Navegação – Mapa do site

InícioNúmeros31Ensaios fotográficosDe jornais e de outras coisas: pe...

Ensaios fotográficos

De jornais e de outras coisas: percursos urbanos entre bancas em São Paulo

Daniel Macêdo

Notas da redacção

Versão original recebida em / Original version 25/12/2022 Aceitação / Accepted 13/09/2023

Texto integral

1Apesar de nomeadas por bancas ‘de jornais’ ou ‘de revistas’, o complemento que designa a função comercial do entreposto urbano tem, cada vez menos, compreendido a tipologia de produtos ali ofertados. Se, por um lado, há em São Paulo (1986) legislação municipal que orienta e tipifica o que são estes lugares e o que a eles compete comercializar diferenciando-os das de outros tipos – a exemplo das ‘de frutas’; por outro, a vida pulsante nas cidades convoca movimentos de aderência e de repulsa às normativas e, nisto, firmam modos de existir deveras variáveis e adaptáveis às dinâmicas contextuais em que estão inseridas.

2A redução de espaços para disposição de produtos impressos alia-se à ampliação da circulação de outros itens que manifestam demandas do entorno onde as bancas estão instaladas. Ao mirá-las, encontramos testemunhos das dinâmicas urbanas circunscritas em contextos que nos demandam olhares capazes de volver o cotidiano em catástrofe (LEAL; GOMES, 2020) para desestabilizar as homogeneizações e tomar notas das tensões que as diferenciam e que as tornam espetáculos semióticos (IQANI, 2012) pelos quais um conjunto de significantes das relações urbanas se entramam nos produtos, nas vitrines e nos entornos de cada banca.

3Parte de um experimento teórico-metodológico, pesquisadores do Núcleo de Estudos Tramas Comunicacionais da Universidade Federal de Minas Gerais realizaram percursos urbanos com câmeras tomando a articulação entre caminhar e fotografar como modo de ler e de escrever sobre contextos urbanos inscritos nas bancas a partir de inspirações em Ingold (2018) que nos convida atenção às agências de pessoas, coisas e lugares ao produzirem nós e significados a partir das relações.

4Neste ensaio fotográfico, partilho as escritas visuais realizadas em percurso pela cidade de São Paulo em 7 de novembro de 2022. A rota iniciada na Av. da Liberdade me era desconhecida e, nela, me deparei com a banca da Jade nas imediações da Escola Paulista de Direito; e com a Banca São Joaquim, na entrada da estação de metrô de mesmo nome. Peguei a condução urbana até a estação Santa Cecília, onde me encostei na banca Paulo Afonso.

Entorno e vitrine Banca da Jade, na Av. da Liberdade

Entorno e vitrine Banca da Jade, na Av. da Liberdade

Disposição de produtos na Banca da Jade, na Av. da Liberdade

Entorno, vitrines e produtos na Banca São Joaquim, na Av. da Liberdade

Entorno, vitrines e produtos na Banca São Joaquim, na Av. da Liberdade

Entorno e vitrines da Banca Paulo Afonso, no Bairro Santa Cecília

Entorno e vitrines da Banca Paulo Afonso, no Bairro Santa Cecília

Produtos na Banca Paulo Afonso, no Bairro Santa Cecília

Produtos na Banca Paulo Afonso, no Bairro Santa Cecília

5A partir dos perfis dos caminhantes e dos espaços, produtos diversos compõem as vitrines conferindo vivacidades peculiares a cada banca. Em que pesem os itens comuns, a exemplo da venda de ursos de pelúcia do personagem Sonic, é curioso notar a venda de jornais para pet na primeira e a disposição de impressos diários para consumo e comercialização na segunda e na terceira. Cada banca, a seu modo, (des)monta-se a partir das tensões que dinamizam contextos e, nisto, tornam-se agentes nas espacialidades que, por um lado, conformam dinâmicas sociais ao atuarem como pontos de ancoragem no fluxo urbano; ao passo em que são, ainda, por elas conformadas nas relações que as produzem e as permitem existir.

6Conectadas por um percurso impreciso, as bancas fotografadas em São Paulo extrapolam as designações legais conferidas aos pontos comerciais e se fazem como expressões dos processos contínuos de negociação com os agentes que com ela se enredam em exercícios de consumo e em práticas com o espaço. A adaptabilidade das bancas é uma percepção comum a outras cidades brasileiras como notamos nesta caminhada e em outros percursos ao longo desta pesquisa, partilhados na publicação ‘De banca em banca’, organizado por Macêdo, Souza, Gabriella e Pimentel (2023)



Topo da página

Bibliografia

INGOLD, Tim. La vida de las líneas. Santiago del Chile: Ed. Universidad Alberto Hurtado, 2018.

IQANI, Mehita. Consumer culture and the media: magazines in the public eye. London: Palgrave Macmillan, 2012.

LEAL, Bruno; GOMES, Itânia. Catástrofe como figura de historicidade: um gesto conceitual, metodológico e político de instabilização do tempo. In: MAIA, Jussara; BERTOL, Rachel; VALLE, Flávio; MANNA, Nuno (org.). Catástrofes do tempo: historicidades dos processos comunicacionais. Belo Horizonte: FAFICH/Selo PPGCom UFMG, 2020

MACÊDO, Daniel; SOUZA, Francielle; GABRIELLA, Letícia; PIMENTEL, Thiago. De banca em banca: percursos entre catástrofes cotidianas. Belo Horizonte: Selo PPGCom UFMG, 2023.

SÃO PAULO. Lei nº 10072, de 10 de junho de 1986. Dispõe sobre a instalação de bancas de jornais e revistas em logradouros públicos, e dá outras providências. Diário Oficial da Cidade de São Paulo, 10 jun. 1986, p. 1.

Topo da página

Índice das ilustrações

Créditos Entorno e vitrine Banca da Jade, na Av. da Liberdade
URL http://journals.openedition.org/pontourbe/docannexe/image/15615/img-1.jpg
Ficheiro image/jpeg, 412k
Créditos Entorno e vitrine Banca da Jade, na Av. da Liberdade
URL http://journals.openedition.org/pontourbe/docannexe/image/15615/img-2.jpg
Ficheiro image/jpeg, 276k
Créditos Disposição de produtos na Banca da Jade, na Av. da Liberdade
URL http://journals.openedition.org/pontourbe/docannexe/image/15615/img-3.jpg
Ficheiro image/jpeg, 387k
Créditos Entorno, vitrines e produtos na Banca São Joaquim, na Av. da Liberdade
URL http://journals.openedition.org/pontourbe/docannexe/image/15615/img-4.jpg
Ficheiro image/jpeg, 289k
Créditos Entorno, vitrines e produtos na Banca São Joaquim, na Av. da Liberdade
URL http://journals.openedition.org/pontourbe/docannexe/image/15615/img-5.jpg
Ficheiro image/jpeg, 287k
Créditos Entorno e vitrines da Banca Paulo Afonso, no Bairro Santa Cecília
URL http://journals.openedition.org/pontourbe/docannexe/image/15615/img-6.jpg
Ficheiro image/jpeg, 310k
Créditos Entorno e vitrines da Banca Paulo Afonso, no Bairro Santa Cecília
URL http://journals.openedition.org/pontourbe/docannexe/image/15615/img-7.jpg
Ficheiro image/jpeg, 330k
Créditos Produtos na Banca Paulo Afonso, no Bairro Santa Cecília
URL http://journals.openedition.org/pontourbe/docannexe/image/15615/img-8.jpg
Ficheiro image/jpeg, 350k
Créditos Produtos na Banca Paulo Afonso, no Bairro Santa Cecília
URL http://journals.openedition.org/pontourbe/docannexe/image/15615/img-9.jpg
Ficheiro image/jpeg, 415k
Topo da página

Para citar este artigo

Referência eletrónica

Daniel Macêdo, «De jornais e de outras coisas: percursos urbanos entre bancas em São Paulo»Ponto Urbe [Online], 31 | 2023, posto online no dia 10 dezembro 2023, consultado o 20 fevereiro 2024. URL: http://journals.openedition.org/pontourbe/15615; DOI: https://doi.org/10.4000/pontourbe.15615

Topo da página

Autor

Daniel Macêdo

Doutorando em Comunicação Social na Universidade Federal de Minas Gerais, bolsista da CAPES e integrante do Núcleo de Estudos Tramas Comunicacionais: Narrativa e Experiência. Universidade Federal de Minas Gerais – Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.

E-mail: daniel.3macedo@gmail.com

ORCID: https://orcid.org/0000-0002-1415-7792

Topo da página

Direitos de autor

CC-BY-4.0

Apenas o texto pode ser utilizado sob licença CC BY 4.0. Outros elementos (ilustrações, anexos importados) são "Todos os direitos reservados", à exceção de indicação em contrário.

Topo da página
Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search