da organização econômica e nas relações de trabalho, atingindo particularmente (de forma aguda e profunda) o território, em face da forte dependência de investimentos públicos para fomentar seu dinamismo.

5Com efeito, no Brasil, a recente mudança do poder político e a imposição de práticas neoliberais, baseado em projeto alçado ao poder de forma não legítima, produz uma regressão significativa das mudanças que estavam em curso. O discurso hegemônico é contraditório com as ações, pois a coalizão que está no poder não está sendo capaz de reverter a crise econômica em que mergulharam o país, apesar das inúmeras e aceleradas transformações nos fundamentos das bases econômicas e sociais, com ações deletérias no que diz respeito aos gastos públicos e direitos trabalhistas. Assim, estamos diante de um novo quadro político, econômico e social, que já repercute na organização territorial no país.

6Assim, a Revista Espaço e Economia, como um canal de disseminação da produção acadêmica do campo instituído pela Geografia Econômica e pela Economia Regional, buscará aprofundar e aperfeiçoar sua linha editorial propondo para o próximo ano debates entorno do tema “transformações no capitalismo mundial e a produção social do espaço: novos arranjos territoriais e a economia política do desenvolvimento”, que será objeto do III Colóquio Espaço e Economia, organizado pelos pesquisadores dos núcleos de pesquisas que dirigem a revista. Com essa proposta procuraremos destacar as contribuições críticas que desvelem as contradições e conflitos observados nas ações instituídas pelo governo neoliberal que se avizinha e os efeitos econômicos, sociais e territoriais decorrentes dessas políticas.

7Neste número que ora apresentamos, queremos destacar a riqueza dos temas e artigos publicados e as novas seções que passarão a compor a estrutura da revista. Além dos artigos que apresentam investigações avançadas e/ou concluídas e a seção “trilha de pesquisa”, que mostram trabalhos em desenvolvimento, passaremos a publicar a seção “Dossiês” que agregarão textos apresentados em fóruns ou eventos e/ou que tenham sido especialmente elaborados para tratar de temas específicos. Publicaremos também a seção “Conexões”, com o intuito de divulgar trabalhos publicados em outras revistas, livros eletrônicos ou sites de interesses, publicando um pequeno resumo e link para o acesso direto do trabalho.

8Nesta edição, abriremos com um artigo que muito nos alegrou e que motivou a capa, pois se trata de uma defesa da vida, uma defesa de uma economia para a vida, enfatizando o que o autor, Prof. Dr. Luis Alvares Lozano, da UNAM, destacou como os quatro momentos da atividade econômica, quais sejam, a produção, a distribuição, a troca e o consumo da riqueza. Na sequência, merece atenção a apresentação realizada por Roberto Santos sobre a obra teórica do filósofo checo Radovan Richta, em que devela um profícuo debate de Richta com alguns críticos marxistas e não-marxistas sobre as contradições entre as forças produtivas e as relações de produção no capitalismo contemporâneo.

9Outro artigo que queremos destacar – Análise da crise do Subprime e os derivativos de créditos nos EUA – enfatiza as origens da derrocada da economia americana por estratégias de grupos financeiros, que acabaram por produzir a derrocada de milhares de pessoas, deixando-as sem emprego e sem moradia.

10Os dois artigos que se seguem destacam, cada um deles, processos fundamentais na compreensão das desigualdades sociais no Brasil, pois o primeiro, de Hiran e Isa Martins, enfoca o tema educação nos marcos do projeto neoliberal no Brasil e, no caso do artigo de Pedro Guimarães, uma abordagem inovadora no campo da Teoria Marxista da Dependência sobre a descriminação e segregação na incorporação dos trabalhadores afrodescendente, oriundos do período escravocrata no final do século XIX, mostrando uma das origens da segregação racial ainda vigente no Brasil.

11O debate sobre os serviços e equipamentos urbanos é trabalhado nos artigos seguintes, iniciando-se por uma caracterização importante sobre o que André Gonçalves denominou obsolescência espacial urbana, no qual enfatiza aspectos da teoria da localização e da renda fundiária urbana para caracteriza o que denomina de degradação em ambientes urbanos. Este trabalho é seguido por textos de Nelson Mabucanhene, do Instituto de Superior de Administração Pública de Mabuto, Moçambique, que destaca a ineficiencia da política de transporte na capital do país; de Felipe Ramão que analisa as transformações urbanas causadas pelos investimentos em turismo na cidade de Cabo Frio e o artigo de Alison e Amanda Nascimento, destacando as mudanças delineadas pela instalação de uma grande indústria no entorno da cidade de Imperatriz, no estado do Maranhão.

12Fechando a seção dos artigos, temos nesta edição o texto produzido coletivamente por economistas da Universidade Regional do Cariri, estado do Ceará, realizando uma importante análise sobre a atividade pecuarista e a exportação de carne bovina no Brasil.

13Nesta edição trazemos ainda o Dossiê – Processos e mudanças espaciais na Hungria. Nele, publicamos quatro artigos de colegas húngaros que apresentam temas diversificados que envolvem a economia e aspectos do desenvolvimento regional na Hungria e/ou envolvendo a Hungria, como na integração na União Europeia.

14O primeiro artigo, dos autores Ákos Jakobi, Brigitta Zsom e Zsófia Vida analisa o uso das tecnologias de informação e de comunicação como inseparável de várias esferas da vida cotidiana, destacando que esse fenômeno pode estar relacionado com uma perceptível influência sobre as desigualdades sócioeconômicas — as quais, necessariamente, admitem reflexos geográficos. No estudo se busca apreender o fenômeno tendo em conta que embora as diferentes camadas das desigualdades reflitam outras razões das disparidades na Era da Informação na Hungria, as desigualdades urbano-rural e centro-periferia são feições comuns à estrutura espacial.

15O segundo artigo analisa o desemprego estrutural na Hungria, a partir das taxas regionais de desemprego, destacando a qualificação da força de trabalho como um possível indicador de desequilíbrio. O estudo destaca a relação de entre empregos de profissionais de nível superior e a influência desta demanda para a geração de empregos menos qualificados. Para os autores há forte relação entre esses dois níveis de qualificação, sendo que, estimativas próprias sobre taxas de desemprego referentes a qualificações específicas mostram que um aumento na percentagem de possuidores de diplomas de nível superior diminui a taxa de desemprego dos trabalhadores com qualificação mais baixa.

16A intergração com a União Europeia é tratada no artigo de Máté Farkas e Pál Szabó, e destacam que a desigualdades regionais na União Européia tem aumentado tanto em termos políticos quanto econômicos. Para os autores, a incorporação de novos membros em 2004 desvelou a existência de fortes disparidades regionais, o que exige estudos e políticas importantes para a superação das desigualdades.

17Por fim, em um trabalho mais dedicado a cidade de Budapeste, Péter Baji, Márton Berki e Éva Izsák realizam uma revisão teórica sobre a cidade como fenômeno urbano e analisam as mudanças no centro histórico e econômico, decorrentes do desenvolvimento de uma nova estrutura econômica. Para os autores há uma forte relação entre a nova economia e as mudanças no centro, bem como na áreas próximas das áreas historicas da cidade.

18Desejamos boa leitura e bom proveito dos trabalhos aqui apresentados.

19Os editores

Topo da página

Para citar este artigo

Referência eletrónica

Desirée Guichard Freire, Floriano Godinho de Oliveira, Guilherme Ribeiro e Leandro Dias de Oliveira, « Uma leitura crítica do momento político e a importância da revista como espaço de reflexão », Espaço e Economia [Online], 13 | 2018, posto online no dia 17 dezembro 2018, consultado o 24 agosto 2019. URL : http://journals.openedition.org/espacoeconomia/5174

Topo da página

Autores

Desirée Guichard Freire

Artigos do mesmo autor

Floriano Godinho de Oliveira

Guilherme Ribeiro

Artigos do mesmo autor

Leandro Dias de Oliveira

Artigos do mesmo autor

Topo da página

Direitos de autor

© NuPEE

Topo da página
  • Logo Núcleo de Pesquisa Espaço e Economia
  • Logo Latindex
  • OpenEdition Journals