Navegação – Mapa do site

InícioTerra Brasilis (Nova Série)17História da geografia e geografia...NotíciasConjunto Cartográfico raro salvo ...

História da geografia e geografia histórica
Notícias

Conjunto Cartográfico raro salvo na Biblioteca Central Municipal Gabriela Mistral em Petrópolis

Filipe Pinto Monteiro, Maurício Infante Mendonça, Lorena de Oliveira Cristiano, Jéssica Justino Soares e Margareth Ferreira de Mattos

Texto integral

  • 1 A BGM foi criada em 1871 a mando do então Imperador Pedro II. Atualmente pertence ao município de P (...)
  • 2 Número levantado de acordo com o sistema de gerenciamento da biblioteca BNWeb, embora suspeita-se q (...)

1No dia 15 de fevereiro de 2022 a cidade de Petrópolis foi atingida por um evento extremo, uma chuva torrencial, a maior de sua história. A tormenta que devastou o centro histórico da cidade atingiu diretamente parte do acervo da Biblioteca Central Municipal Gabriela Mistral (BGM)1, na praça Visconde de Mauá, a famosa Praça da Águia. Tal acervo, localizado no piso térreo do prédio do Centro de Cultura Raul de Leoni (CDC), ficou submerso em 1,60 m de lama e esgoto atingindo aproximadamente 8.000 obras2 e precisou ser resgatado de forma emergencial. A força-tarefa formada por servidores e voluntários resgatou itens do Acervo Geral (A.G.), formado pelas mais diversas áreas do conhecimento, e do Acervo Antigo (A.A.), este último, em parte não inventariado.

  • 3 O Instituto Municipal de Cultura (IMC), cuja sede fica no prédio do CDC, contou também com apoio té (...)

2Ainda com muitos dejetos, livros encharcados, enlameados, espalhados pelo chão, com forte cheiro de esgoto e animais mortos, foi feita uma triagem pelos funcionários e voluntários, constatando-se no A.A. obras raras e significativas para a história da cidade de Petrópolis, do Brasil e do mundo. As peças salvas foram removidas para local seguro, de acordo com as melhores práticas de gestão de crise em acervos bibliográficos e tratadas pela força-tarefa, com objetivo de preservação, tratamento, salvaguarda, conservação curativa e pequenos reparos; pesquisa histórica, bibliográfica, literária e iconográfica.3

3Neste cenário de calamidade, foram salvos dois grandes Atlas relacionadas ao litigio entre Brasil e Reino Unido em torno das fronteiras da Guiana Inglesa. Obras monumentais, em fólio máximo e edição de luxo, intitulados Questión de la Frontière entre La Guyane Britannique et le Brésil: Memóire (e contre-memóire) presenté par le gouvernement de as Majesté Britannique, de 1903, possuem um conjunto de mapas que justificou a memória e a contra-memória (defesa e réplica no linguajar diplomático francês da vidada do século XIX para o XX) encomendadas pela Inglaterra para o Reino da Itália, este último árbitro internacional do conflito. As coleções cartográficas fac-similadas fazem parte de um total de 10 itens, segundo pesquisa em acervos e especialistas contatados, e são encontrados apenas no arquivo do Itamaraty, no Archivio Centrale dello Stato (Roma) e no Public Record Office (PRO), dos Arquivos Nacionais da Inglaterra, em Londres.

Figura 1: Capa do atlas Questión de la Frontière entre La Guyane Britannique et le Brésil: Memóire (e contre-memóire) presenté par le gouvernement de as Majesté Britannique (1903)

Figura 1: Capa do atlas Questión de la Frontière entre La Guyane Britannique et le Brésil: Memóire (e contre-memóire) presenté par le gouvernement de as Majesté Britannique (1903)
  • 4 O litigio gerou a famosa “Questão do Pirara”, território ocupado pelos índios Makuxi, próximo a um (...)
  • 5 Grande parte das obras foram apresentadas em Português e traduzidas para o francês. Foram identific (...)

4Deste conjunto especial também faz parte o livro Estado do Amazonas. Limites da República com a Guiana Inglesa (Memória justificativa dos Direitos do Brasil) de Ernesto Mattoso que sob o pseudônimo de Silvio Sênior fez um estudo para embasar a defesa do Brasil nos fóruns internacionais. A obra de 1898 é acompanhada de duas “cartas geográficas”, uma do próprio autor e outra mais antiga organizada por comissários (engenheiros militares) a partir de Decreto Imperial de 1843. Mattoso foi vice-cônsul do Brasil na Inglaterra, junto ao ministro Joaquim Nabuco, a quem o Barão do Rio Branco incumbiu a elaboração da defesa brasileira. Embora Nabuco não tenha tido sucesso, tendo o Brasil perdido ao fim 2/3 do território contestado,4 deixou coletâneas impressionantes que, embora incompletas, já foram identificadas na seção de obras raras.5

  • 6 A direção cartográfica desta obra ficou sob a supervisão do vice-almirante da Armada Ernesto de Vas (...)

5Também estão salvaguardados os volumes I (Os Precursores de Cabral) e III (A Idade Média Brasileira) da obra ilustrada História da Colonização Portuguesa do Brasil (O volume II intitulado A Epopeia dos Litorais, já foi identificado no acervo) impressa entre 1921 e 1926 em comemoração ao primeiro Centenário da Independência do Brasil.6 A obra, além de rara e luxuosa, possui documentos valiosos reunidos em capítulos como “O mais antigo mapa do Brasil” e “A exploração do Litoral do Brasil na Cartografia da Primeira Década do Século XVI”.

Figura 2: Capa de História da Colonização Portuguesa do Brasil

Figura 2: Capa de História da Colonização Portuguesa do Brasil

Figura 3: Página de História da Colonização Portuguesa do Brasil

Figura 3: Página de História da Colonização Portuguesa do Brasil

6Por fim, vale mencionar aqui o mapa sobre as Guerras Guaraníticas que não foi resgatado da enchente, mas encontrado em meio à reorganização que a catástrofe impôs a todos os envolvidos. Intitulado Mappa que contem o pais conhecido da Colonia até as missões e o caminho que fizeram as duas armadas de Suas Magestades Fidellisima e Cattolica, traz informações preciosas sobre a movimentação indígena, assim como das tropas metropolitanas. Suspeita-se que seja de autoria do genovês Miguel Ângelo de Blasco (1679-1772) e que tenha sido impresso na segunda metade do século XVIII.

7Esta raridade só pode ser encontrada na Biblioteca Nacional (RJ), na Biblioteca Nacional de Uruguay e no Museu Naval da Espanha. Uma informação que a peça contém e que nos parece de extrema importância, é a morte de um homem valorozo entre os índios conhecido como Cazique Zapé. Segundo bibliografia consultada se trata de uma das inúmeras grafias utilizadas para identificar Sepé Tiarajú (1723-1756), índio cristianizado que se rebelou contra as forças coloniais e liderou inúmeras ofensivas contra as armadas coloniais. Sepé foi capturado, torturado e esquartejado.

Figura 4: Mappa que contem o pais conhecido da Colonia até as missões e o caminho que fizeram as duas armadas de Suas Magestades Fidellisima e Cattolica [Sa y Farias, 1750]

Figura 4: Mappa que contem o pais conhecido da Colonia até as missões e o caminho que fizeram as duas armadas de Suas Magestades Fidellisima e Cattolica [Sa y Farias, 1750]

Exemplar disponível na Biblioteca Digital da Biblioteca Nacional do Uruguai <http://bibliotecadigital.bibna.gub.uy:8080/​jspui/​handle/​123456789/​5066>

8As obras salvas foram tratadas inicialmente com doações dos voluntários e tratadas emergencialmente com produtos de fácil acesso e de baixo custo, como álcool 70%, lysoform bruto diluído em água, e soluções de óleos essenciais de melaleuca, cedro, eucalipto e vetivert, por seus efeitos fungistático e fungicida. Tão logo foi possível, a BGM iniciou as tratativas para uma cooperação técnica com a equipe da Seção de Preservação da Fiocruz, liderada por Marcelo de Lima da Silva, conservador restaurador de bens culturais da mesma instituição.

9A partir de então as Obras Raras resgatadas foram tratadas apenas com a aplicação de álcool 70 %, utilização de pó de borracha e limpeza mecânica com trinchas. Seguindo orientações dos técnicos da Fiocruz, também foi realizada a anóxia dos itens mais valiosos, o que garantirá a preservação e manutenção da integridade física das obras. Há médio e longo prazo o objetivo é a digitalização das peças salvas e a disponibilização ao público.

Topo da página

Notas

1 A BGM foi criada em 1871 a mando do então Imperador Pedro II. Atualmente pertence ao município de Petrópolis e possuí sob sua guarda livros raros e documentos do Arquivo Histórico da cidade. Para mais informações: https://www.petropolis.rj.gov.br/imc/index.php/cultura/serenatas/116-biblioteca-central-municipal-gabriela-mistral.

2 Número levantado de acordo com o sistema de gerenciamento da biblioteca BNWeb, embora suspeita-se que o volume de obras tenha sido maior.

3 O Instituto Municipal de Cultura (IMC), cuja sede fica no prédio do CDC, contou também com apoio técnico da Fiocruz, do Museu Imperial, o Arquivo Nacional (AN), do APERJ, e o Conselho Regional de Biblioteconomia – 7ª Região (CRB-7)

4 O litigio gerou a famosa “Questão do Pirara”, território ocupado pelos índios Makuxi, próximo a um dos afluentes do Essequibo, de grande interesse comercial à Inglaterra. Considerado como zona “neutra” entre setembro de 1842 e o fim do litígio em 1904, daria ao reino britânico acesso à Bacia do Amazonas.

5 Grande parte das obras foram apresentadas em Português e traduzidas para o francês. Foram identificados na BGM a primeira memória brasileira apresentada em Paris Frontières du Brésil et de la Guyane Anglaise: le droit du Brésil présenté a Rome de 27 de février de 1903. Premier Mémoire Brésilien. Question soumise a L`Arbitrage de S. M. Le Roy D`Italie., livro que vem acompanhado de 1 Atlas e 5 Anexos, dos quais foram localizados os volumes I, II e IV. Embora não tenhamos encontrado a segunda memória produzida pela legação brasileira, dividida em 3 volumes, localizamos os anexos desta, reunidos em um único livro sob o título de Questión de limites soumise a L`arbitrage de S. M. le Roi D`Italie par le Brésil et la Grande-Bretagne: Annexe du Second Mémoire du Brésil. Joaquim Nabuco ainda redigiu uma terceira memória, dividida em 4 volumes, ainda não localizada na seção de Obras Raras.

6 A direção cartográfica desta obra ficou sob a supervisão do vice-almirante da Armada Ernesto de Vasconcelos (1852-1930). Vale sublinhar que contribuíram para a coleção nomes do porte do historiador Jaime Cortesão (1884-1960) e do escritor e ex-diretor do Arquivo Nacional da Torre do Tombo, António Baião (1878-1961).

Topo da página

Índice das ilustrações

Título Figura 1: Capa do atlas Questión de la Frontière entre La Guyane Britannique et le Brésil: Memóire (e contre-memóire) presenté par le gouvernement de as Majesté Britannique (1903)
URL http://journals.openedition.org/terrabrasilis/docannexe/image/11702/img-1.jpg
Ficheiros image/jpeg, 983k
Título Figura 2: Capa de História da Colonização Portuguesa do Brasil
URL http://journals.openedition.org/terrabrasilis/docannexe/image/11702/img-2.jpg
Ficheiros image/jpeg, 1,6M
Título Figura 3: Página de História da Colonização Portuguesa do Brasil
URL http://journals.openedition.org/terrabrasilis/docannexe/image/11702/img-3.jpg
Ficheiros image/jpeg, 468k
Título Figura 4: Mappa que contem o pais conhecido da Colonia até as missões e o caminho que fizeram as duas armadas de Suas Magestades Fidellisima e Cattolica [Sa y Farias, 1750]
Créditos Exemplar disponível na Biblioteca Digital da Biblioteca Nacional do Uruguai <http://bibliotecadigital.bibna.gub.uy:8080/​jspui/​handle/​123456789/​5066>
URL http://journals.openedition.org/terrabrasilis/docannexe/image/11702/img-4.jpg
Ficheiros image/jpeg, 1,2M
Topo da página

Para citar este artigo

Referência eletrónica

Filipe Pinto Monteiro, Maurício Infante Mendonça, Lorena de Oliveira Cristiano, Jéssica Justino Soares e Margareth Ferreira de Mattos, «Conjunto Cartográfico raro salvo na Biblioteca Central Municipal Gabriela Mistral em Petrópolis»Terra Brasilis [Online], 17 | 2022, posto online no dia 30 junho 2022, consultado o 12 julho 2024. URL: http://journals.openedition.org/terrabrasilis/11702; DOI: https://doi.org/10.4000/terrabrasilis.11702

Topo da página

Autores

Filipe Pinto Monteiro

Historiador, professor universitário e doutor em História das Ciências e da Saúde pelo PPGHCS-Fiocruz

Maurício Infante Mendonça

Tenente-coronel da Reserva do Exército, autor, tradutor e conservador de documentos

Lorena de Oliveira Cristiano

Bibliotecária responsável pela Biblioteca Municipal Gabriela Mistral

Jéssica Justino Soares

Arquivista e chefe da seção do Arquivo Histórico de Petrópolis

Margareth Ferreira de Mattos

Bacharel em Pintura e Técnica em Conservação de Papel e Tela

Topo da página

Direitos de autor

O texto e outros elementos (ilustrações, anexos importados) são "Todos os direitos reservados", à exceção de indicação em contrário.

Topo da página
Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search