Navegação – Mapa do site
Varia

Workshop Investigar em Idade Média VI - Projetos de Investigação: realidades e possibilidades, organizado em parceria pelo Instituto de Estudos Medievais e pelo CITCEM – Centro de Investigação Transdisciplinar “Cultura, Espaço e Memória”, Lisboa, NOVA FCSH, 8 de fevereiro de 2019

Mário Farelo

Notas da redacção

Data recepção do artigo / Received for publication: 5 de maio de 2019

Texto integral

1Os workshops “Investigar em Idade Média”, promovidos em parceria pelo IEM e pelo CITCEM desde 2012, pretendem constituir um espaço privilegiado de debate em torno do desenvolvimento, dos desafios e dos condicionalismos evidenciados pelas disciplinas associadas aos Estudos Medievais. Orientados de forma consciente para o diálogo interdisciplinar, um dos seus focos principais tem sido a apresentação de projetos e percursos de investigação, com perspetivas e metodologias diferenciadas, mais inovadoras ou já consolidadas, relativas à História, Arte, História da Arte, Literatura, Paleografia, Epigrafia, Arqueologia, Filosofia e Música medievais. Estes workshops permanecem, de igual modo, uma ágora destinada à partilha de experiências relativas ao “ser medievalista”, nomeadamente por investigadores de pós-doutoramento que aí podem apresentar os seus trabalhos, discutir os rumos tomados e as contingências pessoais e institucionais ligadas à sua atividade.

2Fiel a este espírito de discussão e de partilha, a 6ª edição do Investigar em Idade Média pretendeu ainda assim inovar, ao centrar a temática em análise neste ano nos projetos de investigação em Estudos Medievais presentemente em curso. Com o aumento recente do número de projetos de temática medieval aprovados para financiamento pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia – colocando fim a uma autêntica “travessia do deserto” de vários anos –, impunha-se uma jornada de trabalho em torno da sua apresentação e dos diversos condicionalismos associados à respetiva elaboração e operacionalização.

3Responderam à chamada do IEM e do CITCEM a quase totalidade dos investigadores responsáveis por projetos de investigação portugueses com temática medieval, financiados de forma competitiva por instituições nacionais e estrangeiras, permitindo assim, desde logo, um diálogo cruzando as áreas da História de Arte, Literatura, História, Filosofia e Arqueologia. A apresentação de cada um dos projetos, para além de dar a conhecer perspetivas e metodologias inovadoras, constituiu uma oportunidade para discutir as opções, os caminhos tomados e o largo escopo de exigências e dificuldades inerentes ao processo de elaboração de tais projetos.

4Este último conjunto de ideias foi central na primeira apresentação ao workshop feita por Maria de Lurdes Rosa (ERC Consolidator Grant 2018 – VINCULUM. Entailing Perpetuity: Family, Power, Identity. The Social Agency of a Corporate Body (Southern Europe, 14th-17th Centuries) [819734-ERC-VINCULUM-2018-CSG]). Mais do que uma mera apresentação dos objetivos e da arquitetura do projeto, tratou-se de relatar uma experiência única, em termos da complexa preparação exigida por um concurso extremamente competitivo, como é o proposto pelo European Research Council. Maria de Lurdes Rosa sublinhou sobretudo a importância de uma boa preparação: conhecer os projetos anteriormente financiados, organizar o percurso de investigação de modo a corresponder ao perfil exigido e familiarizar-se com todos os passos de um processo burocrático específico e complexo associado às candidaturas a projetos europeus.

5Posteriormente, Joana Gaspar de Freitas (ERC Starting Grant 2018 – DUNES. Sea, Sand and People. An Environmental History of Coastal Dunes) [802918-DUNES-ERC-2018-STG] partilhou a sua experiência de uma candidatura a uma Starting Grant do mesmo European Research Council. Centrando a sua atenção nas premissas da sua investigação, chamou a atenção para a necessidade de dominar o tema apresentado, o qual, no seu caso e como foi observado, constitui atualmente uma área de trabalho em sintonia com as orientações ligadas à promoção de um desenvolvimento sustentável partilhadas e valorizadas pelas instituições financiadoras europeias.

6Para além destes dois projetos submetidos com sucesso à avaliação de instituições financiadoras europeias, o grosso das intervenções centrou-se em projetos de investigação apresentados à Fundação para a Ciência e Tecnologia. Sublinhou-se, desde logo, a sua variedade, porquanto inscritos nos painéis de História, Filosofia, História de Arte e Literatura, entre outros.

7José Meirinhos e João Rebalde partilharam a apresentação de quatro projetos financiados, dois deles pela FCT, e todos sedeados no Instituto de Filosofia da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. O projeto Critical Edition and Study of the Works Attributed to Petrus Hispanus – 1 (PTDC/MHC-FIL/0216/2014) prossegue uma linha de investigação consolidada no seio da UI em torno do trabalho do prof. José Meirinhos, ao passo que o projeto EUROPA EM VERNÁCULO: A Expansão das Línguas Vernáculas na Periferia do Mundo Latino, no Final da Idade Média e Início da Idade Moderna. Contextos e Ideias (FCT/483/15/01/2019/S) se inscreve no Programa FCT de Cooperação Científica e Tecnológica FCT/Eslováquia para o biénio 2019/2020. Apesar das suas diferenças cronológicas, temáticas e mesmo linguísticas (uso do latim para o primeiro e das línguas vernáculas para o segundo), une-os a investigação em torno de livros, ainda que diferentes. Se no primeiro o enfoque é colocado na edição crítica de textos redigidos no século XIII, no segundo procura-se compreender a formação de comunidades textuais em função da utilização diferenciada de textos traduzidos maioritariamente no período tardomedieval. Em paralelo, João Rebalde apresentou o projeto From Data to Wisdom. Philosophizing Data Visualizations in the Middle Ages and Early Modernity (13th-17th Century) [AAC nº 02/SAICT/2017 – Nr. 029717], tendo insistido nos pressupostos metodológicos associados ao tratamento da informação e sua visualização. O projeto conta sobre a larga produção medieval nesta matéria para a produção de modelos que serão objeto de uma atualização digital. Por último, o Instituto de Filosofia acolhe um projeto na área da conservação, dedicado ao Estudo e Valorização da Biblioteca do Convento de Vilar de Frades, Barcelos (253/DRCN/201). Motivado primeiramente pela necessidade de tratar um acervo bibliográfico proveniente do antigo convento loio de Vilar de Frades, a catalogação e a investigação sobre o referido acervo provaram que este último, mais do que resultado de uma acumulação pelos cónegos que o habitaram desde tempos tardomedievais, foi resultado do transporte para Barcelos de uma porção de códices depositados em Lisboa, na sequência da centralização das bibliotecas monástico-conventuais realizada após a extinção das ordens religiosas de 1834.

8A história medieval esteve igualmente presente no workshop através da apresentação de projetos que partilham uma ligação à cidade medieval. Desde logo, por via dos mesteres, que nela se desenvolvem com maior diversidade e complexidade. Com o projeto apresentado por Arnaldo Sousa Melo (MEDCRAFT – Crafts Regulation in Portugal in Late Middle Ages: 14th-15th Centuries) [PTDC/HAR-HIS/3142//2017] [LAB2PT], pretende-se estudar, de forma comparativa, a diversa regulamentação relacionada com a atividade dos mesteres, em ordem a uma melhor apreensão dos sistemas de regulação e de práticas sociais desses profissionais, em sintonia com as relações do grupo com os poderes instituídos. Esta ligação entre um grupo específico e as autoridades “públicas” encontra-se igualmente presente no projeto OECONOMIA STUDII – Funding Management and Resources of the Portuguese University: a comparative analysis (13th-16th centuries) [PTDC/EPHHIS/3154/2014] apresentado por Hermenegildo Fernandes. Destinado a estudar a evolução diacrónica e tipológica das fontes de financiamento da Universidade de Lisboa-Coimbra, a operacionalização do projeto tem permitido alcançar novos patamares, nomeadamente através da conectividade da respetiva base de dados com outras bases de dados respeitantes à universidade medieval e moderna no espaço europeu.

9Ligados ao Instituto de Estudos Medievais, foram apresentados um projeto na área da Literatura por Graça Videira Lopes (STEMMA. From Singing to Writing: Survey on Material Production and Routes of Galician-Portuguese Lyric) [PTDC-LLT-EGL/30984/2017] e um outro em História de Arte – mas com ligações evidentes à História e à Química e às Ciências do Restauro – por Catarina Barreira Fernandes (Cistercian Horizons: Studying and Characterizing a Medieval Scriptorium and its Production. Alcobaça. Local Identities and Liturgical Uniformity in Dialogue) [PTDC/ART-HIS/29522/2017], ambos iniciados nos finais de 2018. As duas investigadoras responsáveis centraram a sua atenção nos processos de elaboração da candidatura, bem como nas opções tomadas para responder aos critérios do call e nos objetivos de cada um dos projetos. Foi visível igualmente uma preocupação comum em atingir os outputs fixados, sendo de destacar, sobretudo no segundo caso, o trabalho já realizado em termos de promoção e apresentação do projeto no estrangeiro.

10A mesma interdisciplinaridade transparece num outro projeto, dedicado ao estudo da dieta alimentar como via para aceder a um mais apurado conhecimento da organização socioeconómico das populações muçulmanas e cristãs no Portugal medieval. Nessa perspetiva, Anne-France Maurer e Hermínia Vilar (TRANSCULTURAL. History Archaeology and Anthropo-biogeochemistry of Medieval Populations in Portugal During the 10th-14th Centuries AD. Culture, Identities and Inter-Culturality Decoded via a Dietary and Mobility Study) [POCI-01-0145-FEDER-031599] elencaram os objetivos principais do projeto e sublinharam as suas limitações. Ainda que centrado na arqueologia, o recurso a um conjunto variado de ciências biológicas e químicas – durante muito tempo estranhas aos medievalistas – viabilizou uma aproximação, bastante eficaz e pedagógica, sobre as metodologias de trabalho pensadas para o projeto, reveladoras de uma investigação entrecruzada entre a História, a Arqueologia e a Antropo-biogeoquímica.

11Miguel Metelo de Seixas apresentou os resultados já alcançados pelo projeto In the Service of the Crown. The use of Heraldry in royal political Communication in Late Medieval Portugal, financiado pela Fundação Volkswagen. Na explicitação dos seus objetivos e das atividades realizadas, salientou, como um dos principais resultados do projeto, a inserção do estudo da heráldica medieval portuguesa na historiografia europeia sobre o tema, sem esquecer a necessária valorização do património heráldico português no seio da Academia e fora dela.

12Por último, Alicia Miguélez Cavero (COST Action – The Islamic Legacy: Narratives from North, South, East and West (1350-1750) [CA 18129] sublinhou as características principais das atividades e outputs previstos pela Ação COST na qual participa. Tais ações, pela possibilidade de congregar diferentes investigadores em torno de uma ou de várias temáticas em comum, assume-se como uma plataforma privilegiada de investigação, não somente para networking, mas também para a partilha de dados e de experiências, cada vez mais importantes no crescimento científico dos investigadores.

13Fugindo aos cânones tradicionais de um encontro científico, a jornada de debate propiciada pelo “Investigar em Idade Média VI” deixou bem claras as possibilidades de sucesso e as exigências de uma candidatura a um call de projetos nacional ou mesmo internacional. Para além da perseverança, da resiliência, do trabalho, o êxito depende, antes de mais, de uma boa ideia. No final do dia, após um desfile de tantas boas ideias, ficou o desejo, partilhado por investigadores responsáveis e assistência, de que é necessário prosseguir nesta via, consciencializando todos os agentes envolvidos (investigadores, UIs e Faculdades) de que o sucesso não se obtém com amadorismos, antes resulta de um trabalho planeado, consistente e informado. Não foi outra a intenção do presente workshop, sobre o qual não restam dúvidas da sua pertinência e utilidade futuras.

Topo da página

Para citar este artigo

Referência eletrónica

Mário Farelo, « Workshop Investigar em Idade Média VI - Projetos de Investigação: realidades e possibilidades, organizado em parceria pelo Instituto de Estudos Medievais e pelo CITCEM – Centro de Investigação Transdisciplinar “Cultura, Espaço e Memória”, Lisboa, NOVA FCSH, 8 de fevereiro de 2019 », Medievalista [Online], 26 | 2019, posto online no dia 27 julho 2019, consultado o 21 novembro 2019. URL : http://journals.openedition.org/medievalista/2766

Topo da página

Autor

Mário Farelo

Instituto de Estudos Medievais, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa, 1069-061, Lisboa, Portugal

mario.farelo@fcsh.unl.pt

https://orcid.org/0000-0002-2905-6564

Artigos do mesmo autor

Topo da página

Direitos de autor

© IEM

Topo da página
  • Logo Instituto de Estudos Medievais
  • Logo Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  • Logo Faculdade de Ciências Sociais e Humanas - UNL
  • Logo DOAJ - Directory of Open Access Journals
  • OpenEdition Journals