Navigation – Plan du site

Apresentação

Apoiada pelo InSHS do CNRS, a criação da revista eletrônica Esclavages & post~esclavages / Slaveries & Post~Slaveries é liderada pelo Centre international de recherches sur les esclavages & post-esclavages (CIRESC ; Centro internacional de pesquisa sobre as escravidões e pós-escravidões), que se tornou uma unidade de pesquisa do CNRS (USR 2002) em Janeiro de 2017.

Esta iniciativa atende a necessidades científicas bem como a preocupações importantes dos cidadãos : a revista tem vocação para incentivar um conhecimento científico em torno de uma problemática com grande alcance social. A sua publicação é semestral.

A revista propõe um espaço de publicação científica sobre um assunto que ainda não o tem no âmbito das revistas académicas em francês. Ela oferece um fórum de reflexão sobre a questão das escravidões no mundo, da Antiguidade até os dias atuais, para investigar as especificidades das « situações de escravidão e pós-escravidão », sem por isso deixar as abordagens comparativas.

A revista é resolutamente multidisciplinar : da história á geografia passando pela filosofia, a economia, a sociologia, a antropologia, a arte… O sinal « ~ » presente no título interroga as relações entre « escravidões » e « pós » na perspectiva da cronologia, das continuidades ou das rupturas entre os sistemas e as representações.

Ela baseia-se numa comissão editorial apoiada por uma comissão científica com dimensão internacional. A alta qualidade dos conteúdos da revista é garantida por um processo avaliativo de duplo cego por pares (peer review).

Ela é multilíngue. Artigos inéditos em francês, em inglês, em espanhol e em português, são acolhidos com o fim de permitir a abertura para uma audiência internacional.

Destina-se a comunidade científica mas também a um público alargado. Trata-se de um projeto editorial cross-mídia, fundado na complementaridade entre vários materiais visando esclarecer de modo diferente a temática de cada número.

A filosofia da revista é disponibilizar o saber ao maior número de pessoas. Os conteúdos são dados em libro acesso sem barreira móvel.

Descrição das rubricas

Editorial

Responsáveis : Myriam Cottias & Céline Flory.

3 000 caracteres no máximo.

A pesquisa pela escrita

Dossiê temático

Responsável/veis : editor(es) científico(s) convidado(s).

O dossiê reúne artigos inéditos e originais orientados segundo uma temática que terá dado lugar previamente a um call for papers. Os artigos recebidos são seleccionados no final de um processo de avaliação por pares, de duplo cego, o que permite garantir a conformidade com as exigências científicas e editoriais da revista.

4 ou 5 artigos temáticos (45 000 caracteres no máximo).

Varias

Responsáveis : Cédric Audebert, Jean-Pierre Le Glaunec & Romy Sanchez.

A rubrica « Varias » publica artigos inéditos e originais fora do dossiê temático, no quadro de um convite permanente á contribuição. Os artigos recebidos são seleccionados segundo as mesmas exigências científicas e editoriais que os artigos do dossiê temático, no final de um processo avaliativo por pares, de duplo cego.

1 ou 2 artigos fora da temática (45 000 caracteres no máximo).

Arquivos e campos

Responsáveis : Antonio de Almeida Mendes, Klara Boyer-Rossol, Elisabeth Cunin & Ary Gordien.

Um dia, um arquivo : trata-se de propor um documento original e a sua transcrição. Uma nota breve e um pequeno comentário histórico apresentarão o interesse do documento. A rubrica tem igualmente o objetivo de divulgar resenhas do campo de pesquisa dando umas primeiras pistas de análise e de interpretação, avançando hipóteses de investigação e questionando a relação do pesquisador com o seu campo, a produção de material (etnográfico, estatístico, cartográfico, etc.), a relação com os atores… elementos que não aparecem necessariamente num artigo acabado.

1 contribuição temática ou não (10 000 caracteres no máximo).

Notas de leitura

Responsáveis : Antonio de Almeida Mendes, Cédric Audebert, Beatriz Mamigonian, Hebe Mattos, Dominique Rogers & Alessandro Stanziani.

A rubrica propõe resenhas de obras com publicação recente (dois anos no máximo antes da publicação da nota), pertencendo a área científica da revista e contribuindo para incentivar a pesquisa no âmbito dos tratos, das escravidões e pós-escravidões (história, geografia, sociologia, filosofia, história da arte…). Pode tratar-se também de resenhas de obras cruzadas. As notas terão uma dimensão crítica, permitindo apreciar os limites e o interesse da obra para o campo ou a problemática considerada. A política editorial da revista é não fazer resenha dos livros que os membros da comissão editorial terão publicado.

3 até 5 contribuições temáticas ou não (10 000 caracteres no máximo).

A pesquisa pela imagem e o som

Responsáveis : Audrey Celestine, Gaetano Ciarcia, Ary Gordien & Lotte Pelkmans.

Através de entrevistas filmadas, a rubrica propõe restituir encontros e trocas com os autores. Também será dedicada á análise de documentos vídeo (reportagens, ficções, documentários), fotográficos ou gráficos (cartazes, publicidades) e á circulação de material audiovisual livre de direitos proposto pelos pesquisadores. Trata-se igualmente de solicitar a produção de documentos ao propor de fato um vector de divulgação : filmes, séries (em vários números), reportagens sonoras, produção sonora e pequenos objetos multimídia.

1 contribuição, potencialmente 2, temáticas ou não (25 000 caracteres no máximo).

Criações

Responsáveis : Lotte Pelkmans, Anna Seiderer & Elvan Zabunyan.

Esta rubrica investiga as escravidões e pós-escravidões a partir de sua materialização, ou seja, sob a forma de objetos, de imagens e de produção literária : vídeo-instalação, pinturas, monumentos, coreografias, romances, etc. A sua forma aberta permite observar as formas criativas a partir e através das quais esses passados e as suas ressonâncias contemporâneas vão sendo construídos e renegociados no campo da arte.

1 contribuição, potencialmente 2, temáticas ou não (25 000 caracteres no máximo).

A Carta ética da revista

Compromissos da revista e dos especialistas

Qualidade da revista

A revista baseia-se numa comissão editorial composta por especialistas franceses e estrangeiros. Esta comissão garante a qualidade científica e a linha editorial da publicação. O seu papel é cuidar, de acordo com a editora, do respeito das boas práticas pormenorizadas a seguir.

A revista dispõe igualmente de uma comissão científico internacional reunindo especialistas reconhecidos.

Ambas as comissões são renovadas a cada três anos.

Processo de avaliação

Os artigos recebidos são submetidos a um processo avaliativo de duplo cego por pares permitindo garantir a sua conformidade com as exigências da revista.

Autor e parecerista não conhecem as suas identidades respectivas. Além de uma avaliação interna, a comissão editorial decide a escolha dos especialistas externos (pelo menos um). No caso de pareceres divergentes (com base numa folha de avaliação), pareceres complementares podem ser solicitados pela comissão.

As intervenções de artistas (rubricas « A pesquisa pela imagem e o som » e « Criações » são avaliadas pelos responsáveis destas rubricas e por membros da comissão internacional. As notas de leituras são avaliadas pelos responsáveis das resenhas e discutidas com a comissão editorial.

Uma proposta de artigo que não corresponde à linha editorial da revista ou que não se ajusta ao seu campo de aplicação pode ser reprovada pela comissão editorial sem passar pelo processo avaliativo de duplo cego por pares.

Em paralelo, uma avaliação técnica é realizada pela editora para definir a capacidade do texto para integrar o processo editorial da revista.

À luz dos pareceres científicos e técnicos, a comissão editorial decide a publicação ou não dos manuscritos :

  • publicação no estado (ou com modificações leves),

  • publicação sujeita a alterações importantes : a decisão definitiva de publicação fica suspendida á remodelação do artigo pelo autor conforme os comentários dos pareceristas,

  • publicação reprovada : um relatório dos pareceres é então transmitido ao autor.

Imparcialidade e conflito de interesse

Os manuscritos são avaliados de maneira objetiva, considerando unicamente o conteúdo científico, sem distinção de sexo, religião, orientação sexual, nacionalidade, origem étnica, afiliação institucional dos autores.

Pede-se aos especialistas de fornecer pareceres fundamentados ; a crítica ad hominem é proibida.

No caso de conflito de interesse com um dos autores ou com o conteúdo do manuscrito para avaliar, os especialistas externos ou membros da comissão editorial em causa devem recusar-se.

Qualquer especialista (interno ou externo), sabendo-se insuficientemente qualificado para avaliar um manuscrito, ou julgando não poder fazê-lo num prazo razoável, deve avisar a comissão editorial.

Plágio e publicações múltiplas

Os especialistas avisam a comissão editorial e a direção da revista :

  • se observam similitudes substanciais com outros conteúdos já publicados ou em curso de avaliação por eles conhecidos ;

  • se observam a utilização de dados de outros autores sem referir essa fonte.

Confidencialidade

O conjunto do processo editorial é estritamente confidencial. As correspondências e informações aferentes não são divulgadas a nenhuma pessoa exterior ao processo.

Nenhum dado inédito conteúdo nos manuscritos será utilizado ou divulgado antes de sua publicação sem o acordo dos autores.

Tratamento editorial

Todas as contribuições aceitadas (logo no primeiro envio ou depois de remodelada pelo autor) são submetidas a um tratamento editorial realizado de acordo com o autor.

A versão final sempre é submetida aos autores para validação antes da publicação (« bom para difusão »).

Compromisso dos autores

Originalidade e plágio

Os autores comprometem-se a submeter uma contribuição original à revista : não terá sido o objeto de uma publicação anterior nem submetida a uma outra revista simultaneamente.

Os autores garantem que o seu manuscrito não é falsificação tal como definida pelo código da propriedade intelectual. Não ofende os direitos morais de qualquer outro autor ou entidade.

Palavras difamatórias

Os autores garantem que o seu manuscrito não ultrapassa os limites do debate científico, não contendo nenhuma declaração difamatória que possa ser interpretada como danos à reputação de terceiros.

Conflito de interesse

Os autores assinalam à direção da revista qualquer conflito de interesse potencial motivando a sua iniciativa.

Menções dos autores e referências

Os autores que submetem um artigo devem mencionar, na lista dos co-autores, os diferentes co-autores -e somente estes- que terão dado uma contribuição significativa para a elaboração e a concepção do manuscrito que apresentam.

Eles asseguram que todos os co-autores têm dado o seu acordo para a submissão do manuscrito e garantem que estes aprovam a versão final como « bom para difusão ».

Os autores comprometem-se a identificar, com referência, todas as citações de outros trabalhos que integram o seu estudo. Isso vale igualmente para as referências a comunicações pessoais : neste caso, é preciso terem obtido a autorização dos interlocutores referidos para a divulgação dessas informações.

Pedidos de autorização de reprodução e de representação para os materiais

Os autores terão feito o que é necessário para a obtenção dos direitos de reprodução e de representação física e desmaterializada dos materiais iconográficos e/ou multimídia reproduzidos nos seus artigos, ou terão recolhido material livre de direito (no domínio público ou sob o regime de licenças Creative Commons). Terão obtido o acordo explícito, por escrito, das pessoas figurando nas fotos, aparecendo nos vídeos e audíveis nos trechos sonoros.

Para todos os efeitos, os autores transmitirão essas autorizações á equipa editorial. A revista recusa qualquer responsabilidade neste âmbito e reserva-se o direito de reprovar os materiais potencialmente litigiosos.

Cessão de direito a título gratuito e não exclusivo

Os autores que submetem um artigo aceitam ceder a título gratuito e não exclusivo os direitos de reprodução e de representação á revista Esclavages & post~esclavages / Slaveries & Post~Slaveries, sob qualquer forma que seja, impressa incluída. Isso vale para os materiais textuais, iconográficos e multimídia da sua autoria ou dos quais são os interessados.

Erratum

Se um erro importante é descoberto num artigo já publicado, os autores devem fornecer as suas correções a revista, ou pelo contrário trazer a prova da exatidão do artigo referido. Se o erro é averiguado pela equipa editorial, esta compromete-se a informar os autores rapidamente.

No caso de um erro importante averiguado, os autores cooperam com a revista para retrair-se ou corrigir o artigo referido sob a forma de um erratum.

  • Logo Centre national de la recherche scientifique (CNRS)
  • Logo Centre international de recherches sur les esclavages et post-esclavages (CIRESC)
  • OpenEdition Journals