Navegação – Mapa do site

InícioNúmeros27Ensaios FotográficosEdifício Alcântara: paisagens, ru...

Ensaios Fotográficos

Edifício Alcântara: paisagens, ruínas e memória em Viçosa (MG)

Alcântara Building: landscapes, ruins and memory in Viçosa (MG)
Jeferson Carvalho da Silva, Wanessa Marinho Assunção e Lidyane Souza Querino

Notas da redacção

Versão original recebida em / Original Version 29/04/2020

Aceitação / Accepted 10/08/2020

Texto integral

1As cidades brasileiras, como apontam Ana Luiza Carvalho da Rocha e Cornelia Eckert, mergulham-se em um emaranhado de tempos descontínuos, experienciados coletiva e cotidianamente por seus habitantes. Essas experiências criam reinvenções da matéria e reconfiguram suas paisagens através de uma sensibilidade coletiva. Tais paisagens demonstram um acúmulo de variedades temporais, configurando-se de maneira indócil, o que contribui “para que os territórios das cidades brasileiras sempre fujam aos modos das épocas específicas nas quais suas edificações se originaram, resultando disto as imagens de uma cidade-ruína, sobreposição de fragmentos de formas espaço-temporais distintas” (Rocha; Eckert 2013:195).

2Assim, podemos compreender que os espaços urbanos com suas ruas, monumentos e praças, dentro de uma perspectiva etnográfica, são suportes “de tradições e biografias de seus habitantes cujas narrativas expressam uma linguagem coletiva que comunica uma pluralidade de identidades e memórias” (Rocha; Eckert 2005:87), além de “fronteiras de diferença cultural e marcos de ‘pertencimento’” (Arantes 2000:106). Mas não só, podemos compreendê-los também enquanto agentes e interlocutores de nossas pesquisas, onde nos contam suas próprias histórias.

3O presente trabalho é resultado de pesquisa realizada na cidade de Viçosa, Minas Gerais, entre os meses de agosto e novembro de 2017. Ao longo desse período nos aproximamos de certos edifícios da cidade, na tentativa de adentrar suas narrativas. O edifício Alcântara foi uma dessas aproximações. Suas fotografias compõem uma narrativa própria, carregadas com suas marcas, expressões, estilos, inscrições, evidenciando suas ruínas e o seu envolvimento com o entorno.

4Construída no início do século XX e popularmente conhecida como “Alcântara”, a edificação em estilo eclético carrega em suas vigas as marcas de composições cotidianas reinventadas e o peso de um passado legado ao esquecimento. Nas paredes descascadas e nas pedras de sua estrutura transpiram e rangem as lamúrias de presos políticos (de quando foi presídio na Revolução Constitucionalista de 1932); a opulência de grandes fazendeiros e comerciantes (de quando foi sede do Banco de Crédito Real); o cheiro dos almoços de domingo (de quando foi moradia); a euforia e os suspiros de prazer (de quando o seu segundo pavimento foi bar, “pensão” e bordel). Em funcionamento há mais de cinquenta anos, a Colchoaria Magnata ocupa o primeiro pavimento do edifício, compondo parte de sua narrativa. Entretanto, atualmente seu segundo pavimento encontra-se em ruínas, abandonado às recordações do passado.

Autor: Jeferson Carvalho da Silva, 2017.

Autor: Jeferson Carvalho da Silva, 2017.

Autor: Jeferson Carvalho da Silva, 2017.

Autora: Wanessa Marinho, 2017.

Autora: Wanessa Marinho, 2017.

Autora: Wanessa Marinho, 2017.

Praça Marechal Deodoro, 1913.

Fonte: Arquivo pessoal dos proprietários da Colchoaria Magnata (autor desconhecido). Reprodução fotográfica: Lidyane Souza Querino.

Praça Marechal Deodoro, 2017.

Autora: Wanessa Marinho, 2017.

Topo da página

Bibliografia

ARANTES, Antonio Augusto. 2000. Paisagens paulistanas: transformações do espaço público. Campinas-SP: Editora da Unicamp; São Paulo: Imprensa Oficial.

ROCHA, Ana Luiza Carvalho da; ECKERT, Cornelia. 2005. O tempo e a cidade. Porto Alegre: Editora da UFRGS.

ROCHA, Ana Luiza Carvalho da; ECKERT, Cornelia. 2013. Etnografia da duração: antropologia das memórias coletivas em coleções etnográficas. Porto Alegre: Marcavisual.

Topo da página

Índice das ilustrações

Legenda Autor: Jeferson Carvalho da Silva, 2017.
URL http://journals.openedition.org/pontourbe/docannexe/image/9302/img-1.jpg
Ficheiro image/jpeg, 423k
Legenda Autor: Jeferson Carvalho da Silva, 2017.
URL http://journals.openedition.org/pontourbe/docannexe/image/9302/img-2.jpg
Ficheiro image/jpeg, 382k
Legenda Autor: Jeferson Carvalho da Silva, 2017.
URL http://journals.openedition.org/pontourbe/docannexe/image/9302/img-3.jpg
Ficheiro image/jpeg, 285k
Legenda Autora: Wanessa Marinho, 2017.
URL http://journals.openedition.org/pontourbe/docannexe/image/9302/img-4.jpg
Ficheiro image/jpeg, 370k
Legenda Autora: Wanessa Marinho, 2017.
URL http://journals.openedition.org/pontourbe/docannexe/image/9302/img-5.jpg
Ficheiro image/jpeg, 534k
Legenda Autora: Wanessa Marinho, 2017.
URL http://journals.openedition.org/pontourbe/docannexe/image/9302/img-6.jpg
Ficheiro image/jpeg, 389k
Legenda Praça Marechal Deodoro, 1913.
Créditos Fonte: Arquivo pessoal dos proprietários da Colchoaria Magnata (autor desconhecido). Reprodução fotográfica: Lidyane Souza Querino.
URL http://journals.openedition.org/pontourbe/docannexe/image/9302/img-7.jpg
Ficheiro image/jpeg, 197k
Legenda Praça Marechal Deodoro, 2017.
Créditos Autora: Wanessa Marinho, 2017.
URL http://journals.openedition.org/pontourbe/docannexe/image/9302/img-8.jpg
Ficheiro image/jpeg, 339k
Topo da página

Para citar este artigo

Referência eletrónica

Jeferson Carvalho da Silva, Wanessa Marinho Assunção e Lidyane Souza Querino, «Edifício Alcântara: paisagens, ruínas e memória em Viçosa (MG)»Ponto Urbe [Online], 27 | 2020, posto online no dia 28 dezembro 2020, consultado o 21 janeiro 2021. URL: http://journals.openedition.org/pontourbe/9302; DOI: https://doi.org/10.4000/pontourbe.9302

Topo da página

Autores

Jeferson Carvalho da Silva

Bacharel em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Viçosa

ORCID: https://orcid.org/0000-0002-3371-3918

Wanessa Marinho Assunção

Bacharela em Comunicação Social – Jornalismo e Ciências Sociais pela Universidade Federal de Viçosa

ORCID: https://orcid.org/0000-0001-8710-0351

Lidyane Souza Querino

Graduanda em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Viçosa

ORCID: https://orcid.org/0000-0002-5642-6727

Topo da página

Direitos de autor

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Topo da página
Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search