Navegação – Mapa do site

InícioChamadas para contribuiçõesChamadas fechadasO trabalho animal

O trabalho animal

Apelo à submissão de propostas para o dossier do número de julho 2022
Data limite para envio de propostas de artigo: 31 de julho 2021

Responsáveis pelo dossier

Jocelyne Porcher
Institut national de recherche pour l’agriculture, l’alimentation et l’environnement- Unité Mixte de Recherche Innovation - Animal’s Lab, France.

Sébastien Mouret
Institut national de recherche pour l’agriculture, l’alimentation et l’environnement- Unité Mixte de Recherche Innovation - Animal’s Lab, France.

Maria Fernanda de Torres Alvarez
Institut national de recherche pour l’agriculture, l’alimentation et l’environnement- Unité Mixte de Recherche Innovation - Animal’s Lab, France.

Carole Baudin
University of Applied Sciences and Arts of Western Switzerland. HES SO, Suisse.

Patricio Nusshold
Université Paul Valéry Montpellier 3 & Institut de Psychodynamique du Travail (IPDT -ASTI), France.

Os artigos serão publicados num dos dois idiomas da revista (espanhol ou português). Contudo, os resumos das propostas, assim como os textos enviados para avaliação, podem ser redigidos em francês ou em inglês. Os autores ficarão responsáveis pela sua tradução para espanhol ou português, tendo em conta o resultado das avaliações e das sugestões propostas pela Direção da Laboreal.

Calendário

31 de julho 2021: Data limite para a receção de propostas, com o título; resumo (máximo de 500 palavras); e cinco referências bibliográficas (as propostas de contribuições devem ser enviadas ao secretariado da revista, através do seguinte endereço de correio eletrónico: laboreal@fpce.up.pt).

31 de agosto 2021: Data limite para informar os autores dos resultados da avaliação dos resumos.

31 de outubro 2021: Data limite para receção dos artigos completos.

8 de fevereiro 2022: Data limite para informar os autores sobre os resultados da avaliação dos artigos.

1 de abril 2022: Data limite para a receção da versão final do artigo, em espanhol ou em português.

As propostas devem estar relacionadas com a problemática definida a seguir.

O trabalho animal

Em variadíssimas atividades socioprofissionais (agricultura, polícia, exército, saúde, investigação, arte, meio ambiente, etc.), homens e animais trabalham em conjunto. Nestes últimos anos, vários estudos realizados no âmbito das ciências sociais e humanas abordaram a cooperação entre humanos e animais e clarificaram o conceito de "trabalho animal", abrindo assim uma nova área de investigação. Sabe-se hoje que as regras de trabalho se constroem de forma intra e interespecífica: entre humanos, e entre animais e humanos.

As relações de dominação impostas, em vários países, pela organização do trabalho aos humanos e aos animais têm vindo a ser objeto de debate. À semelhança do que acontece na produção animal, a prioridade atribuída à racionalidade instrumental do trabalho, com a aceleração da cadência produtiva, é fonte de sofrimento, de aumento de doenças profissionais e de deterioração dos resultados do trabalho, tanto para os humanos como para os animais. Muitas vezes, a organização do trabalho — por exemplo, no tocante ao abate de animais nos matadouros ou nas explorações pecuárias — está também na origem de diversas formas de violência.

Por outro lado, há alguns anos que as relações com os animais domésticos, na generalidade das sociedades, vêm sendo profundamente postas em causa, de um ponto de vista ético, devido ao peso crescente dos movimentos de defesa dos animais. A ideologia abolicionista que defendem reduz o trabalho dos humanos com os animais a pura exploração, rejeitando o trabalho animal, de acordo com uma nova filosofia zoocêntrica que vem alterar as ontologias vigentes.

O objetivo deste número é discutir e analisar essas atividades e as correspondentes implicações éticas e deontológicas. Procura-se, portanto, abordar um tema que abrange o trabalho humano com animais e o próprio trabalho animal, englobando, simultaneamente, a relação de trabalho entre seres humanos e animais e o recurso ao trabalho animal. Parece, pois, indispensável estudar esta matéria tão pouco tratada pelas ciências do trabalho. Este número da revista propõe-se, assim, analisar, com base em experiências concretas, a complexa realidade dos animais no mundo do trabalho. O objetivo é refletir sobre a interação humano/animal em situações reais para responder a algumas das seguintes questões:

  • Como abordar as situações e problemáticas referidas neste convite à apresentação de contribuições, e as suas características próprias?

  • Quais foram as evoluções históricas e sociais dos mundos socioprofissionais assentes no trabalho animal? De que modo influenciaram as condições de trabalho dos humanos e ascondições de trabalho dos animais com humanos? Que efeitos tiveram em termos de saúde no trabalho?

  • Quais são as condições éticas e sociais da cooperação no trabalho entre humanos e animais? Que obstáculos há? De que forma é que a dimensão comunicacional verbal e corporal afeta essas situações de trabalho?

  • Como tratar a dimensão política de situações frequentemente denunciadas por movimentos sociais e alguns meios de comunicação social?

  • Em que termos se deve entender essa dimensão política quando o trabalho animal é fonte de valorização económica e social de um território?

  • Poder-se-á recorrer à ergonomia para analisar o trabalho dos animais? Que ergonomia? De que forma?

  • Quais são os limites para se discutir o trabalho concreto dos homens com animais e o trabalho dos animais? Será possível contorná-los?

  • Será admissível pensar que em certos locais é impossível discutir o trabalho concreto realizado com animais? Porquê?

  • Logo Universidade do Porto
  • Logo Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT)
  • Logo Latindex
  • Logo Société d'Ergonomie de Langue Française
  • DOAJ - Directory of Open Access Journals
  • OpenEdition Journals
Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search