Navegação – Mapa do site

Texto integral

1A Revista Ponto.Urbe chega a sua 25ª edição, resultado de um trabalho colaborativo de uma enérgica equipe de antropólogas e antropólogos, de diferentes universidades do país, em vários estágios de carreira acadêmica, de estudantes de graduação a docentes. Sem esta colaboração, além do trabalho voluntário do revisor Ivo Magnani, esta publicação não seria possível, em um momento em que as universidades públicas e, particularmente a área das ciências humanas, passam por graves crises políticas e econômicas. Por meio de um esforço de cooperação, desde 2007, a comissão editorial tem atuado de forma horizontal em todos os processos de editoração, desde o momento da recepção dos artigos até a etapa final de sua publicação. E mantém, como um projeto permanente, a seção Etnográficas, incentivando publicações de estudantes de graduação e de experiências de pesquisas de campo.

2Desta vez, quebrando o protocolo, de trás para frente na ordem da revista, apresentamos, na seção Etnográficas, um dossiê organizado por Heitor Frúgoli Jr. e Júlio Talhari, sobre eventos e situações de rua na cidade de São Paulo, durante o ano de 2018, etnografados por várias autorias. Bárbara Côrtes Loureiro, Gabriela Kaufmann Sacchetto e Paulo Victor de Figueredo Nogueira apresentam três relatos diferenciados sobre a 14ª Virada Cultural, apresentam diferentes perspectivas sobre este grande evento que ocorre na cidade há mais de uma década. Eduardo Rumenig Souza descreve os usos da bicicleta e do espaço urbano de São Paulo por seus ciclistas e Wendy Villalobos faz um ensaio etnográfico sobre a apropriação dos espaços públicos por senegaleses.

3Ainda nas Etnográficas publicamos mais quatro textos. Sabrina Damasceno e Júlio Cesar Oliveira refletem sobre a prostituição feminina e travesti no bairro do Butantã, próximo à Cidade Universitária, em São Paulo, a partir de suas pesquisas de iniciação científica. Nesta mesma região, Beatriz Mutter Quinderé Fraga apresenta um ensaio sobre os usos não-humanos, especialmente de capivaras, dentro do campus da Universidade de São Paulo, também na Cidade Universitária. Mariana Cavalcanti Pereira apresenta, por sua vez, um relato de campo sobre experiências de parkour na área metropolitana de Porto, em Portugal. E o texto de Felipe Paes Piva problematiza a questão da violência sexual e de gênero representada pela mídia hegemônica brasileira.

4Na seção Entrevistas, temos a honra de oferecer a palavra a Monique Lévi-Strauss, que foi esposa do ilustre Claude Lévi-Strauss, em entrevista cuidadosamente realizada por Juliana Caruso e Helena Prado, em Paris, em outubro de 2018, no qual ela comenta seu recente livro de memórias Une enfance dans la gueule du loup.

5Nos Ensaios Fotográficos, apresentamos produções de Roberta Sampaio Guimarães, “Da arte de habitar: usos e sentidos do sobrado do Afoxé Filhos de Gandhi, Rio de Janeiro”, de Victor Guilherme Cordeiro Salgado, “Divergência e transição: o que há de urbano e ribeirinho na Vila Elesbão (AP)” e Mário Eugênio Saretta, “Do outro lado do muro: expressões nas paredes de um hospital psiquiátrico”.

6Na seção Artigos, publicamos seis artigos, com autorias de distintas universidades do país. Thais Chang Waldman oferece uma pesquisa etnográfica sobre usos e contra usos da ocupação contemporânea bandeirante na cidade de São Paulo, como a estátua de Borba Gato, na zona sul. Cristina Maria da Silva, Ananda Andrade do Nascimento Santos e Alana Brandão Moura apresentam a memória da cidade de Fortaleza/CE por meio de álbum fotográficos de mulheres. Nícia Beatriz Monteiro Mafra e Candice Vidal e Souza descrevem as transformações urbanas do Mercado Novo em Belo Horizonte/MG. José Luís Abalos Júnior e Yuri Schonardie Rapkiewicz apresentam reflexões éticas sobre pesquisas com coleções etnográficas em Porto Alegre /RS. Jonathan Willian Bazoni da Motta mostra sua pesquisa sobre transformações urbanas no Rio de Janeiro a partir de megaeventos esportivos e suas relações com as Unidades de Polícia Pacificadora. E Weslley Fontenele Frota apresenta uma etnografia sobre os grupos de Bumba-meu-boi de Parnaíba (Piauí), durante as festas de São João.

7Ainda, em Cirkula, na seção dedicada a áreas afins à antropologia, publicamos o artigo de Marcos Sardá Vieira sobre experiências queer nos espaços urbanos de Berlim, na Alemanha.

8Neste número, também publicamos a tradução de um artigo de Fernando Giobellina Brumana, “A queda do céu: um pas-de-deux entre um xamã e um antropólogo”, autor argentino, professor de Antropologia Social na Universidad de Cádiz, na Espanha traduzido por Rosenilton Silva de Oliveira e Yumei de Isabel Morales Labañino.

9E finalmente, em Resenhas, publicamos, por Carlos Eduardo Dias Souza, uma leitura da coletânea organizada por Myrian Sepúlveda Santos, Nos quintais do samba da grande Madureira. Memória, da editora Olhares.

10Esperamos que a leitura seja prazerosa e contribua para fortalecer e ampliar as pesquisas antropológica no campo dos estudos urbanos, em suas diferentes frentes. E que venha 2020!

Editora executiva da Ponto.Urbe

Topo da página

Índice das ilustrações

Legenda Editora executiva da Ponto.Urbe
URL http://journals.openedition.org/pontourbe/docannexe/image/7620/img-1.png
Ficheiros image/png, 13k
Topo da página

Para citar este artigo

Referência eletrónica

« Editorial »Ponto Urbe [Online], 25 | 2019, posto online no dia 25 dezembro 2019, consultado o 28 maio 2020. URL: http://journals.openedition.org/pontourbe/7620

Topo da página

Direitos de autor

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Topo da página
  • Logo Núcleo de Antropologia Urbana da USP
  • Logo Universidade de São Paulo
  • OpenEdition Journals