Navegação – Mapa do site

InícioNotíciasChamada para dossiê “Estéticas en...

Chamada para dossiê “Estéticas engajadas e cidade: reflexões sobre ativismos, sociabilidades e representações políticas num mundo em crise”

Otávio Raposo, Gleicy Silva, Caterine Reginensi e Paulo Raposo

A proposta deste dossiê dirige-se às/aos investigadoras/es a trabalhar no domínio dos estudos urbanos, sobretudo àquelas/es que se têm dedicado a reflexões de cariz etnográfico sobre um conjunto de mobilizações e intervenções estéticas engajadas que fazem da cidade um palco privilegiado de disputas políticas. Nem sempre implicadas num confronto com o sistema capitalista e a sociedade de mercado, tais intervenções e formas de engajamento coletivo vão de manifestações artístico-ecologista-ativistas a festas de rua, arte urbana, feiras dedicadas ao estímulo de práticas de “consumo engajado”, até “ocupações” e movimentos associativos (antirracistas, feministas e LGBTQI+) promotores de sociabilidades alternativas e estilos de vida “contraculturais”. Num momento em que a pandemia do COVID-19 e as transformações no campo das tecnologias comunicativas têm se desdobrado em formas específicas de sociabilidade, intervenção estética e engajamento, o objetivo deste dossiê será gerar um espaço de partilha de experiências de pesquisa de cariz interdisciplinar que enfoquem novos significados e dimensões vinculados a essas práticas culturais urbanas e políticas no mundo contemporâneo.

Os artigos devem ser inéditos, contendo no máximo 10.000 palavras (incluindo bibliografia). Devem indicar título, resumo entre 100 e 150 palavras, um elenco de 5 palavras-chave (separadas por ponto e vírgula), todos em português e inglês (título, resumo e palavras-chave). Fonte Times New Roman, tamanho 12, espaço 1,5 entre linhas e parágrafos. Caso o artigo esteja em espanhol ou francês, devem ser enviados também título, resumo e palavras-chave na respectiva língua e em inglês. Solicita-se que, caso o artigo apresente imagens, que as mesmas sejam enviadas no corpo do texto, com legenda e indicação de autoria. Os artigos devem ser acompanhados dos nomes dos/as autores/as, maior titulação, instituição de origem (sem abreviação), cidade, país e o número do ORCID do/a autor/a.

Instruções adicionais podem ser encontradas aqui: https://journals.openedition.org/pontourbe/3512#tocfrom1n2

O dossiê será publicado na edição de julho de 2023

Os textos deverão ser enviados para o e-mail: dossieesteticas@gmail.com até o dia 30 de março de 2023.

Organizadores do Dossiê :

Otávio Raposo é doutor em Antropologia no ISCTE-IUL, onde é professor convidado. Investigador do Centro de Investigação e Estudos de Sociologia (CIES-Iscte), desenvolve pesquisas nas áreas dos estudos urbanos, culturas juvenis, arte, migrações e diáspora africana que resultaram em artigos em inúmeras revistas internacionais. Atualmente pesquisa as práticas artísticas e os engajamentos dos jovens das periferias urbanas, bem como as políticas públicas a eles dirigidas, coordenando o projeto “Criatividades Periféricas: juventude, arte e políticas públicas em territórios segregados”. Realizou diversos documentários, entre os quais “Nu bai. Lisbon’s black rap” (2007) e “Na Quinta com Kally” (2019). 

Gleicy Mailly da Silva é doutora em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo. Desde 2019, é pesquisadora de pós-doutorado e professora colaboradora no Núcleo de Estudos de Gênero Pagu da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Também integra o núcleo de pesquisa Mobilidades, Temas, Teorias e Métodos (MTTM – FFLCH/USP). No ano acadêmico de 2022/2023, integra o Gender Centre do Graduate Institute of International and Development Studies (IHEID), em Genebra, como pesquisadora visitante. Temas de pesquisa: feminismos, programas sociais de desenvolvimento para mulheres, empreendedorismo, mobilidades e trabalho.

Caterine Reginensi é doutora em Sociologia Paris 8 e Livre Docência em Antropologia urbana, Universidade de Toulouse, França. É professora titular e integrou o corpo docente dos cursos de Pós-Graduação em Sociologia Política e Políticas Sociais da Universidade Estadual Norte Fluminense, Uenf. Realizou investigações na Guiana Francesa e no Brasil, trabalhando sobre fronteiras, mobilidades e redes sociais no processo de urbanização das cidades amazônicas. Foi pesquisadora visitante no Núcleo Favela e Cidadania, Escola de Serviço Social-UFRJ, quando fez etnografia urbana da economia das praias, no Rio de Janeiro. Foi pesquisadora do CNpq na Uenf (PPGSP), investigando etnograficamente a cidade de Campos dos Goytacazes /RJ. Colabora com a LeMetro do IFCS-UFRJ e atualmente desenvolve trabalhos sobre culturas urbanas no Brasil e Portugal.

Paulo Raposo é doutor em Antropologia e Professor no Departamento de Antropologia do ISCTE- Instituto Universitário de Lisboa, tendo sido Professor visitante da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) no Brasil em 2009-10 e 2017-18. Investigador do Centro em Rede de Investigação em Antropologia (CRIA) onde foi Vice-Presidente e Diretor do Polo CRIA-ISCTE (2018-21). Realizou várias investigações em Portugal, Espanha e Brasil trabalhando sobre temáticas como o corpo, ritual, património, etnografia visual e digital e, sobretudo, na área das performances culturais, práticas artísticas e ativismo político. Trabalha e colabora com diversas estruturas artísticas e em eventos culturais.

Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search