Navegação – Mapa do site

Texto integral

1Na sua vigésima segunda edição, a Ponto.Urbe, revista eletrônica do Laboratório do Núcleo de Antropologia Urbana (LabNAU), apresenta seis publicações na seção Artigos. Carlos Eduardo Machado reflete sobre a relação entre temporalidade e ritual no pensamento do antropólogo Edmund Leach. Recuperando o debate realizado no evento “Urbe em Foco: Em torno da Cracolândia Paulista” (promovido pelo LabNAU em abril de 2018), Alessandra Teixeira aponta a emergência da Cracolândia como um lugar-fenômeno, um território híbrido no qual confluem discursos, regimes de verdade, disputas de poder e também formas de resistência. Alexandre Magalhães analisa a diversificação e atualização dos discursos e práticas de remoção de favelas no Rio de Janeiro. Interessada no significado da tecnologia e dos espaços sociais promovidos pela rede social on-line “Tem Açúcar”, Fabiana F. Botton buscou compreender a lógica pela qual os membros desta rede concebem a sociabilidade entre vizinhos. Guilherme Eugênio investiga as relações e dinâmicas que atravessam a realização da folia de reis de Belo Horizonte/MG pelos espaços da cidade. Pautado nos estudos antropológicos de gênero e sexualidade e baseado em etnografia realizada com homens homossexuais que se reconhecem como fãs de cantoras brasileiras, Rafael da Silva Noleto busca problematizar a condição dessas cantoras como sujeitos performáticos que estimulam a troca de dádivas.

2A seção Ensaio Fotográfico traz duas contribuições. Debora Simões de Souza Mendel registra as comemorações da Festa de Santa Bárbara no ensaio intitulado “Devoção em vermelho”. Já o trabalho de Patrícia dos Santos Pinheiro, Guilherme Rodrigues de Rodrigues, Cláudia Turra Magni e Simone Assis Alves Roberto registra a visita de Dona Eva Maria Furtado Mourão, matriarca de uma Comunidade Quilombola (situada na zona rural do município de São Lourenço do Sul/RS) a um importante lugar de sua infância: o Castelo Simões Lopes. Intitulado “As ruínas do castelo”, o ensaio constitui uma contra-narrativa ao discurso hegemônico sobre o patrimônio cultural pelotense.

3Aberta a relatos de campo e experimentações metodológicas, a seção Etnográficas traz um dossiê organizado por Isabela Oliveira Kalil e composto de seis textos que descrevem as manifestações contrárias e favoráveis à participação da filósofa Judith Butler no seminário “Os fins da democracia”, ocorrido em novembro de 2017 no SESC Pompéia em São Paulo/SP. Também fazem parte desta seção: o relato etnográfico realizado por Andrea Jakubaszko e Idalécia Soares Correia sobre as experiências de ocupação estudantil da Escola Estadual Monsenhor Gustavo, situada na cidade de Montes Claros/MG; e o texto de Eva L. Scheliga sobre a passeata contra a intolerância religiosa, ocorrida em Curitiba/PR, em 2017.

4Por último, na seção Resenhas, Lis Furlani Blanco analisa o livro “Alimentar a cidade: das vendedoras de rua à reforma liberal (Salvador, 1780 - 1860)”, de autoria de Richard Graham.

5Em sinal de despedida, registramos com pesar a perda, em julho de 2018, da antropóloga e cientista política Maria Lucia Montes.

Topo da página

Índice das ilustrações

URL http://journals.openedition.org/pontourbe/docannexe/image/3868/img-1.jpg
Ficheiros image/jpeg, 5,0k
Topo da página

Para citar este artigo

Referência eletrónica

« Editorial », Ponto Urbe [Online], 22 | 2018, posto online no dia 15 agosto 2018, consultado o 24 setembro 2018. URL : http://journals.openedition.org/pontourbe/3868

Topo da página

Direitos de autor

© NAU

Topo da página
  • Logo Núcleo de Antropologia Urbana da USP
  • Logo Universidade de São Paulo
  • OpenEdition Journals