Navegação – Mapa do site

InícioNuméros33ResenhasCarlos Antônio Brandão, Deborah W...

Resenhas

Carlos Antônio Brandão, Deborah Werner, Fábio Lucas Pimentel de Oliveira. Socioeconomia fluminense

Consequência, Rio de Janeiro, 2021.
Cláudio Luiz Zanotelli
Referência(s):

Carlos Antônio Brandão, Deborah Werner, Fábio Lucas Pimentel de Oliveira. Socioeconomia fluminense. Rio de Janeiro: Consequência, 2021.

Texto integral

1O livro é oriundo de reuniões de discussão do Grupo de Pes­quisa Espaço e Poder do Ippur/UFRJ, em cujo âmbito se prepa­rou o seu conteúdo. Como os organizadores escrevem na Intro­dução « (...) partiu-se de uma análise da conjuntura de crise vista como um momento em que multifacetadas contradições sociais, políticas, econômicas e ideológicas se condensam e tomam uma específica e distintiva forma para pensar a natureza estrutural das mudanças disruptivas no estado do Rio de Janeiro. Sobretudo após a pandemia da Covid-19 esses momentos de complexidade, caos e contradições foram exacerbados em um mosaico multi­determinado. » Buscando, assim, analisar várias temáticas e as consequências dos processos de neoliberalização sobre o territó­rio do Rio de Janeiro. Os autores dizem que o estado do Rio de Janeiro é um caso paradigmático do que ocorre no Brasil com a efetivação das « (...) recorrentes rodadas de neoliberalização que desmantelam as estruturas públicas e promovem a lógica pró­-mercado, com a perda de capacidade da ação pública para armar estratégias de enfrentamento de seus múltiplos problemas. »

2O livro está organizado em 14 capítulos, que abordam ques­tões as mais diversas, iniciando com os problemas regionais e metropolitanas do Rio de Janeiro no contexto brasileiro de ne­oliberalização, passando pela problemática do desenvolvimen­to, pelos impactos sobre o mercado de trabalho fluminense das crises atuais, abordando as questões das infraestruturas, da eco­nomia do petróleo e seus rebatimentos territoriais, a questão do neoextrativismo e a infraestrutura de exportação de minérios no estado, analisando as crises financeiras da dívida pública do es­tado do Rio de Janeiro, bem como a gestão da saúde pública em alguns municípios fluminenses e, por fim, a neoliberalização do saneamento básico no estado.

3O livro se conclui por um posfácio que constata o estado de crise atual no Brasil e em particular no Rio de Janeiro, o que passa pelos processos de desestruturação do Estado e de priva­tização dos equipamentos, das infraestruturas e dos serviços em processo ascendente de espoliação que se acentuou com a pande­mia de Covid-19. No entanto, os autores, apesar da constatação do estado de desestruturação generalizada, finalizam com uma nota otimista, esperando que « possa haver o resgate da capa­cidade de realizar diagnósticos estruturais, de conjunto e com maior participação popular, que o ERJ (Estado do Rio de Ja­neiro) possa reconstruir sua capacidade de planejamento e que cada uma e cada um dos cidadãos fluminenses possam sonhar e lutar com liberdade por uma sociedade mais justa, inclusiva e democrática. »

Topo da página

Para citar este artigo

Referência eletrónica

Cláudio Luiz Zanotelli, «Carlos Antônio Brandão, Deborah Werner, Fábio Lucas Pimentel de Oliveira. Socioeconomia fluminense»Geografares [Online], 33 | 2021, posto online no dia 15 dezembro 2021, consultado o 06 julho 2022. URL: http://journals.openedition.org/geografares/3567

Topo da página

Autor

Cláudio Luiz Zanotelli

Artigos do mesmo autor

Topo da página

Direitos de autor

CC BY-NC 4.0

Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional - CC BY-NC 4.0

https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/

Topo da página
Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search