Navegação – Mapa do site

InícioNúmeros29Dossiê: Política e diferença: mir...Dossiê: Política e diferença: mir...

Dossiê: Política e diferença: miradas antropológicas para o século 21

Dossiê: Política e diferença: miradas antropológicas para o século 21

Silvana de Souza Nascimento e Virginia Fons

Texto integral

1Este dossiê resulta de um proveitoso encontro entre antropólogas e antropólogos vinculados a duas universidades, a Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Autônoma de Barcelona (UAB) que ocorreu em junho de 2021 em um seminário on line: “Política e diferença: novas perspectivas antropológicas para o século 21”. Estudantes de pós-graduação em Antropologia de ambas universidades puderam apresentar suas pesquisas, com a presença de docentes debatedores(as)1, ao longo de dois dias de interlocuções acadêmicas e debates. As apresentações de trabalhos dos estudantes da UAB foram posteriormente transformadas em artigos para que pudessem ser publicados na Revista Ponto.Urbe. E os estudantes da USP transforaram suas apresentações em textos para publicação na Revista Perifèria, ainda no prelo2.

2Este seminário, que ocorre a cada três anos, faz parte das atividades programadas de um convênio internacional selado entre os departamentos de Antropologia da USP e da UAB, que existe há mais de dez anos, e que hoje é coordenado por nós, as organizadoras deste dossiê. Inicialmente, o evento seria realizado na forma presencial, em maio de 2020, em ambas universidades e com conexões remotas entre elas. Contudo, com o advento da pandemia de Covid-19, foi postergado para o ano seguinte, sendo totalmente on line. Com o propósito de trazer para o debate acontecimentos sociais e políticos que sacudiram as realidades globais nestes últimos anos, a proposta foi refletir sobre as pandemias, as formas de revolta e protesto, os ativismos, as políticas públicas, as transformações sociais, entre outras problemáticas, elementos que têm ajudado a compreender melhor o contexto ibero-americano no momento presente.

3Assim, por meio de diferentes perspectivas antropológicas gestadas por novas gerações de pesquisadoras e pesquisadores em Antropologia, o dossiê traz seis artigos, que oferecem pesquisas etnográficas produzidas na América-Latina, especialmente no Chile, na Catalunha e na Espanha, e fazem reflexões atravessadas por temáticas sobre a pandemia de Covid-19, movimentos sociais, políticas públicas, violências institucionais e corporalidades.

4O artigo de Laura Fontan Sierra, “Los lazos sociales durante la pandemia wigka:
preservación, restricciones e interacción en las comunidades mapuche del sur de Chile”, faz uma descrição densa, a partir de pesquisas de campo, sobre a maneira pela qual os
povos mapuche, no Chile, produziram estratégias locais para lidar com a chegada da
pandemia do Covid-19, criando dilemas culturais e políticos.
Ainda no Chile, o texto de Inti Fernando Fuica Rebolledo,Pasado y presente de la relación Estado-población
pobre en Chile: de la historicidad del ‘programa Familias’ como política pública”,
analisa um programa de política pública destinado a populações vulneráveis neste país,
demonstrando suas raízes históricas no século 19 e suas transformações no tempo
presente como uma proposta de assistência social do Estado chileno de superação da
pobreza.

5No contexto catalão, o dossiê traz três artigos, com temas bastante diversos que tratam de educação e migração, sexualidade e esporte. O primeiro, de Manuel Ulloa-Cortés, “Trayectorias educacionales de niños/as migrantes como refugiados/as y el abandono escolar en Catalunya, Barcelona”, aborda a evasão escolar no ensino fundamental e suas consequências para o desenvolvimento cultural e pedagógico de crianças migrantes em situação de refúgio na capital catalã. O segundo, de Gloria E. Casanova Molina,
Cuerpos ficticios, identidades falseadas: la construcción socio-médica de la(s) intersexualidad(es)”, apresenta um panorama histórico sobre como o tema das pessoas intersexo tem sido abordado na antropologia e nos estudos sobre sexualidade e, posteriormente, faz um breve relato de como esta questão tem sido tratada em Barcelona por ativistas. O terceiro, de Meline Margaryan, Football and the self-determination process in Catalonia (2012-2021): finding gaps in the literature”, discorre sobre como o futebol catalão, a partir da pesquisa em dois clubes, articulou o tema da independência na Catalunha em relação ao estado espanhol, e como tem articulado aspectos políticos neste esporte.

6Por último, e não menos importante, o artigo de Edurne de Juan Franco, “Sobrevivencias de la psiquiatría: una aproximación a las subjetividades de la violencia institucional y los activismos loco”, descreve e analisa experiências de pessoas que passaram por instituições psiquiátricas e estratégias de resistência a partir de grupos de apoio à saúde mental e, especialmente, o movimento louco na cidade de Madrid e sua luta anti-manicomial.

7Assim, iniciamos o dossiê com o enfrentamento da pandemia pelos povos mapuche no Chile e terminamos com o orgulho louco em Madrid, demonstrando que instigantes perspectivas antropológicas têm sido elaboradas pelas jovens gerações de pesquisadoras e pesquisadores que têm centrado sua atenção em problemas sociais e políticos que atravessam o contexto ibero-americano e têm demonstrado, assim, a relação fundamental entre política, diferença e antropologia para tentar compreender o tempo presente e sobreviver às crises, às contradições e aos conservadorismos do mundo atual.

8Boa leitura!

Topo da página

Notas

1 Agradecemos a colaboração de docentes do departamento de Antropologia da USP, que se dispuseram a ler e discutir os textos dos estudantes: Ana Claudia Marques, Heloísa Buarque de Almeida, João Felipe Gonçalves, Júlio Simões, Laura Moutinho e Márcio Silva.

2 https://revistes.uab.cat/periferia

Topo da página

Para citar este artigo

Referência eletrónica

Silvana de Souza Nascimento e Virginia Fons, «Dossiê: Política e diferença: miradas antropológicas para o século 21»Ponto Urbe [Online], 29 | 2021, posto online no dia 12 janeiro 2022, consultado o 20 maio 2022. URL: http://journals.openedition.org/pontourbe/11175; DOI: https://doi.org/10.4000/pontourbe.11175

Topo da página

Autores

Silvana de Souza Nascimento

Professora do departamento de Antropologia da Universidade de São Paulo e atual editora executiva da Revista Ponto.Urbe.

Artigos do mesmo autor

Virginia Fons

Professora do departamento de Antropologia Social da Universidade Autônoma de Barcelona.

Topo da página

Direitos de autor

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Topo da página
Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search