Navegação – Mapa do site

InícioApresentaçãoPolítica Editorial

Política Editorial

A Revista Ponto Urbe, (ISSN 1981-3341) é uma publicação eletrônica semestral (julho e dezembro), plurilíngue e gratuita organizada pelo LabNau - Laboratório do Núcleo de Antropologia Urbana da Universidade de São Paulo, sediado na Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas da USP, São Paulo, Brasil. Destina-se a apresentar e discutir resultados de pesquisas inéditas na área de Antropologia Urbana, e também aberta ao diálogo com outras áreas da antropologia e outro campos do conhecimento que se preocupam com o debate científico sobre cidades e urbanidades.

A revista foi fundada em 2007 pelo LAbNAU com o apoio do Programa de Pós Graduação em Antropologia Social da Universidade de São Paulo. Com mais de dez anos de publicações ininterruptas, o periódico assume abrangência nacional e internacional. A política editorial da Revista é regida por seu estatuto. Recomenda-se que os interessados em publicar na Ponto Urbe leiam as regras dispostas a seguir.

Estatuto da Revista Ponto Urbe

Objetivos e escopo

A Revista Ponto Urbe tem como objetivos principais:

• Manter um espaço eletrônico destinado à divulgação e discussão de novas pesquisas e abordagens teóricas e metodológicas sobre questões e temáticas urbanas no Brasil e no mundo, privilegiando trabalhos originais da antropologia e de caráter etnográfico.

• Promover a democratização do conhecimento antropológico e a produção do debate de trabalhos relacionados à Antropologia Urbana que também possam estar em diálogo com outras áreas do conhecimento.

• Conferir ao Laboratório do Núcleo de Antropologia Urbana uma publicação periódica correspondente a sua história e ao seu grau de excelência acadêmica.

Para tanto, a publicação está organizada nas seguintes seções: Artigos inéditos que preferencialmente demonstrem um preciso enfoque antropológico em termos metodológicos, conceituais, empíricos ou teóricos; Traduções de textos raros ou atuais, não disponíveis em português; Entrevistas com pesquisadores(as) consagrados(as) no campo da Antropologia Urbana e áreas de interesse; Etnográficas, espaço destinado a relatos de campo resultados de pesquisas em andamento, reservando também um espaço para que estudantes de graduação possam publicar seus trabalhos; Resenhas críticas de livros raros ou de recente publicação; Material visual etnográfico, seja em formato de ensaio fotográfico ou vídeo; Dossiê, um conjunto de artigos que versem sobre um tema comum. 

A publicação se propõe abrir espaço também para contribuições de autores(as) que, sem serem antropólogos(as), circulam em nosso meio e utilizam conceitos, métodos e estratégias de pesquisa próprias da antropologia como forma de problematizar e ampliar o horizonte dos recortes de estudo em suas próprias áreas. Por isso, a existência da seção Cir-kula. A referência à conhecida instituição de troca descrita pelo antropólogo Bronislaw Malinowski e retomada por Marcel Mauss, em seu famoso “Ensaio sobre a Dádiva”, aponta na direção da abertura para contatos mais ampliados.

A revista tem escopo nacional e internacional, com autores variando de estudantes de graduação experimentando suas primeiras pesquisas a autores e autoras renomados, proeminentes em seus campos, também abarcando os diferentes projetos colaborativos entre o Laboratório do Núcleo de Antropologia Urbana e outras instituições de pesquisa no Brasil e em outros países.

Para fins de apresentação das estatísticas editoriais da revista, são considerados artigos os materiais publicados nas seções Artigos, Dossiê (exceto o texto de apresentação), Etnográficas, Cir-Kula e Entrevistas.

São aceitos trabalhos escritos em português, inglês, espanhol e francês.

Missão

A Ponto.Urbe, primeiro periódico brasileiro da área da Antropologia Urbana, tem como missão fomentar e divulgar pesquisas inovadoras e originais na área de antropologia urbana, tanto no país quanto internacionalmente, e garantir a diversidade de autoria dos conteúdos publicados e das abordagens escolhidas. 

A comissão editorial da Revista Ponto Urbe entende que a produção acadêmica, resultado de condições de trabalho garantidas pelos pressupostos da universidade pública, deve estar disponível e circular da forma gratuita, acessível e ampla. 

Defende-se primordialmente o respeito pelos princípios éticos da investigação antropológica e sua publicação, reservando-se à equipe editorial o direito de atuar pelos meios legais disponíveis sempre que verificada a infração de tais princípios pelos(as) autores(as) dos materiais publicados ou propostos para publicação. O que inclui situações de plágio, manipulação fraudulenta da informação ou outras formas de desrespeito aos leitores. 

Composição editorial

A seleção de todos os materiais a publicar na Ponto Urbe, a forma e diagramação do conteúdo são de responsabilidade da sua Comissão Editorial e seguem critérios de adequação ao âmbito e normas da revista, das diretrizes da CAPES e da qualidade e inovação das propostas recebidas. 

A editoria da revista é formada por editoras-chefes, editores de seção e editores assistentes. A intenção editorial é estimular o recebimento de material acadêmico de relevância para a antropologia social. Por isso, há colaboração do Comitê Científico formado por um conjunto de acadêmicos com relevante produção científica que estão filiados a universidades e centros de pesquisas nacionais e internacionais. 

Deveres dos(as) editores(as)

• Responsabilizar-se pela seleção de todos os materiais a serem publicados na Ponto Urbe, bem como pela forma e diagramação do conteúdo. 

• Orienta-se pelos critérios de adequação ao âmbito e às normas da revista, das diretrizes da CAPES e da ética científica. Deve-se tomar medidas razoáveis para identificar e impedir a publicação de documentos em que tenha ocorrido má conduta de pesquisa. O Comitê Científico pode ser consultado para as tomadas de decisão.

• Responder via e-mail institucional (pontourbe@usp.br) todas as propostas. Estabelecer diálogo com os(as) proponentes em todo o processo editorial de cada número e com os(as) pareceristas. 

• Sustentar a meta de que 70% do material publicado em cada edição seja original e que venha de colaboradores(as) externos à Universidade de São Paulo. No processo de avaliação, não deve haver qualquer distinção de raça, gênero, nacionalidade, classe, religião, pertença institucional ou proveniência geográfica dos autores.

• Garantir que os(as) pareceristas selecionados não sejam da mesma instituição e preferencialmente tampouco da mesma região geográfica do(a) autor(a) e que possuam grau acadêmico superior ou formação equivalente (no caso do(a) autor(a) possuir doutorado) a(o) proponente.

• Respeitar e cumprir a periodicidade da revista, ou seja, um número por semestre.

• Publicizar a lista de pareceristas das edições publicadas a cada dois anos, de modo a preservar o anonimato dos pareceres.

• Evidenciar os critérios de seleção do material publicado e os caminhos editoriais percorridos pelo material submetido à apreciação da revista.

• Manter públicas a composição da Equipe Editorial; as Normas de Submissão e Informações relevantes que evidenciem para os(as) autores(as) e para a comunidade acadêmica mais ampla a transparência editorial da Revista Ponto Urbe.

• Publicar correções, esclarecimentos e retratações, quando necessário.

Deveres dos(as) pareceristas

• Auxiliar a equipe editorial de maneira objetiva na tomada de decisão, contribuindo para a excelência acadêmica das publicações.

• Prezar pela confidencialidade de todo material enviado pela revista. Nenhum documento deve ser discutido ou apresentado a terceiros antes de eventual publicação.

• Identificar as fontes bibliográficas omitidas pelos textos em análise e informá-las aos autores na ficha de parecer.

• Observar quaisquer conflitos de interesse em razão de questões colaborativas ou outros relacionamentos e ligações com qualquer um(a) dos(as) autores(as) e instituições ligadas aos manuscritos. Nestes casos se deve interromper a avaliação. Situações desse tipo são avaliadas e encaminhadas pela Comissão. 

• Seguir os prazos negociados com a equipe editorial.

Deveres dos(as) autores(as)

• Tomar ciência do estatuto da Revista Ponto Urbe.

• Seguir as normas de submissão e os prazos da Revista.

• Garantir a originalidade da proposta submetida. Declarações fraudulentas e plágios, de qualquer espécie, são considerados como comportamento antiético e são inaceitáveis. Caso detectadas os(as) autores(as) devem fornecer retratações. Recomendamos que todos os(as) autores(as) também consultem as diretrizes do COPE - Committee on Publication Ethics antes de submeterem textos à avaliação. Disponível em: 

http://publicationethics.org/files/Ethical_guidelines_for_peer_reviewers_0.pdf

• Primar pela citação adequada do trabalho e das ideias de terceiros, incluindo também referência às imagens e figuras utilizadas. Cada proposta também deve conter detalhes suficientes que permitam a replicação do trabalho por terceiros com as devidas referências.

• Apresentar material derivado de pesquisas que obedeçam ao Código de Ética da publicação que, por sua vez, segue as diretrizes da ABA – Associação Brasileira de Antropologia, descritas em: http://www.abant.org.br/?code=3.1

• Divulgar no material proposto qualquer conflito de interesse que possa afetar a divulgação final. A sua existência não impede a submissão de um manuscrito. A Comissão Editorial tomará decisões sobre o encaminhamento do manuscrito. Além disso, os apoios e financiadores, caso existam, devem ser mencionados.

• Observar possíveis imprecisões no trabalho após a publicação e reportar à equipe editorial pelo e-mail oficial da Revista. 

Periodicidade

A Revista Ponto Urbe é uma publicação semestral. Os números são disponibilizados na última semana do mês de julho e de dezembro de cada ano. 

Público-alvo e grau acadêmico dos autores

A Revista Ponto Urbe se destina a leitores acadêmicos, sobretudo da área de humanidades de modo geral, e antropólogos em específico. São bem-vindas contribuições de trabalhos acadêmicos de todos os graus acadêmicos. Para os graduandos(as) e graduados(as) de modo específico, sugere-se a submissão de propostas para a seção Etnográficas. O envio de artigos de autores não graduados(as) ou apenas com graduação completa é condicionado à coautoria com o orientador que deve estar copiado no e-mail de submissão.

Processo de Avaliação 

O processo de avaliação de qualquer material acadêmico, enviado para a Revista Ponto Urbe pelo e-mail institucional (pontourbe@usp.br), possui duas etapas:

Etapa 1: Quando submetidas, as propostas passam pelo teste de autenticidade do texto. O material textual passa pelo software CopySpider® para a verificação de plágio. Caso detectado, o texto é devolvido a(o) autor(a). O material original é então analisado pela equipe editorial no que diz respeito à adequação ao escopo da revista, às normas de submissão, criatividade, ineditismo e ética científica. 

É rejeitado o material avaliado como inadequado. Os trabalhos que não estejam de acordo com as normas editoriais são reenviados a(os) autores(as). Quando pertinente, a editoria também se reserva o direito de sugerir a(o) autor(a) a alocação de uma proposta para uma seção diferente da escolhida originalmente. 

Os itens referentes às seções etnográficas, material audiovisual, entrevistas e traduções são avaliados pelos editores(as) professores(as) doutores(as) que compõem a equipe editorial, que podem solicitar parecer externo. As propostas de dossiês são feitas por organizador(a) externo(a) e negociadas com a equipe editorial. Os trabalhos selecionados pelo organizador ou encomendados pela equipe editorial são enviados à pareceristas no sistema duplo-cego. 

Submissões destinadas às seções Artigos, Cir-kula e Resenhas, uma vez avaliados pela Comissão Editorial como relevantes para o campo da antropologia e para o perfil de leitor(a) da revista, são selecionadas e enviadas em sistema duplo cego para pareceristas, dando início à próxima etapa.

Garantindo a avaliação duplo cega

 

Ao ser considerado apto para avaliação, o original submetido será preparado para avaliação duplo-cega a partir dos seguintes procedimentos:

 

Nome e demais informações de identificação constantes abaixo do título são removidas.

 

Autorreferências em primeira pessoa do singular ou plural a trabalhos anteriores são passadas para a terceira pessoa, desde que não se comprometa o argumento do artigo. 

 

Exemplo: Como descrevi em artigo anterior (MAGNANI, 2005) -> Como descrito em artigo anterior (ANÔNIMO, 2005)

 

Descaracterização de identificação em figuras ou imagens integrantes, desde que não comprometa o argumento do artigo.

 

Trabalhos citados do próprio autor são substituídos no corpo do texto, como no exemplo (ANÔNIMO, 2007), e nas referências. 

 

Exemplo: ANÔNIMO, 2007. Detalhes suprimidos para a revisão duplo-cega.

 

Referências a financiamento são removidas, a menos que comprometam o argumento do artigo.

 

Agradecimentos são removidos.

 

Informações de identificação presentes no nome e nas propriedades de salvamento do arquivo são removidas.

Etapa 2: Os itens recebidos já sem identificação de autoria são enviados para apreciação de pelo menos um(a) parecerista no sistema de avaliação por pares do tipo duplo cego. O(A) avaliador(a) deve ser versado(a) no tema do trabalho a ser avaliado e pertencer à instituição e preferencialmente região diferente(s) daquela do(s) autor(es). 

As avaliações dos textos ocorrem de maneira confidencial e respondem a critérios como relevância, originalidade e contribuição da abordagem para a pesquisa antropológica; estrutura e coesão suficientes, desenvolvimento teórico e metodológicos sólidos e bem explicitados. Os pareceristas podem decidir por uma das três vias: publicar o texto sem alterações, não publicar ou publicar a partir das alterações sugeridas. Neste último caso, o texto retorna a(o) autor(a) para readequação e reapresentação à equipe editorial, que deve conferir as modificações e pode aceitar ou não a publicação. Em caso de qualquer divergência nesse processo, cabe aos editores a decisão final. Este trâmite leva cerca de cinco meses. 

Declaração de gratuidade das publicações

A Revista Ponto Urbe é mantida pelo Laboratório do Núcleo de Antropologia Urbana da USP, associado ao Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade de São Paulo e, portanto, financiada por verbas públicas. A submissão e a tramitação de todo material acadêmico independem de taxas e não geram qualquer tipo de taxa e remuneração para os(as) autores(as) e colaboradores(as). 

Política de Acesso Livre

Em decorrência do item anterior, este periódico oferece acesso livre, gratuito e imediato ao seu conteúdo sem quaisquer restrições no endereço: https://journals.openedition.org/pontourbe/.

Licença Creative Commons – Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0)

Esta licença permite a readaptação e recriação a partir do material publicado pelos autores na Revista Ponto Urbe, seja para fins não comerciais ou comerciais, desde que lhes atribuam o devido crédito pela criação original, o link da licença seja provido e as modificações indicadas. O texto legal pode ser acessado em: https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/

Direitos Autorais e Arquivamento de Artigos

Os(as) autores(as) detêm os direitos autorais de sua produção e concedem à revista o direito de publicação. Assim, os autores podem publicar seu trabalho alhures desde que citando que o material foi publicado originalmente na Revista Ponto Urbe. A revista Ponto Urbe permite o acesso, arquivamento e divulgação irrestritos da versão final publicada do artigo. Não autoriza o arquivamento e divulgação das demais versões anteriores à sua publicação. 

  • Logo Núcleo de Antropologia Urbana da USP
  • Logo Universidade de São Paulo
  • OpenEdition Journals
Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search